Meu Noivo Me Abandonou Grávida!



Therese Mourad esteve essa semana com uma libanesa, de muita garra, que mesmo tendo sido abandonada grávida pelo noivo, assumiu sozinha a gravidez num país onde o preconceito impera.

GB: Bom dia Amal, você é libanesa?

Amal: Bom dia! Sim, eu sou.

GB: Mas você é casada?

Amal: Não, sou solteira.

GB: E essa criança, no seu colo é de quem?

Amal: Meu filho. Ele tem três anos.

GB: Você é mãe solteira, aqui no Líbano Amal? Você sabia que a sociedade Libanesa não aceita isso, certo?

Amal: Sim, realmente não é aceito aqui, mas aconteceu.

GB: Como isso aconteceu isso?

Amal: Eu era noiva, namoramos às escondidas durante dois anos, ficamos noivos por um ano, eu o amava muito, portanto confiava nele cegamente.

GB: E porque vocês romperam o noivado?

Amal: Quando eu descobri que estava grávida, falei para ele imediatamente, ele pediu para eu abortar, mas eu, claro, não aceitei.

GB: Se ele era oficialmente seu noivo, porque pediu para você fazer o aborto, ao invés de adiantar o casamento?

Amal: Ele disse que ainda não estava pronto para se casar, precisava de mais tempo, pois ainda não tinha comprado uma casa.

GB: Mas ele podia ter alugado uma casa, afinal na sua situação a prioridade não era a casa, e sim a gravidez, certo?

Amal: Verdade, mas ele ficou nervoso quando sugeri que alugássemos uma casa, e daí em diante, tínhamos brigas constantes, eu falava para ele, se ele achava certo eu ficar assim, sendo que eu era solteira, ele falava que a solução do problema, estava em minhas mãos, bastava eu fazer o aborto, e tudo se resolveria.

GB: E você não pensou em fazer o aborto?

Amal: Claro que não, de maneira alguma, eu queria muito essa criança, e alem do mais, eu já estava com quase três meses, seria crime, e eu sou contra.

GB: E o que aconteceu entre vocês depois?

Amal: Depois de muitas brigas constantes, um dia eu muito nervosa, disse à ele que se ele realmente me amasse, jamais faria isso comigo, pois o tempo estava passando rapidamente, e minha barriga iria aparecer. Nessa hora, ele me falou que, talvez fosse isso mesmo, que ele também achava que o amor dele por mim não era suficiente para viver comigo para sempre, ou para ter um filho meu.

GB: E assim sendo, porque ficou noivo com você? Estava te enganando, passando o tempo, ou o que? Oficializar um noivado no Líbano significa que ele pediu sua mão em casamento.

Amal: Verdade, e a única explicação que tenho para isso, é que ele nunca me amou. Ele me enganou todo aquele tempo.

GB: Enquanto vocês namoravam escondido, estava tudo bem, mas se ele não te amava, por que então entrou na sua casa, conheceu sua família, pediu sua mão em casamento, e oficializou o noivado?

Amal: Vou te falar a verdade. Porque enquanto namorávamos escondido, ele sempre tentava transar comigo, e eu recusava, porque eu tinha medo de fazer e depois nos separarmos.

GB: E como você cedeu para ele, se você tinha esse medo?

Amal: Este foi o plano sujo dele, um dia ele me disse: Nunca nos iremos nos separar, eu jamais te deixarei. E para te provar que nosso amor é eterno, e vai terminar em casamento, eu trarei a minha família e trocaremos alianças de noivado. E realmente foi o que ele fez, e naquele momento, eu fiquei muito feliz, e jamais desconfiei dele.

GB: E como você enfrentou seus pais depois do rompimento, você estando grávida?

Amal: Jamais enfrentei, souberam do rompimento, mas sem saber o motivo, pois meu pai com certeza me mataria, ele jamais aceitaria isso, eu o conheço muito bem, e sei do que ele é capaz.

GB: E o que você fez para eles não perceberem sua gravidez?

Amal: Eu fugi de casa, antes deles descobrirem, e nunca mais voltei.

GB: Para onde você foi? E como se virou?

Amal: Eu trabalhava, sou estudada, tenho diploma, e eu tinha um pouco de dinheiro no banco. Vendi minhas joias, deixei a cidade, e fui para um lugar bem longe. Aluguei uma casinha pequena, e fiquei em casa até o nascimento do meu filho, pois solteira e de barriga, impossível arrumar emprego.

GB: E você teve dinheiro o suficiente para se sustentar, durante todo o tempo da gestação?

Amal: Sim, como eu te falei, eu tinha um pouco de dinheiro, e foi mais que suficiente. Depois de quatro meses após o nascimento do meu filho, eu arrumei um emprego. E eu tinha alguém que tomava conta dele enquanto eu estava trabalhando. Mas meu grande problema, é que meu filho não é registrado, portanto, não posso coloca-lo na escola.

GB: Ele não tem registro algum?

Amal: Somente o do hospital.

GB: E o que você pretende fazer agora?

Amal: Eu abri uma ação judicial para reconhecimento de paternidade contra o meu ex, e pretendo ir ate o fim.

GB: Quanto tempo faz isso?

Amal: Faz 10 meses, e já houve dois confrontos entre nós na justiça. Ele negou ser o pai, e eu pedi exame de DNA para comprovar a paternidade.

GB: O juiz concedeu seu pedido?

Amal: Saberei na próxima sentença, daqui a três meses.

GB: E como você consegue pagar advogado? E se tiver que pagar pelo exame?

Amal: Eu sou advogada, e represento a mim mesma, quanto ao exame, se for preciso eu pagarei, mas ele terá que reconhecer a paternidade de meu filho. Eu irei ate o fim, jamais desistirei.

GB: E durante todo esse tempo, você nunca mais viu sua família?

Amal: Não, infelizmente ainda não estou pronta para isso. Só irei vê-los depois de ganhar essa causa, e ele registrar o meu filho.

GB: Parabéns Amal, pela sua força, pela sua luta. Você é uma verdadeira guerreira! Mãe é mãe, faz tudo por um filho, e você é um exemplo vivo disso, vai em frente.

Amal: Obrigada pelas belas palavras, e também pela entrevista, gostei muito de falar com você.

GB: Eu que agradeço pela entrevista, e como combinamos, quando acabar tudo, vou querer outra entrevista, para os leitores saberem qual foi o final dessa sua batalha.

Amal: Sim, se Deus quiser. Eu te ligo e marcaremos.


THERESE MOURAD 
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário