ANO NOVO BRASILEIRO EM KYOTO



Templos, meditação, budismo… Esqueçam: fim de ano, o povo japonês quer mesmo é passear, divertir-se, ir às compras. Claro, uma passagem num templo – que em Kyoto existe em cada esquina – para pedir uma força aos deuses para o ano que se aproxima nunca é demais para o povo de Kyoto(e se tiver uma moeda de cinco ienes, melhor ainda: esta moeda, pelo “buraquinho” no centro, tem o significado de abrir portas). 

“E cada templo tem um deus com uma finalidade específica.” Diz Dr.Edweine Loureiro, brasileiro vivendo no Japão.


 “Por exemplo, em Marutamachi,  há um templo devotado a um deus que cuida de nossas pernas e costas. Eu somente entrei lá uma vez, em 2005, e o que me lembro é que estavam distribuindo saquê gratis. 


Desta vez, porém, o deus da preguiça dominou minhas pernas. Resultado: tive uma dor nas costas que me deixou prostrado os três dias em que lá fiquei. 


Na próxima, já decidi: levo uma garrafa de saquê para fazer as pazes com o deus.”Acrescentou.


“Mas, claro, que, estando numa família japonesa, outros rituais não deixam de existir no ano novo: por exemplo, pela noite, é costume degustarmos sobá – o macarrão japonês mergulhado numa espécie de sopa, acompanhado de tempurá, ou, simplesmente, camarão frito. 


O prato é chamado detoshikoshi-sobá, e seu simbolismo consiste no fato de o macarrão ser longo, o que pode representar longevidade e, por relação de casualidade e efeito, também saúde e prosperidade,” disse Edweine.


“E, assim, às sete da noite, lá estavam meus sogros, minha esposa e eu degustando sobá e saquê – nunca é demais seguir a tradição, concordam? Mas, à meia-noite, não resistindo à invasão brasileira, optamos mesmo por estourar uma champanhe. 


E nos confraternizamos, intercambiando frases de Akemashite omedetou gozaimasu (Feliz Ano Novo, após a meia-noite – antes deve dizer-se Yoi o toshi wo, também significando… Feliz Ano Novo). 


No dia seguinte, meus sogros e minha esposa foram a Teramachi (ou Rua dos Templos), para fazer compras.” Completou.


O brasileiro no Japão Edweine Loureiro nasceu em Manaus no dia 20 de Setembro de 1975 , advogado e professor de literatura , obteve seu Mestrado em Politica Internacinal na Universidade de Osaka ( Japão) 


Traz um pouco da cultura japonesa e como um brasileiro passa sua vida sobrevivendo nesta fascinante terra do sol nascente .


O ano novo em Kyoto é sem duvidas alguma mágico  pois era capital do Imperio Nipônico até 1868 .


Kyoto é dividida em 11 zonas :


Yamashina ku – Higashiyama ku – Ukyo ku – Fushimi ku – Kamigyo ku – Kita Ku – Shimogyo ku -   Sakyo ku – Nakagyo ku – Nishikyo ku e Minami ku.


 Kyoto é conhecida como a cidade acadêmica e religiosa, pois possui o templo Ryoan – ji  muito famoso pelo seu jardim de pedras , templo  Kiyomizu dera ( O templo de madeira) , templo Ginkaku Ji (  o Pavilhão prateado ) e  Heian Jingu ( O templo da família Imperial ) .


Os 4 Festivais mais importantes são :

Gion Matsuri ( Origem no ritual de Goryo - e , onde acreditavam acalmar os deuses nipônicos)
Aoi Matsuri ( Origem na época das grandes chuvas e enchentes )

A voz da comunidade brasileira em Kyoto no  Japão para a Gazeta de Beirute no Líbano e Brasil!


GazetadeBeirute
Anthony Mohammad &  Dr.Edweine Loureiro 


Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário