Celebração da Libertação marcada por críticas ao Hezbollah

Foto: Naharnet

Durante a cerimônia dos 13 anos do fim da ocupação israelense no Líbano, realizada na última sexta-feira no Ministério da Defesa, o Presidente Michel Sleiman fez uma clara referencia ao envolvimento do Hezbollah no conflito sírio. 

Sleiman declarou que a resistência não deveria permitir que o Líbano mergulhasse numa violência sectária, dentro ou fora de suas fronteiras, e desapontado, disse o Líbano não colheu nenhum fruto dessa almejada libertação, porque as terras foram liberadas, porém não as mentes, que continuam dependentes do sectarismo, que assola o país. 

"Libertação e resistência são os frutos do pensamento nobre, com base no reconhecimento de práticas jurídicas, constitucional e democrática. Como pode uma nação como o Líbano fornecer um exemplo maravilhoso de resistência e sacrifício, ao mesmo tempo em que promove diferenças sectárias?", disse Sleiman.

A indignação declarada do Presidente do Líbano, veio na sequencia da ofensiva em Qusair, há 10 km da fronteira com o Líbano, onde dezenas de militantes do Hezbollah foram mortos em combate, gerando uma nova rodada de violência em Trípoli, entre defensores e opositores do regime sírio. 

Jean Kahwagi, o General Comandante do Exército libanês, disse que suas tropas puderam proteger o país de ameaças locais e externas, e que o Exército do país é o único capaz de proteger a pátria de ambos os terrenos, e que a força libanesa não permitirá que ninguém empurre o país para fora de suas funções e conspiradores se aproveitem para prejudicar o Líbano.

 O Primeiro-Ministro Tammam Salam, afirmou que a libertação não teria sido alcançada, sem a ousadia da resistência, iniciada em 1982, em Beirute, após a invasão israelense, e que a libertação do sul em 2000, representou a glória e o orgulho de todos os libaneses. 

Tammam Salam disse ainda, que a resistência não deveria se sujeitar a conflitos internos após essa longa batalha de libertação, e deveria continuar apontando suas armas para a direção certa (Israel), por ela representar a verdadeira fonte de perigo à nação. Salam terminou seu discurso saudando todas as vidas ceifadas em pro da libertação do território libanês. 


Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário