Cereja



A cereja, nome científico é Prunus Avium, é uma das frutas mais românticas. Você as encontra, invariavelmente, nos cartões de cumprimentos, em poemas 
e em histórias de amor, e as flores de cerejeira estão associadas ao 
casamento, nascimento, mudanças e até mesmo a morte. 
Predominantemente, de países frios, as cerejas têm uma aparência e um 
sabor maravilhoso. A sua cor vibrante e o sabor picante são apenas 
indicadores dos benefícios de saúde, igualmente vibrantes e mágicos, que contém nestes pequenos frutos.

A cereja é um fruto de origem asiática, que possui mais de 100 tipos diferentes, algumas são comestíveis e podem ser consumidas in natura, ou em conservas e doces, além das variedades mais ácidas, que são utilizadas na fabricação de bebidas. Ela foi introduzida na Europa há mais de 20 séculos, com grande produção, por se adaptar ao clima frio. Por esse motivo, o plantio no Brasil é quase inexistente, sendo a maior parte do mercado suprida pela importação vinda do Chile.

Composição nutricional: Sua composição nutricional é surpreendente. Ela fornece ao organismo, lipídeos, cálcio, fósforo, ferro, carboidratos, vitaminas A, B1, B2, C, niacina e flavonoides, responsáveis pelo combate aos radicais livres, que causam o envelhecimento das células. Seu consumo pode auxiliar na redução de ácido úrico, aliviar dores no corpo, e melhorar o trânsito intestinal.

Além de todos os benefícios oferecidos pela cereja, ela é rica em antocianinas, que dão a coloração avermelhada à fruta. Essa substância, ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue de quem tem diabetes do tipo 2, e também possui quercitina, uma espécie de anti-inflamatório natural, e anti-histamínico (que serve para aliviar sintomas alérgicos). Esta substância possui propriedades anticarcinogênicas, antivirais, e influenciam na inibição de cataratas em diabéticos.

Algumas variedades de cereja: Elegeu-se a variedade Burlat, como referência na descrição das variedades. Os seus valores intermédios, tanto em tamanho do fruto, como na cor das folhas, tornam-na ideal.

Bigarreau Tardif de Vignola: Esta variedade é de origem italiana; a árvore é de porte ereto e de grande vigor, seu fruto é grande e firme ao tato, adquirindo na maturação, uma cor púrpura escura. A sua maturação é tardia, e tem como característica o fato dos frutos dificilmente racharem.

Burlat: As folhas desta variedade são serrilhadas, verdes, um pouco compridas e pontiagudas, sua pele vermelha é escura ou púrpura, um pouco enrugada, e de tamanho médio. A polpa é de cor vermelho intenso, com sabor açucarado, sumarenta e firme. É de maturação precoce. Como é autoincompatível necessita de um polinizador.

Heldenfingen: As folhas são também serrilhadas, de cor verde mais intenso que a ‘Burlat’, e menos largas na sua base, sendo também pontiagudas. A cereja é negra, ou quase negra, ligeiramente alongada e de tamanho médio. A polpa é de cor vermelho intenso, e em relação à variedade anterior, possui um sabor menos intenso, uma menor quantidade de sumo, e uma menor firmeza. A maturação é tardia, ou muito tardia, e a planta é autoincompatível.

Napoleon: Folhas serrilhadas, compridas, alongadas, pontiagudas e de cor verde parecida com a variedade Burlat. Tem uma cor característica, mistura entre vermelhão e o amarelo, e o seu tamanho é maior que o das duas variedades anteriores. O fruto tem uma forma alongada, e é mais sumarento que o da ‘Heldelfingen’. A época de maturação é tardia, e é uma variedade autoincompatível.

Sam: Folhas serrilhadas, de um verde parecido com o da variedade Burlat, mas, mais finas na base, são compridas, e acabam em ponta pronunciada. A cereja tem a pele negra, e o seu tamanho é semelhante ao da variedade Burlat. Tem forma de coração, é mais sumarenta que a ‘Heldelfingen’, e tem um sabor ácido. A época de maturação é média a tardia, e é uma variedade autoincompatível.

Schneider: Originária da Alemanha, esta variedade cresce numa árvore muito vigorosa, apesar do seu porte ser menos ereto que o da variedade anterior, e tem uma boa produtividade. O fruto é grosso, mas bastante tenro, e é de cor púrpura. Tem uma maturação precoce, mas não tanto como a ‘Burlat’.

Stark Ardy Giant: Teve origem nos EUA, e é uma árvore vigorosa, e com uma boa produção, que nos oferece um fruto de uma grossura considerável, de cor púrpura escura, e de polpa firme. Colhe-se a meio da temporada e tem uma característica importante na hora de eleger a variedade, a sua resistência a rachar.

Stella: Esta variedade é bastante importante pelas características, como polinizadoras, utilizando-se para fecundar as outras variedades, que são autoincompatíveis. A cor do fruto varia entre muitas tonalidades, passando pelo laranja, vermelho e até púrpura. A maturação ocorre um pouco mais tarde do que a da ‘Burlat’.

Origem da cereja e Produção: Acredita-se que a origem da cereja se deu em algumas zonas da Europa. Países como os EUA ou a Alemanha são importantes produtores, onde por ano, em todo o mundo, produzem-se mais de 2.000.000 toneladas de cerejas. Não se sabe com exatidão o local de proveniência, mas acredita-se que a origem da cereja doce deu-se na região compreendida entre o Mar Negro e o Mar Cáspio, e a da cereja ácida, entre os Alpes Suíços e o Mar Adriático. No entanto, encontraram-se textos muito antigos na China, onde tem descrito um fruto semelhante à cereja, e por isso pode ter sido aí o local de origem deste fruto, e a partir daí, os romanos ou os gregos, transportaram-no até às nossas terras.

Os 10 principais países produtores são: Irã, EUA, Turquia, Itália, Alemanha, Espanha, Líbano, Romênia, França e a Federação Russa.

Os benefícios de saúde de cereja incluem o seguinte:

Envelhecimento e radicais livres: Como todas as outras bagas, as cerejas também são armazéns de antioxidantes, como vitamina C e flavonoides. Eles, efetivamente, neutralizam os radicais livres e protegem-nos de todas as doenças associadas ao envelhecimento, ou à ação dos oxidantes, como o enfraquecimento do coração, e do sistema nervoso, a perda de visão, a degeneração muscular, a perda de cabelo, o enrugamento da pele, a perda da libido, o câncer de cólon, da próstata, insônia, distúrbios nervosos, e muitos outros. Os antioxidantes, como carotenoides e os flavonoides (antocianinas), reparam os danos causados pelos radicais livres.

Infecções e imunidade: Além de proteger contra os danos dos radicais livres, os antioxidantes (vitamina C, carotenoides e flavonoides) também aumentam a imunidade, e nos protegem de infecções bacterianas, virais e fúngica, particularmente as de cólon, do trato urinário, dos intestinos, do sistema excretor, tosse e constipação. Eles também são muito eficazes para dar proteção contra a gripe e outras febres.

Cuidados com os olhos: Mais uma vez os antioxidantes. Eles protegem os olhos contra todos os danos dos radicais livres, e do envelhecimento, como perda de visão, a degeneração macular, bem como aliviam a secura os olhos, reduzem a inflamação, e ajudam a manter a tensão ocular adequada. Eles também protegem os olhos de infecções comuns.

Função cerebral e sistema nervoso: Os flavonoides e carotenoides são muito eficazes na melhoria da eficiência do cérebro, melhorando a memória, e mantendo o cérebro ativo, que fica de certa maneira reduzido, devido à ação dos radicais livres e do envelhecimento. Assim, aqueles que têm medo de vir a ter um cérebro apático, e com pouca memória na velhice, devem começar a comer cerejas. As propriedades antioxidantes destas cerejas, também protegem o sistema nervoso de distúrbios relacionados com a idade. Assim, elas podem ser úteis no tratamento de distúrbios do sistema nervoso, como o Alzheimer, o Parkinson, a depressão, a decepção, a ansiedade, o stress, etc.

Obstipação e digestão: Enquanto as fibras nas cerejas ajudam a aliviar a obstipação, os ácidos ajudam na digestão, novamente, os antioxidantes que mantêm o sistema digestivo em ordem. Os flavonoides estimulam os sucos digestivos, bílis, e as vitaminas que ajudam na absorção adequada dos nutrientes.

Câncer: Os flavonoides, carotenoides e as vitaminas, como as vitaminas A e C, são extremamente bons anticancerígenos. São eficientes em inibir o crescimento das células cancerosas, e assim evitam o desencadeamento de novos tumores cancerosos, sendo os radicais livres os principais culpados.

Doença cardíaca: As cerejas possuem nutrientes que são excelentes cardioprotetores, tais como vitaminas, antioxidantes (flavonoides e particularmente carotenoides), e minerais como fósforo. Eles protegem o coração de quase todos os danos causados pelos oxidantes, ajudam a regular o batimento cardíaco, evitam o endurecimento dos vasos sanguíneos, e reduzem o colesterol e a tensão arterial, além de reduzir o risco de ataques cardíacos. E também fortalecem os músculos cardíacos.

Outros benefícios: Quanto mais escura a cerejas forem, mais saudáveis e benéficas serão, porque serão mais ricas em antioxidantes. A frutose nelas presente, dá energia sem prejudicar os pacientes com diabetes. Elas evitam infecções orais, e mantêm afastado, o mau hálito. Os ácidos e flavonoides das cerejas são bons aperitivos. Eles são mesmo eficazes na proteção contra infecções sazonais, como tosse e constipação, varicela, papeira, sarampo, etc.

Dicas: Coma as cerejas frescas. Ao cozinhá-la parte das antocianinas se dissolvem na água. Conserve-a na geladeira para prevenir a perda da vitamina C, presente nela. Os talos verdes são um sinal de que a fruta é fresca.

Consumo: A recomendação dos especialistas é de 50g a 200g (de 10 a 30 cerejas, em média) diariamente, e deve-se dar preferência às frutas frescas, que podem ser identificadas pela cor mais avermelhada e o cabinho mais preso. O consumo excessivo pode causar problemas estomacais, pois a cereja possui substâncias que estimulam a atuação de glândulas digestivas.

Lea Mansur
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário