Discriminação contra Salafistas em Kfar Zebian


Foto: Daily Star 
Uma atitude de discriminação explícita por parte de moradores de Kfar Zebian, em Keserwan, levou cerca de 50 pessoas da região a bloquear a estrada que conduz à Faraya, para protestar contra a viagem do polêmico clérigo à região, e tentar impedir que o Sheik Ahmad Al-Assir, e sua caravana de partidários, chegassem a estação de esqui.

O comboio com mais de uma dúzia de carros e ônibus de Assir, e seus partidários, partiu na manhã de quinta-feira (24), do lado de fora da mesquita Bilal Ben Rabah, em Sídon, em direção à Faraya, visando lazer e entretenimento na estação de esqui. 

O salafista supervisionou pessoalmente os preparativos da viagem do sul à Keserwan nas primeiras horas da manhã, reforçando as medidas de segurança na estrada que conduz a Faraya, para garantir um caminho seguro para ele e seus partidários.

O exército reabriu a estrada para que Assir e seus companheiros seguissem adiante, mas novamente os moradores tentaram bloquear o caminho para impedir que eles seguissem rumo à Faraya. 

Assir pediu autocontrole aos seus partidários, e que eles permanecessem dentro dos ônibus e carros, até que a estrada fosse reaberta pelo exército, alegando que tal bloqueio era desnecessário, visto que o intuito do grupo era de entretenimento, sem qualquer cunho político ou religioso.

As Forças Libanesas enviou um comunicado denunciando a tentativa de bloquear a passagem de Assir para visitar Faraya, como uma violação dos direitos civis, alegando que todos os libaneses têm direitos iguais para visitar todas as regiões libanesas, independente de suas crenças religiosas e filiações políticas. 

Marwan Charbel, Ministro do Interior, pediu aos manifestantes para abrirem as estradas e respeitar o direito do grupo de chegar a estação de esqui. 

Farid Al Haykal Khazen, ex-ministro, também se dirigiu ao local pedindo aos manifestantes para abrirem a estrada, mas disse que a visita do salafista naquela região era suspeita, e que ele esperava que Assir e seus partidários não se prolongassem muito na região, para não causar um conflito indesejável com Keserwan, e pediu ao Sheik que evitasse esse tipo de viagem, devido as circunstâncias atuais do país. 

O protesto durou duas horas, mas a estrada finalmente foi reaberta, e Assir pôde chegar com seus partidários à estação de esqui de Faraya, para desfrutar de um dia de lazer, como qualquer cidadão libanês. 

CLAUDINHA RAHME
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário