UM PEDACINHO DO BRASIL NO LIBANO



                                                                                   

UM PEDACINHO DO BRASIL NO LIBANO

Loussi (ou Lucy) é um pequeno vilarejo escondido no mapa do Líbano, próximo à Sultane Yaacoub el Tahta, entre montanhas e campos verdes do Vale do Bekaa, perto da fronteira com a Síria. Nesta pequena cidade libanesa 90% da população passou a maior parte da vida no Brasil, portanto é possível ver arroz e feijão nas refeições, pessoas ouvindo pagode, axé, sertanejo, e outros ritmos brasileiros, bem como crianças jogando taco nas ruas além de todos falarem português. A sensação de estar no Brasil é grande, embora a paisagem seja completamente diferente, a cidade é como um território brasileiro em solo libanês, os moradores misturam o árabe e o português em todas as conversas do dia-a-dia, e vive tanto a cultura brasileira quanto a libanesa. Muitos Libaneses saíram de Loussi e foram pro Brasil tentar a vida, e quando voltaram, além de muito dinheiro, trouxeram na bagagem todos os costumes e tradições do Brasil. 
Por ser uma comunidade pequena, onde todos se conhecem, sabe-se tudo o que acontece em Loussi, e raramente um estranho entra na cidade sem ser notado. Isto tem um fator positivo, que limita a ação de ladrões e preserva a segurança dos moradores, que se orgulham de não lidarem com a violência. Isso é um privilégio para o vilarejo de Loussi, pelo fato dela pertencer à  um país que carrega a estigma da guerra e do terrorismo perante os demais países. Os moradores contam orgulhosamente que apesar das casas serem muradas, isso nada mais é do que um hábito brasileiro, mas que não há perigo algum no vilarejo. A segurança é realmente verdadeira, os carros ficam estacionados com as janelas abertas, com a chave no contato, e ninguém mexe. Os moradores contam nos dedos quantas vezes foi necessária a presença da policia na cidade. A independência econômica de Lucy é outro ponto positivo da cidade. A construção de toda a rede de esgoto, da mesquita, e do asfalto da única estrada que une o vilarejo ao resto do país, foi realizada com o dinheiro dos próprios moradores, sem ajuda do governo. 
Loussi está sobre um solo privilegiadamente rico em água, os moradores possuem poços artesianos particulares em cada casa, e ainda distribuem água para outros 30 vilarejos da região. Loussi é famosa por suas mansões também, que chegam até a serem disputadas em concursos para eleger a maior, a mais bela, a mais moderna. Os moradores não economizaram em nada nas construções das belíssimas mansões dos sonhos, quando retornaram do Brasil, que é responsável pelo próspero desenvolvimento da cidade. Nos anos 50, as primeiras levas de imigrantes libaneses que estavam em busca das promissoras terras brasileiras, saíram de Loussi e de vilarejos vizinhos. Décadas depois, quando voltaram, já eram empresários de sucesso e com famílias brasileiras constituídas. Como não há opção de entretenimento na cidade, as pessoas costumam se reunir para passar o tempo. Os finais de tarde são animados, com reunião na casa de alguém para jogar cartas, ouvir música, dançar e conversar. O programa que atrai mais adeptos é a partida de tranca, acompanhada de um arguile, é claro!

GazetadeBeirute
CLAUDINHA RAHME

Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário