Cidade Fantasma Engolida no Deserto


Foto:amusingplanet.com 

Kolmannskop é uma cidade fantasma que foi construída no deserto da Namíbia em 1908, a poucos quilômetros da cidade portuária de Luderitz, habitada por alemães que foram atraídos para o local, em busca de diamantes no início do século. O nome da cidade remonta a um transportador chamado Johnny Coleman, que durante uma tempestade de areia, abandonou sua carroça de boi em uma pequena elevação frente à instalação. Em 1908, o trabalhador Zacharias Lewala encontrou um diamante, enquanto trabalhava nesta área e mostrou-o ao seu supervisor, o inspetor ferroviário alemão, August Stauch. Ao notarem que a área era rica em diamantes, os mineiros alemães se deslocaram e se estabeleceram na região, que passou a ser um campo de exploração de diamantes do governo alemão.

Em dois anos, a pequena vila, motivada pela riqueza dos primeiros mineiros de diamantes, foi construída no estilo arquitetônico alemão, com todas as comodidades: hospital, estação de energia, escola, salão de festas, boliche, teatro, salão de esportes, casino e fábrica de gelo, e o primeiro aparelho de Raios-X do hemisfério sul, assim como o primeiro bonde elétrico da África, que tinha ligação com a estação Ferroviária de Luderitz. Quando se tornou difícil encontrar diamantes na região, um novo campo de exploração, chamado de Elizabeth Bay, foi aberto a 30 km ao sul de Kolmannskop, onde a produção de diamantes era feita em grande escala industrial, em fábricas enormes. Muitos vagões de cargas de diamante com areia e cascalho eram levados para as instalações de recuperação, onde o material era peneirado e lavado em tambores enormes; a água necessária na utilização de lavagem era bombeada do mar. 

Cerca de 1000 quilates, que é de cerca de 200 gramas, de diamantes brutos eram extraídos diariamente. 10 toneladas de areia normalmente contêm apenas 1 a 2 quilates de diamante bruto. Mais de 1000 kg de diamantes foram extraídos antes da Primeira Guerra Mundial I. No entanto, a quantidade de pedras preciosas diminuiu muito depois da guerra. Além disso, os diamantes consideravelmente maiores foram encontrados ao sul, perto Oranjemund, transformando Kolmanskop numa cidade fantasma, assim como ocorreu em Elizabeth Bay, pouco tempo mais tarde.

O declínio do vilarejo se deu após a Primeira Guerra Mundial, quando o campo de diamantes se exauriu. Em 1954, a cidade foi definitivamente abandonada, e em 1980, para preservar parte do seu passado, a empresa de diamantes De Beers construiu um museu, dedicado unicamente a esta metrópole antiga. Atualmente Kolmannskop é um grande centro de atrações para turistas de todo o mundo, que querem ver a cidade fantasma, que está sendo engolida pela areia do deserto. Diversos fotógrafos internacionais também são atraídos para a extinta vila alemã, em virtude das belas imagens que podem ser feitas, de suas antigas e europeias casas engolidas pela areia. Devido à sua localização dentro da área restrita do deserto da Namíbia, os turistas precisam de uma autorização para entrar na cidade.


THERESE MOURAD
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário