"ANSAR ALLAH" DESFAZ ALIANÇA COM O HEZBOLLAH

 Foto: Mohammed Zaatari-
O Movimento Ansar Allah, o maior grupo islâmico palestino aliado ao Hezbollah desde os anos 80, anunciou na última terça-feira (4), o fim da aliança política, militar e de segurança com o Hezbollah. O Movimento declarou que continuará no caminho do jihad e da resistência, como um movimento palestino independente, visando defender os direitos palestinos, não medindo esforços e sacrifícios para isso, onde quer que estejam para alcançar as metas de independência e liberdade. 
Segundo informações a ruptura se deu devido a possível mudança de apoiar o levante sírio por parte de Ansar Allah, além de uma disputa financeira. Khaled, o filho de Suleiman havia ido lutar com os rebeldes sírios, há dois meses, mas seu pai o convenceu a voltar para Ain AL Hilweh, o que causou constrangimento com os aliados, devido às relações estreitas do Hezbollah com o regime sírio. O Hezbollah oferecia apoio financeiro ao Ansar Allah, e à Suleiman, mensalmente, e neste mês interrompeu o financiamento, justificando que “uma discussão era necessária antes de enviar dinheiro em luz de mudanças". Ansar Allah acredita que o Hezbollah quer impor novas condições sobre ele, em troca de apoio financeiro contínuo. Essas condições ainda não são claras, mas segundo informações, os laços entre eles esfriaram recentemente, e o Hezbollah passou a reforçar alianças com outros grupos islâmicos palestinos em Ain al-Hilweh, como Usbat al-Ansar, e o movimento jihadista islâmico, através de diversas e frequentes reuniões, além de terem começado a oferecer-lhes também apoio financeiro, o que contrariou Ansar Allah.
O Ansar Allah teve inicio nos anos 90, durante a luta por uma série de aldeias do sul chamada Iqlim al-Tuffah, entre Amal e o Hezbollah. Amal, o líder do Movimento Nabih Berri, pediu ao líder do Fatah, Yasser Arafat ajuda para combater o Hezbollah, apesar de Amal e Fatah terem acabado de terminar os três anos de confrontos no sul de Beirute, e nos campos de refugiados palestinos (Guerra dos Campos). O Fatah aceitou ajudar Amal, mas um oficial de nome Jamal Suleiman Fatah, desertou e abriu fogo contra os dois grupos, com sua brigada, do alto de uma colina com vista para o campo de Ain Al Hilweh, ao sul, e anunciou sua intenção de formar uma aliança com o Hezbollah, que depois assumiu a maioria dos Iqlim al-Tuffah. 
Suleiman voltou ao acampamento na década de 90 e anunciou a formação do Movimento Ansar Allah, que visava combater Israel sem acordo de negociação de paz, ganhando assim influencia em campos de refugiados palestinos no norte, sul e Beirute, estabelecendo então sede em Ain AL Hilweh. Eles inauguraram um pequeno hospital no acampamento, que recebeu o nome de Hospital Al Quds Jerusalém. O Ansar Allah, inspirado no Hezbollah, com centenas de membros armados e treinados em campos do Líbano, e com recursos financeiros próprios, foi o suspeito pelo envolvimento no atentado de 94 contra o centro comunitário judaico de Bueno Aires, que matou 85 pessoas. O movimento também é conhecido por seus desfiles militares anuais na última sexta-feira do Ramadã, feriado criado pelo líder supremo Iraniano, o aiatolá Khomeini. O Sheikh Maher Hammoud,  imã da Mesquita Quds em Saida, está tentando mediar a reconciliação entre o Hezbollah e o Ansar Allah.


Gazeta de Beirute
CLAUDINHA RAHME
10-12-2012
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário