Libanês adotado procura pais biológicos - Gazeta de Beirute
O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS DO ORIENTE MÉDIO NOTICIAS DO LIBANO, NOTÍCIAS DO LIBANO EM PORTUGUES- Brasileiros no Libano

Libanês adotado procura pais biológicos



Steven Sonneveld nasceu em Ashrafieh, em 1974, filho de pais desconhecidos, ele foi adotado por um casal de holandeses quando tinha dois meses, e descobriu aos cinco anos de idade que ele era uma criança adotada, porque ele percebeu a diferença de pele que ele tinha, e ao perguntar ao pai o porquê dessa diferença, o pai apenas lhe disse que ele veio do Líbano, e que eles não eram seus pais verdadeiros. Sem entender direito o que aquilo significava, ele continuou vivendo como uma criança normal, porém na adolescência, suas origens começaram a aflorar e ele foi vítima de diversos insultos e provocações na escola, segundo Sonneveld, as pessoas o olhavam e lhe davam nomes, por ele ter a pele mais escura que todos os demais, ele disse ter sofrido muito nessa fase, e vivia deprimido. 

Pouco tempo depois, ele deu início a sua própria saga de buscar seus pais biológicos libaneses, e encontrar respostas e informações sobre os motivos dele ter sido dado para adoção a um casal de holandeses. Sonneveld tem como prova de que ele nasceu no Líbano, apenas um documento em árabe em suas mãos, e sua ânsia em encontrar a verdade sobre sua história tem sido meta em sua vida, porém ele já viu que há muitos mistérios, e segredos não revelados, sobre as circunstâncias de sua adoção. 

Segundo Sonneveld, seus pais adotivos nunca conheceram seus pais biológicos, na época em que eles estavam procurando uma criança para adotar, eles consultaram alguns amigos holandeses que haviam acabado de adotar crianças do Líbano, de informação em informação, eles chegaram a uma libanesa que morava na Holanda e que os ajudou no processo. 

Sonneveld conseguiu rastrear essa libanesa, em 2010, e disse que ela se lembra de tudo, lembra-se dos pais dele, lembra-se dele, no entanto, ela disse que tudo isso havia acontecido há muito tempo atrás, e que ela não queria falar sobre isso, recusando-se assim, a dar-lhe maiores detalhes, o que frustrou Sonneveld profundamente, porque ele sabe que ela é a única pessoa que pode lhe falar mais sobre a sua adoção.  Ele decidiu vir para o Líbano, para tentar encontrar respostas, deu uma entrevista para a Al-Jadeed emissora de TV, na esperança de chegar até seus pais naturais, e numa segunda viagem ao Líbano, ele esteve no Ministério do Interior para tentar encontrar uma certidão de nascimento que pudesse dizer a que família libanesa ele pertencia, porque no documento que ele tem, já consta seu nome holandês. Sonneveld está muito atormentado com sua documentação, que inclusive ele descobriu ser falsificado, cujas pessoas mencionadas dos documentos, são fantasmas. 

Sonneveld conseguiu apenas rastrear o medico citado em seu documento, e teve dois encontros com o referido medico em Beirute, onde ele começou a questionar o motivo de haver tão poucas informações oficiais sobre seu nascimento, como o nome de seus pais, nome do hospital. Ele afirmou que no primeiro encontro, o médico o recebeu bem, e deu-lhe explicações generalizadas, de que era uma época de guerra, e que muitos documentos haviam se perdido e ele não conseguia se lembrar do caso dele. Entretanto, no segundo encontro, o referido médico já não o recebeu com tanta cortesia, disse-lhe que não sabia de nada, não podia ajuda-lo e o mandou embora, e Sonneveld achou muito estranho, que o médico envolvido em seu registro, tenha ficado tão irritado com perguntas tão simples, e ele sentiu que ele está tentando se esquivar porque de fato, deve existir um grande segredo por trás das circunstâncias sobre a sua adoção. 

Sonneveld conheceu uma libanesa que reencontrou sua mãe biológica, depois de ter sido tirada à força de sua mãe solteira, anos atrás, e de ter sido dada para adoção a um casal suíço. Desde então, ele passou a suspeitar que a sua adoção, também não tenha sido feita de forma legal e convencional, e que as pessoas que sabem a sua historia, estejam se recusando a contar-lhe, porque de fato existe um grande e misterioso segredo em torno de seu nascimento e processo de adoção. 

Em 2012, depois de ter sua historia exibida no canal LBC, uma família entrou em contato com ele via Facebook, e o “suposto” pai contou-lhe que ele havia se apaixonado por uma moça no início dos anos 70 e que em meados de 74 ela se relacionou com ela, que na época era solteira, e engravidou. Em virtude da incrível semelhança física dele com Sonneveld, ele pediu para fazer o exame de DNA, para saber se de repente, ele era o seu pai biológico, mas infelizmente o exame deu negativo.

E assim, Sonneveld continua a sua saga em busca de suas origens, mesmo diante de tantas dificuldades, mistérios e segredos não revelados, porque ele tem esperanças de encontrar seus pais biológicos em algum momento, e espera que quando ele os encontrar, eles também estejam receptivos em promover um encontro com ele. Sob o pseudônimo “Steven A. Fuente”, Sonneveld escreveu um livro intitulado “Escravo de seus próprios pensamentos”, onde ele descreve o impacto que a adoção causou em sua vida.

Se você conhece alguém com os traços de Steven Sonneveld, ou escutou alguma história que coincida com a dele, ou acha que conhece alguém que possa ser a mãe ou o pai desse jovem libanês, que foi dado para adoção a um casal holandês, entre em contato com ele.

Perfil de Steven Sonneveld no Facebook: 

  





Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on :

0 comments:

Postar um comentário

Foto Da Semana

Creative Commons License © Copyright 2011 - Some rights reserved | Powered by Blogger.com.
Template Design by Herdiansyah Hamzah | Published by Borneo Templates and Theme4all Subscribe via email Gazeta de Beirute