A mandioca


A mandioca é uma raiz fonte de carboidratos, e bastante calórica, porém, por mais incrível que pareça, a mandioca pode ser uma excelente aposta para quem deseja lutar contra a balança e perder uns quilinhos. Graças às suas fibras, os carboidratos são transformados em energia e, com isso, a fome é regulada, assim como o intestino, combatendo o inchaço abdominal. O ideal é que a mandioca substitua a batata, o arroz e a massa. Mas, claro, a mandioca tem benefícios também para quem não está de dieta. 

Ela é também, excelente para a visão, mucosas e no combate ao envelhecimento da pele, pois a raiz é fonte de licopeno e betacaroteno, que são antioxidantes que atuam no combate ao envelhecimento da pele. A mandioca alto valor energético (cada 100 g possui 150 calorias), e também sais minerais (cálcio, ferro e fósforo), amido, vitaminas C e do Complexo B, principalmente a vitamina B3 (niacina), além de boa quantidade de potássio, sem citar que não possui proteínas e nem gorduras. O cálcio, outro componente na mandioca, além de cuidar da saúde dos ossos, evita o acúmulo de gordura dentro das células.

É fonte de fibras vegetais, e ajuda no trânsito intestinal, rico em amido, tem a vantagem de poder ser consumido por pessoas celíacas (que tem intolerância ao glúten), já que não contém glúten. A mandioca é um substituto ideal para usar trigo, centeio ou cevada, que são muito usado popularmente alimentos que contenham glúten. Um bom substituto para a farinha de trigo, farinha de mandioca é, mais nutrientes, sem glúten. Mesmo produtos produzidos de farinha de mandioca, tais como macarrão ou massas, são isentos de glúten. Assim, usando farinha de mandioca garante que você pode desfrutar de todos os tipos de alimentos, o tempo todo manter uma dieta sem glúten.

Excelente fonte de saponinas, que  são muito eficazes contra o colesterol e também atuar como antioxidantes e agentes anti-inflamatórios. Em geral, sua presença ajuda com a gestão dos níveis de colesterol, reduzindo os níveis de acidez no corpo e quebrar resíduos mais rapidamente. Uma vez que mandioca tem este nutriente químico útil em grandes quantidades, todos os benefícios de saponinas podem ser tidos através da ingestão de raiz em si.

Tem um nível elevado teor de manganês, que é um nutriente muito importante para o corpo humano. Ele ajuda na melhoria do funcionamento mental de um indivíduo, bem como ajuda na digestão e absorção dos alimentos. O manganês é disponível em pequenas quantidades em alimentos e está completamente apagada dos modernos alimentos processados e fast, tornando a mandioca uma fonte útil para o seu consumo.

A mandioca é a base, da alimentação de muitas tribos de índios do Brasil, e de acordo com a região do país ela possui nomes diferentes, como:

Português: Macaxeira, aipim, castelinha, macamba, manduba, manuba, 
maniva. 

Espanhol: Yuca, pan de yuca, mandioca, mandiaco, manioca, manoco, mancobra, tapioca, sagu.

Francês: Manioc, cassava, pain des negres, saou Blanc.

Inglês: Bitter, cassava, mandioca, manior, yucca.  

A mandioca-brava é uma espécie venenosa, e não pode ser consumida sem a retirada do veneno. A mandioca pode ser transformada em farinha, que é uma das formas mais utilizadas na culinária brasileira e africana, e a tapioca, um alimento de origem indígena, é produzida com a farinha de mandioca, assim como o polvilho, também é produzido a partir da mandioca. Além dessas formas, a mandioca ainda pode ser consumida em: beijus, sopas, pirões, mingaus, e bolos.

Essa raiz tuberosa possui propriedades que ajudam a aumentar os níveis de serotonina, responsável pela sensação de bem estar, no nosso cérebro. Ela ainda ajuda a manter os ossos saudáveis, e a controlar os impulsos nervosos. Além das funções nutricionais, a mandioca pode ser utilizada para o tratamento externo de artrite, edemas e abscessos. 

 No entanto, não é recomendável a sua ingestão quando crua, devido à presença de uma enzima de ácido cianídrico, que a torna intragável. Por isto deve ser bem cozida ou frita, antes do consumo. A mandioca é muito utilizada para preparar purês, fazer farinha, tapioca, tacacá e até mesmo algumas bebidas (cauim, tiquira). A mandioca é matéria-prima de duas receitas típicas do Pará: com um caldo amarelo extraído da mandioca e cozido por dias, é preparado o tucupi; com suas folhas e carne de porco salgada se prepara a maniçoba.

Suas folhas contêm um teor altíssimo de proteínas, minerais e vitaminas essenciais ao corpo humano e por isso também são consumidas por diversos fins. Na África, por exemplo, as folhas de mandioca representam uma parte significativa na dieta alimentar da população, por combater a desnutrição, pois as folhas são ricas em ferro. Vale ressaltar que a Nigéria, país africano, é o maior produtor mundial de mandioca.

Devido à sua composição, a mandioca pode ser muito benéfica para a nossa saúde e colaborar efetivamente no combate à diversas doenças. Por suas funções cicatrizantes, diuréticas, antissépticas e emolientes, a mandioca é usada no tratamento de:

Feridas;
Conjuntivite;
Diarreia;
Disenteria;
Inflamações em geral;
Cansaço;
Insônia;
Além de abrir o apetite.

Como usar: 

As folhas moídas e tostadas servem como complemento alimentar, por fornecer cálcio, ferro e vitamina A;
A farinha da mandioca pode se usada para amenizar a diarreia;
O chá da raiz funciona como calmante e favorece o sono;
O suco da mandioca brava ajuda a abrir o apetite;
Para cicatrizar feridas, se utiliza cataplasmas da raiz fresca.

As indústrias de cosméticos também apostaram em todos os benefícios que essa raiz possui. Podemos encontrar no mercado várias linhas para cabelos com xampu, condicionador e máscara, que prometem brilho, maciez e auxílio no crescimento.

Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário