TOP DA SEMANA VI


Por Bety Ziade 
FILME:

FILME:
Dirigido por: Roberto Benigni
Com: Roberto Benigni, Marisa Paredes, Nicoletta Braschi e outros
Gênero: Drama, Comédia, Guerra


Livro:


"O Jardim do Diabo" (Luis Fernando Verissimo)

O primeiro livro do Luis Fernando Verissimo que eu tive a oportunidade de ler foi o “O Jardim do Diabo”. Um livro agradável, com uma narrativa cativante, uma história surpreendente e muito bem contada. O livro é o primeiro romance do escritor, foi lançando em 1988 e relançado pela editora Objetiva em 2005. Mesmo escrevendo e lançando seus livros de história policial com certa frequência, Estevão está longe de ser um escritor renomado. Em seus romances o escritor segue uma fórmula que considera infalível: Por volta da página 40 tem a grande trepada e o encontro final com o vilão e o desfecho, a partir da 90. Numa referência ao escritor Joseph Conrad, seus personagens de uma forma ou outra, sempre se chamam Conrad. Outra caracterista do escritor é de assinar cada um dos livros com um pseudônimo americano e diferente. Estevão é o personagem principal e narrador da história. O seu mundo se resume a seu apartamento, onde passa a maior parte do tempo sentado na sua cadeira de rodas, ao lado da sua velha maquina de escrever e na companhia da Dona Maria, sua empregada doméstica, que tem o costume de ouvir as trágicas notícias do rádio no último volume todo dia. Há ainda Lília, uma moça que vem duas vezes por semana para a faxina, mas sempre acaba em sua cama. A vida monótona de Estevão começa a mudar a partir do momento em que ele recebe a visita inesperada do inspetor Macieira. O motivo é devido a um assassinato que ocorreu antes do livro “Ritual Macabro” - escrito por Estevão – ser lançado. Porém o que intriga o inspetor é o fato de que a cena do crime é idêntica à cena descrita no livro. A partir desse momento a ficção e a realidade se misturam de tal maneira, que fica difícil identificar onde começa uma e termina a outra. Com isso Estevão se vê como um personagem dentro da sua própria história, a partir daí o escritor tenta dar continuidade ao “Ritual Macabro” e as aventuras de Conrad, mas agora atento aos acontecimentos publicados nos jornais, no rádio da dona Maria e tentando de alguma forma ligar os pontos citados pelo inspetor Macieira durante suas conversas. Verissimo cria um ambiente surpreendente, usando sua habilidade com as palavras para lidar com três situações distintas na mesma história. O resultado é uma narrativa alucinante, que prende a atenção do leitor do inicio ao fim. Com um vocabulário fácil e sem complicações, Verissimo põe o leitor na posição de testemunha, onde ele, juntamente com Estevão e o inspetor Macieira, tentam desvendar esse caso macabre


Musica: 
Nancy Ajram – “ Ya Ghalli”




Frase: 

“Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade” (Confúcio). 


Piada:

Libanês no leito de morte

Um libanês estava moribundo em seu leito de morte, quase não conseguia articular as palavras, e sua visão já não mais funcionava. Ele se sentia extremamente fraco e percebeu que iria morrer. A sua volta, sua mulher e seus filhos velavam por ele. Definhando, ele começou a chamar pelos filhos, mal conseguindo falar ou se mover:
- Mirna!
- Estou aqui, papai.
- Samir!
- Estou aqui, papai.
- Bechara!
- Estou aqui, papai.
- Adma!
- Estou aqui, papai.
- Salim!
- Estou aqui, papai.
Por fim ele deu um suspiro e chamou pela esposa:
- Mintaha!
- Estou aqui, querido!
O libanês levantou-se num pulo, retirando o cobertor de cima dele e deu um grito desesperado:
- Khara! E quem ficou tomando conta do lojinha??


Foto:
BAALBEK

Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário