Primavera Árabe ou radicalismo Islâmico?


Foto: internacionalistas.org

Como interpretar a chamada Primavera Árabe? Povos de países árabes tentando conquistar a sonhada liberdade, onde nos mesmos, não era permitido nem mesmo a liberdade de expressão. Eu quero dizer, com liberdade de expressão, que nesses países era extremamente proibido falar em política, religião, ou até mesmo se opor contra o regime do governo, mencionar as falhas, corrupções e falar em democracia. 

Lógico que isso é inaceitável, pois a liberdade de expressão é um direito de qualquer ser humano, em qualquer lugar do mundo, mas de que maneira conquistar a liberdade? A guerra e a destruição levam a liberdade? Na luta pela liberdade, é necessário roubar, violentar, destruir e matar? E fica a pergunta: Isto é a liberdade e a democracia?

Vou começar pelo Iraque, como todos nós sabemos o Iraque era um país muito rico em petróleo, onde apenas 5% da população eram pobres, e o país era constituído por pessoas de varias religiões, assim como também a paz reinava no país. Obviamente o país era governado por um ditador, e o regime necessitava de muitas melhoras e mais liberdade. Mas o Iraque conquistou a liberdade? O que acontece nesse país hoje?

Diariamente há ataques terroristas e mortes no Iraque, cada Líder forma um grupo de seguidores, e os reforça com armas de fogo, e assim cada um comanda uma parte do país, matando civis inocentes, destruindo santuários religiosos, demolindo o país cada vez mais. Onde estão os Cristãos do Iraque hoje? Abandonaram suas casas, suas vidas, e atualmente vivem como refugiados, passando necessidades em outros países, enquanto antes da guerra, eles eram pessoas que viviam em sua terra, suas casas, e com dignidade. Quantas pessoas morrem por dia no Iraque? Onde esta a riqueza do país hoje?

Atualmente o Iraque vive em constantes conflitos internos, bombardeios, sem autoridades, como se tornou um país pobre. Quem se beneficiou com isso? O povo ou os EUA? 

Agora vamos falar um pouco da Líbia, que era um país que vivia nas mesmas condições, sob a ditadura, que também, por coincidência, era um país muito rico. O povo se rebelou contra o ditador Kadhafi, houve uma grande revolução, onde também caiu muito sangue, morreram muitas pessoas, inclusive o ditador, e o povo festejou a vitoria. Alegaram na época, que depois de muito sofrimento venceram, conquistando a sonhada liberdade, e que tudo iria mudar, com a conquista da liberdade e da democracia. 
Mais uma vez pergunto: Onde esta a tal liberdade e democracia hoje? A Líbia hoje vive em paz? Infelizmente não, pelo contrário, vivem em constantes conflitos internos, onde as religiões querem comandar, ou seja: uma constante guerra civil, onde os fanáticos religiosos querem governar, o mesmo que ocorre no Iraque, sem mencionar a riqueza da Líbia. Onde foi parar toda aquela riqueza? Quem se beneficiou? O povo líbio ou, mais uma vez, os EUA?

Vamos falar um pouco do Egito, onde se repetiu a mesma coisa. Um povo lutando por liberdade, e contra a corrupção, e que não se conformava com a presença de Israel no país, querendo que a Embaixada de Israel fosse retirada do Egito. Houve também uma grande revolução, uma guerra feia, onde infelizmente, o número de vitimas foi muito grande. O povo pagou um preço muito alto. Conquistaram a liberdade, ou a democracia? Conseguiram remover a Embaixada de Israel do país? 

No Egito nada mudou até o presente hoje, a Embaixada de Israel continua no país, como o país também, infelizmente, continua a ser um povo governado pela ditadura, mas por outro ditador, onde até a liberdade da mídia, é proibida, assim como as cenas de amor em filmes, também foram proibidos. Lembrando que, o Egito era o primeiro, e maior país do Oriente Médio, na produção do cinema árabe. E eles não conquistaram nada, somente conflitos diários entre a oposição e os islâmicos radicais, que se recusam a aceitar qualquer oposição aos mandatos do atual presidente, tudo gera destruições, inclusive de igrejas, só há conflitos, e mortes constantes.

E por fim, vamos falar da Síria, que atualmente vive uma grande guerra civil, e aqui, como podem perceber, eu não usei a palavra “revolução”, eu usei “guerra civil” mesmo.  Mas qual a diferença entre as duas palavras? Revolução é quando o povo de um país se rebela contra o regime do governo. E não quando guerreiros estrangeiros decide lutar contra o regime de um país, alheio. Novamente vem à tona o fator “lutar pela liberdade e democracia, contra a ditadura”. 

Claro que o Presidente da Síria, também é um ditador, e esse país também necessitava de muitas melhoras, mas vamos relembrar, que a Síria também que era um país de grande produção autônoma, que não necessitava importar nada do exterior, porque se mantinha com a própria produção nacional, um país... Também rico! 

Hoje o povo quer liberdade, reclama por democracia, mas a liberdade e a democracia consistem em sequestrar pessoas inocentes?Em roubar, violentar, destruir e matar? Eu, pessoalmente, há pouco tempo atrás, entrevistei uma família de refugiados sírios, onde a mãe e as duas filhas de 11 e 15 anos foram estupradas, espancadas e torturadas por serem cristãs. E todos estão a par também do recente sequestro dos dois Bispos. 

Não se esquecendo de citar também, sobre as várias declarações, divulgadas nos canais de TV, nas redes sociais, por esses radicais islâmicos, que afirmam que eles querem transformar a Síria, em um Santuário islâmico, sendo que a Síria sempre foi conhecida por sua miscigenação religiosa, onde todos conviviam em paz e harmonia, prezando o respeito ao próximo. E hoje, as pessoas são mortas por apoiarem o regime, por serem cristãs, ou por se oporem as atitudes criminosas da oposição, é isso a chamada democracia e liberdade? 

Eu tenho muitos amigos islâmicos, o islã é uma religião que eu respeito muito, porque sei que todos esses crimes cometidos pelos radicais fanáticos, nada tem a ver com o islamismo, que também é uma religião que prega o amor ao próximo, prega a paz, e o perdão. O que esses fanáticos islâmicos estão fazendo é pecado, em todas as religiões, é desumano e é crime!

E fica a pergunta: Quem está se beneficiando com tudo isso? O povo sírio, onde diariamente morrem pessoas inocentes? E o país sendo impiedosamente destruído? Não é verdade que a Síria é uma grande inimiga de Israel? Isso é primavera árabe? Guerra, morte, violência e destruição? 

Na Tunísia e no Iêmen, aconteceram as mesmas coisas, exatamente como nos países que eu citei acima, todos os países, ditos envolvidos na “primavera árabe”, não colheram nenhuma “flor” com essa tal de primavera árabe em busca, da liberdade e da democracia, colheram apenas “espinhos” e dor. Só perderam, sofreram, e se afundaram.  

Não é muita coincidência, que os EUA, estejam sempre envolvidos em todas essas guerras, com a ridícula desculpa, de estarem tentando “ajudar” o povo, a conquistar a liberdade? 
Soa tremendamente hipócrita, principalmente, quando existem outros países, vivendo sob o mesmo regime ditador, também com normas rígidas e inflexíveis, mas sem que eles movam um dedo contra.
Por quê? Porque esses países são fiéis aliados dos EUA, cúmplices e parceiros em tudo; é o caso do nosso malfadado vizinho: Israel. 

Todos nós sabemos que os EUA apoiam os guerrilheiros fanáticos na Síria, eles os apoiam com armas, com dinheiro, e com treinamento. Mas nos EUA, essas mesmas pessoas são chamadas de terroristas! Esses fanáticos se forem pegos pelas autoridades norte americanas, são condenadas a prisão perpétua, ou até mesmo, à pena de morte, mas em outros países, os EUA os chamam de opositores. E obviamente, pimenta somente arde nos meus olhos... Nos olhos dos outros, refresca! 

Mas está muito claro que eles resolveram se aproveitar da guerra na Síria, para acabar com esses fanáticos, de uma vez por todas, pois na maioria das vezes, em uma guerra como esta, dificilmente alguém retorna com vida. Quem não se lembra do terrorista Osama Bin Laden? Ele foi treinado pelo CIA americana, dentro dos EUA...  E Sadam Hussein? Ele era um grande aliado dos americanos, e sempre foi apoiado pelos EUA, mas quando eles perderam o controle sobre suas “criações”, passaram a considerá-los como terroristas perigosos, e inimigos, simplesmente porque eles se voltaram contra o governo americano.  

Relembrando o último atentado a Boston, quando as imagens das vitimas foram divulgadas na mídia, milhares de lagrimas caíram, mas diariamente são divulgadas dezenas de imagens do povo palestino, mortos e massacrados por ataques de Israel, mas ninguém se comove, nem derramam uma lagrima sequer, como se essas mulheres e crianças palestinas fossem insetos, e não seres humanos. 

Eles vivem à margem da sociedade, expulsos e massacrados de seu próprio país, há mais de 60 anos, mas isso não comove ninguém! Existe uma explicação para tudo isso, os EUA irão à falência se um dia não houver mais guerras, pois o governo americano vive da venda de armas, vive de guerras, cada guerra, eles entram no país onde a guerra ocorre, colocam as mãos nas riquezas do país em questão, e ainda ganham mais milhares de dólares, com a venda de armas, para os países em guerra. 

Se a paz reinar no mundo, será o fim dos EUA. Agora eles estão apoiando e incentivando até o radicalismo islâmico, mas se esse radicalismo chegar aos EUA, certamente, eles irão se defender, e confrontar os mesmos fantoches, que hoje eles apoiam... 

Será que isso tudo, pode ser chamado de “Primavera Árabe”? Ou deveria se chamar “Primavera Vermelha” (de sangue)?

Autoria: Therese Mourad
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário