Alimentos Funcionais



Alimentar-se bem é uma necessidade desde os tempos mais primórdios da humanidade, mas apenas agora é que vem acentuando e ficando mais evidente essa necessidade; há várias ações terapêuticas específicas dos alimentos funcionais. No caso das doenças cardiovasculares, por exemplo, destacam-se a soja, a aveia, os fitoesteróis, os antioxidantes e o ômega 3. Precisamos ficar atentos ao excesso de propaganda, em relação aos alimentos industrializados. O PROCON já distribuiu várias orientações a respeito, e os especialistas garantem que é muito melhor buscar as propriedades benéficas dos compostos bioativos nos produtos in natura. Eles lembram alguns cuidados que passam a ser peça chave na diminuição do risco de doenças e na promoção de qualidade de vida, desde a infância até o envelhecimento:

• Hábitos alimentares adequados, em termos calóricos e qualitativos, como o consumo de alimentos pobres em gorduras saturadas e ricos em fibras presentes em frutas, legumes, verduras e cereais integrais; 

• Adoção de um estilo de vida saudável (atividade física regular, ausência de fumo e moderação no álcool);

• Orientação médica adequada.

Soja - Possui fitoestrogenos, como as isoflavonas, que reduzem o mau colesterol (LDL) e as triglicérides, e aumentam o HDL. Podem ter ação preventiva contra vários cânceres, como os de mama, colo do útero, estômago, reto e próstata, e controlar os sintomas da menopausa. O óleo de soja não contém isoflavonas, porém, é rico em ácidos graxos poliinsaturados. Lembre-se que este e outros óleos vegetais, quando submetidos a altas temperaturas, como ocorrem nas frituras, aumenta seu teor de gorduras saturadas, prejudiciais à saúde. 

Alho - Possui vários fitoquímicos, como alicina, compostos sulfurados e outros. Tem ação antiinflamatória e ajuda no controle de colesterol, além de possuir atividades antivirais, antiparasitárias, antibacterianas e antifúngicas. Muitos estudos também têm demonstrado a ação hipotensora, antiplaquetária e hipoglicemiante do alho. Os compostos ativos do alho são sensíveis ao calor; portanto, a fritura ou os processos de secagem, mesmo preservando o sabor, reduzem sua ação de alimento funcional.

Cebola - Além de alguns compostos comuns ao alho, como a alicina, a cebola possui flavonoides, presentes também em vegetais de modo geral, e que podem auxiliar na redução de doenças cardiovasculares. É rica em vitaminas do complexo B, principalmente B1 e B2, vitamina C e quercetina (especialmente as roxas), um poderoso antioxidante.

Tomate - É rico em licopeno, um antioxidante com propriedades 
anticancerígenas, responsável pela cor vermelha. Assim como o tomate, a goiaba vermelha, a melancia e a pitanga também possuem licopeno. Cozido, o tomate tem potência ainda maior. É fonte importante de vitaminas A e C, de sais minerais, de fósforo e potássio. 

Brócolis, repolho, couve, couve-flor, couve de Bruxelas e nabo - Alimentos que pertencem à família das crucíferas, além de terem altos valores nutricionais, têm propriedades funcionais anticancerígenas, devido à presença dos fitoquímicos glicosinolatos. 

Peixes – Possui um tipo de gordura, o ácido graxo ômega-3, que atua tanto na prevenção da trombose coronária, quanto na cerebral. É comumente encontrado em peixes de águas frias (atum, salmão, arenque, sardinha, bacalhau). Além dos peixes, está presente também, em menor quantidade, no óleo de canola, de soja e em castanhas. 

Chá verde - Além de ser rico em vitamina K, possui compostos polifenólicos antioxidantes, como catequinas e flavóides, que ajudam na prevenção do câncer de estômago e do câncer em geral. 

Uva, suco e vinho - Possui um composto fenólico chamado resveratrol. Esta substância é produzida pelas videiras, para proteger as uvas contra infecção por fungos, sendo que a maior quantidade de resveratrol é encontrada nas uvas vermelho-roxas escuras, consequentemente nos vinhos tintos. Há ainda substâncias, como a luteonina e a quercitina, que também têm grande ação antioxidante, e protegem o coração. Estudos realizados no Instituto do Coração (Incor) têm demonstrado o efeito benéfico do suco de uva para a circulação.

Alcachofra e chicória - Possuem inulina, substância que tem a ação de favorecer o crescimento das boas bactérias no intestino, principalmente as bifidobactérias e lactobacilos, sendo, portanto, chamada de prebiótico. 

Leguminosas - Possuem baixo teor de gordura, e são excelentes fontes de proteínas, fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos como saponinas, isoflavonas e frutooligossacarídeos, com propriedades funcionais de antioxidantes, anticancerígenos e prebióticas.

Diante dos novos conceitos de nutrição, e do crescente interesse da indústria alimentícia no lançamento de produtos, o PROCON faz um alerta à população. Veja alguns itens:

• O consumidor pode beneficiar-se muito mais facilmente das qualidades funcionais das frutas, verduras e cereais integrais, do que dos alimentos industrializados. 

• Tenha cautela diante do marketing ostensivo que acompanha muitos desses produtos industrializados, avaliando os reais benefícios de seu consumo.

• Todo alimento in natura é, por princípio, funcional. Traz em si a essência dos benefícios alegados pelos fabricantes de alimentos funcionais. Sabe-se, por exemplo, que o ômega 3 (ácido graxo que pode reduzir o nível de colesterol) é encontrado em quantidades maiores em seu produto de origem, como atum, salmão, arenque, sardinha e bacalhau.

Yasmeen Chehayeb
GazetadeBeirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário