Cardeal libanês nas eleições do Novo Papa


É a primeira vez que um patriarca maronita libanês votará em um conclave, Bechara Boutros al-Rahi vai participar da eleição do novo pontífice que começa em 01 de março na Capela Sistina, em Roma. 

Chegada a hora da votação, cada cardeal recebe um papel branco de forma retangular que tem escrito na parte superior Eligo in summumpontificem (Elejo como Sumo Pontífice) com espaço para escrever o nome escolhido. 

Alguns libaneses estão otimistas pela possibilidade de Al-Rahi ser o escolhido devido alguns acontecimentos.

Em novembro de 2012 o Papa Bento XVI escolheu seis novos cardeais e o Patriarca al-Rahi foi um deles.

Em 31 de Janeiro de 2013, o Cardeal Patriarca Bechara Boutros al-Rahi foi também nomeado pelo Papa Bento XVI para servir como membro da Congregação das Igrejas Orientais, do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica, do Conselho Pontifício dos Migrantes e Itinerantes e do Conselho Pontifício na área de Comunicações Sociais.

O Papa Bento XVI também confiou ao Cardeal Bechara Boutros al-Rahi a redação das meditações da Via Sacra em 29 de março deste ano, no Coliseu, em Roma, assim como João Paulo II confiou a mesma tarefa para o atual papa. 

Outros pontos de destaque é a situação dos cristãos no Oriente Médio, a visita recente do Papa em setembro de 2012, mesmo em uma situação de grande tensão e a nomeação de três novos cardeais do Oriente Médio que também participarão da votação.

Mas apesar dessas vantagens o Cardeal é maronita e há outros cardeais em posições essenciais no Vaticano. Sua grande maioria é da Itália, seguido por cardeais de outros países europeus.  Há bispos cardeais da América Latina onde os fiéis são muito mais apegados a Igreja do que atualmente na Europa.

Mas independente de sua identidade e nacionalidade, o Oriente Médio sempre será um dos fatores mais importantes a serem tratados pelo Vaticano, pela existência da grande comunidade cristã vivendo com uma maioria muçulmana e o fato de que essa região é o “berço de Jesus”.

Atualmente o mundo inteiro tenta adivinhar quem será o novo Papa e o motivo de sua renúncia gerou polêmica.

O Papa Bento XVI afirmou que não tinha mais força física e mental para se manter como Papa, o primaz de Roma, chefe da Igreja Católica Romana. Entretanto apesar de sua debilidade visível, há rumores e especulações de que a renúncia do Papa seja consequência de competições internas do Vaticano entre os conservadores e progressistas.

Esta foi a primeira renúncia de uma Papa desde 1415, quando o Papa Gregório XII renunciou. 
É esperado que o novo papa seja conhecido antes da Páscoa, segundo o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

Mas até o dia 28 de fevereiro às 20 horas, horário de Roma, Bento XVI se mantém como a maior autoridade da Igreja Católica Romana.


Chadia Kobeissi
Gazeta de Beirute
Edição: Claudio Cavalcante Junior
15-02-2013
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comments:

  1. "A Igreja passa por mudanças. Na minha opiniao o Patriarca Rai tem chance de ser eleito Papa. Sera uma Papa Arabe que podera dialogar com as Igrejas orientais ortodoxas, ecumenismo, pois os cristaos precisam de unirem e o Patriarca Rai podera sera um Papa de dialogo com sas outras religioes do Oriente Medio, lembrando que hoje o oriente , os arabes, esta na sociedade do ocidente atraves da emigracao. Vimos nos ultimos tempos que o vale entre Oriente e Ocidente esta aumentando. Um Papa arabe podera ser uma importante Ponte de Dialogo e Ecumenismo. O cristianimo nasceu no Oriente. Isto que imagino e que podera ser uma realidade que saberemos ate o final de março. O patriarca Rai tem o carisma do dialogo. Roberto Khatlab"

    ResponderExcluir