Autores do atentado na Turquia são cidadãos Turcos


Foto: Mnoto1

Os nove suspeitos detidos, por ligações com as explosões ocorridas na cidade turca de Reyhanli, na fronteira com a Síria, são todos cidadãos da República da Turquia, declarou o Vice Primeiro-Ministro turco, Beshir Atalay, numa coletiva de imprensa realizada na província de Hatay. Inicialmente, as autoridades turcas tinham acusado os serviços secretos sírios pela realização dos atentados. 

A explosão ocorreu quatro dias antes, da visita do Primeiro-Ministro turco Tayyp Erdogan aos EUA, e do seu encontro com o Presidente Barack Obama. De acordo com Al-Zoubi, isso permite suspeitar que Erdogan irá tentar inviabilizar a Conferência Internacional Para a Síria. No dia 7 de maio, o Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, e o Secretário de Estado dos EUA, John Kerry tinham apelado à realização da Conferência.  

Segundo os últimos dados, a explosão dos dois automóveis, resultou na morte de 46 pessoas, e 140 feridos, sendo mais de 20 feridos em estado grave. Os atentados da Turquia podem ter sido realizados por grupos extremistas dos mais diversos, considera o analista Serguei Demidenko, do Instituto de Avaliação e Análise Estratégica: “Tanto podem ter sido os separatistas curdos, como os fundamentalistas islâmicos, como radicais de esquerda. É completamente evidente que, na atual situação, Damasco é último a estar interessado em realizar atentados terroristas em território turco”. 

Ao Congresso dos EUA foi apresentado um projeto-lei, que recebeu o nome de “Ato de Estabilização da Síria de 2013”, que visa sancionar o fornecimento de armas à “oposição síria armada”. A Turquia se reserva o direito de tomar “quaisquer medidas de retaliação” depois da série de explosões em Reyhanli, declarou o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, durante a sua visita a Berlim. 

A política turca vem sofrendo um revés indiscutível em relação à Síria, afirmou o Diretor do Centro para o Oriente Médio e Cáucaso do Instituto Internacional para os Novos Países, Stanislav Tarasov: “A Turquia tem duas hipóteses: Ou apoia os comunicados de Genebra, que também assinou, e começa a traçar o caminho negociável, ou terá de se afastar. Neste último caso, a Turquia ficaria de fora do processo de paz. Se analisarmos o atentado, a partir desse ponto de vista, então ele será realmente a manifestação de certas forças regionais, que visam o fracasso da nova Conferência Internacional Para a Síria”.


Therese Mourad
Gazeta de Beirute
Texto: Voz da Rússia e Ultimo segundo
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário