Homenagem às Mães Brasileiras no Líbano



As mães brasileiras e de outros países da América Latina que residem no Líbano, comemoraram na última semana, o dia das mães, que no Líbano é celebrado no dia 21 de março, coincidentemente no mês que também é comemorado o Dia Internacional da Mulher.


Na última quarta-feira (20), a Consulesa Honorária do Vale do Bekaa, Siham Harati, ofereceu um brunch em homenagem ao Dia das mães no salão Polyvalente do Hotel Le Royal em Dbayeh. 


O Evento organizado por Lívia Tawil, representante do grupo Amizade Brasil, reuniu 95 mães da comunidade brasileira no Líbano, e contou com a presença das Embaixatrizes do Brasil, Yolanda Massot e Diana El Khoury, a Embaixatriz do Paraguay Rola Fares Dias, da Vice Cônsul Josely Oliveira, da representante do Consulado Geral do Brasil em Beirute, Frida Abboud Asmar, Sra.Samar Sleiman, esposa do Governador Antoine Sleiman, irmão do Presidente do Líbano, Michel Sleiman,  e das representantes da Gazeta de Beirute Claudinha Rahme e Bety Ziade. 



Kátia Aawar foi a responsável pela decoração artesanal, feita com material reciclado, que adornou as mesas do evento.



De início, Siham fez um emocionante discurso para as mães presentes, e disse que o objetivo do encontro era uma singela homenagem a todas as mães presentes e ausentes, em reconhecimento à grandeza de sua sublime missão, e também a todas as mulheres e mães que fazem deste mundo um lugar melhor para se viver, por elas serem arquitetas reais da sociedade.

“(...) Mãe, pequena palavra que simboliza a mais sublime das virtudes, sua existência em si é um ato de amor; gerar, nutrir, cuidar e amar, com um amor incondicional, que nada espera em troca. Mãe é um ser infinito. (...) Mesmo frágil e forte, faz de sua família a sua própria vida, com a capacidade de ouvir o silêncio, adivinhar sentimentos, encontrar a palavra certa nos momentos incertos, nos fortalecer quando tudo ao nosso redor parece ruir, com uma sabedoria iluminada por Deus para nos proteger e amparar. (...) Dá asas, ensina a voar, mas não quer ver partir os pássaros mesmo sabendo que eles não lhe pertencem, enquanto mantém-se forte para dar os ombros para que neles possam chorar. (...) Feliz o homem, que por um dia, soube entender a alma da mulher”.

No final do evento, eu me sentei por alguns minutos com Siham, que calidamente com um olhar de mãe, explicou a importância desse encontro para as mães brasileiras no Líbano, para que elas possam se sentir, ainda que por um instante, em um ambiente delas. 

Ela disse que em virtude de essas mães terem abdicado de sua pátria, de sua cultura e de seus costumes, e das leis que protegem e resguardam os direitos da mulher, para viver num país totalmente diferente, onde os costumes e tradições culturais se chocam com tudo aquilo à que sempre estiveram habituadas, essas mulheres, essas mães, sentem-se constantemente inseguras e ameaçadas. 

Viver num país tão distinto do Brasil, onde as leis favorecem os homens, e não asseguram às mulheres em nada, nem mesmo as mães brasileiras, o maior medo dessas mães, é o de um dia perder os próprios filhos, que constituem a sua maior riqueza em uma terra tão distante. E concluiu, dizendo que a promoção desses encontros com outras brasileiras, é de suma importância, para que elas tenham uma referência pátria de sua própria identidade, de seu idioma, de sua cultura. 

Siham demonstrou ainda, o quanto ela se sentia feliz em poder proporcionar isso a essas mães brasileiras, através dessa homenagem ao Dia das Mães. 

Ainda em Beirute, a Comissão para estrangeiras da América Latina no Líbano, organizou um café da manhã também em homenagem às mães, onde compareceram 76 mulheres. 


Natalia Romero, argentina, e mãe de três brasileiros, caprichou em cada detalhe do evento, que aconteceu no dia (21) de março, no Restaurante Swiss Time, em Beirute. 

Natalia Romero

A Comissão das mulheres da América Latina no Líbano, fez questão de doar o valor de cada convite comprado, para uma Associação que ajuda os mais necessitados e que dá aulas de religião e árabe para estrangeiras.

Além do bufê caprichado, rosas foram oferecidas às mães, uma representante de cada país discursou em português ou em espanhol sobre o papel da mulher e principalmente o da mãe na família e na sociedade.

O ambiente estava tranquilo, o café da manhã foi acompanhado por músicas clássicas, mas no final do evento, as mulheres bem mais entrosadas, se animaram, e as estrangeiras que também já ganharam um pouco da cultura árabe dançaram dabke (dança folclórica). 

No final do encontro, dois sorteiros foram realizados, um oferecendo um presente à vencedora, e o outro um jantar. Para nossa surpresa uma das vencedoras, foi a representante da Gazeta de Beirute, Romi Salman.

As mães estavam contentes, e lá estavam mães de todas as gerações, as mais novas, com filhos recém-nascidos, as que tem filhos adolescentes, e as aque já são avós.  

Mãe brasileira, três filhas e neto

A Gazeta de Beirute parabeniza à todas as mães por esse dia, que no Brasil será comemorado no segundo domingo de maio(12). 

Não importa a data, toda mãe onde for, quando for, sempre, eternamente, é mãe. Insubistituível, amada em todas as nações.


Claudinha Rahme & Chadia Kobeissi
Gazeta de Beirute

Para contato com a Comissão de mulheres da America Latina: 70-902892
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

2 comments:

  1. Parabens para as maes do Libano eu nao pude comparecer em nenhum dos dois, mas admiro esse tipo de reuniao e encontros, afinal estamos aqui e somos maes.

    ResponderExcluir
  2. Parabens a Gazeta que reuniu esses dois eventos!

    ResponderExcluir