Minot Street - Trípoli: A saudosa rua dos boêmios


A Rua Yaacoub Labban, em Trípoli, mais conhecida como Minot Street, devido ao trocadilho referente à Mina de Trípoli e a Monot de Beirute, é um refugio em extinção na capital do Norte, famosa por seus bares que sempre oferecem, cerveja gelada entre outras bebidas alcoólicas,  a uma pequena comunidade de fiéis clientes intelectuais, idealistas e veteranos, que insistem em manter seu pequeno paraíso, na pequena rua de paralelepípedos num souk antigo da cidade, que vem se tornando cada vez mais conservadora.

Mas devido ao crescente cerco islâmico conservador empobrecido pelos frequentes surtos de violência sectária, os frequentadores estão cada dia mais abandonando o hábito de frequentar a Minot Street. 
A rua, que há cinco anos tinha um espírito cosmopolita, com uma vizinhança aberta, e estava sempre cheia de pessoas do lado de fora do seu pub predileto, foi substituída pelo eco das botas de pedestres solitários nas calçadas. 

Elias Khlat o coproprietário do “Mike”, um dos 5 bares da Minot Street, que comportava cerca de 20 estabelecimentos do gênero, conta que o Souk velho lhe atraiu, porque lhe lembrava a cidade velha de Damasco, que até o conflito Sírio, era famosa por seus restaurantes e bares renovados a partir de casas antigas. 
Foi nesse clima que ele projetou seu bar e o inaugurou em Maio de 2008, mesmo dia que eclodiu os confrontos sectários no centro de Beirute, onde muitas pessoas morreram também em Trípoli. 

Esses conflitos desde então prejudicam o negócio de Khlat, hoje classificado como enormes perdas, todos os seus vizinhos já fecharam suas portas, e o trânsito de clientes foi reduzido praticamente a zero, e ele têm pensado em migrar para o Sul de Batroun.

Proprietários culpam a inércia das autoridades pelo declínio da rua, e por não posicionar segurança policial na área à noite para proteger os clientes que costumavam ficar do lado de fora, esperando para conseguir entrar nos estabelecimentos, e hoje, impede os clientes de saírem de suas casas, segundo os funcionários e proprietários do Savannah, um pequeno bar que tenta sobreviver há 7 anos, principalmente depois da frequente tensão que existe na cidade. 

Mohammad Mir Jarrah, dono do “Bells”, nadou contra a maré, quando vários proprietários da rua estavam fechando, ele decidiu abrir o seu bar há um ano, por amar o que faz, e querer proporcionar diversão aos moradores de Trípoli, mas lastima que realmente, a rua está preparada para ser empacotada e esquecida, porque a situação de segurança na cidade está destruindo os sonhos de qualquer comerciante.

Riad Kurdi, o garçom cheio de piercings nas orelhas, cavanhaque e rabo de cavalo, do Cava, um pub underground, diz que atualmente ele costuma servir apenas uma única mesa por noite, quando no passado, a rua costumava ser intransitável. 

Kurdi ainda diz que sua aparência destoa totalmente da aparência dos homens do centro de Trípoli, que ele costumava se sentir em casa naquela área, mas talvez ele precise usar uma longa barba agora, para se sentir mais semelhante à vizinhança. 

Talvez a rara exceção da Minot Street, seja a “Taverna”, um restaurante de frutos do mar, que oferece uma gama de bebidas para homens de meia idade que lotam suas mesas, cantando e batendo palmas. 

Velhos amigos, de velhos tempos, acolhem com alegria um visitante, e entusiasmados começam a falar sobre o local, e concluem  afirmando que a rua está realmente morrendo.

CLAUDINHA RAHME 
Gazeta de Beirute

Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário