O auxílio de um tcheco na difusão do samba

Foto: ramanavimana.blogspot (Frederico Figner e a lendária “Casa Edison”, no Rio )


Poucas pessoas sabem a história por trás do surgimento do samba, que antes da era das gravações, consistia na reunião de um grupo de pessoas numa roda, para cantar e se divertir. Não havia letras, apenas um refrão fácil para ser repetido, acompanhado de um verso improvisado. Porém com a chegada de um imigrante tcheco, em 1891, que desembarcou no Belém do Pará, trazendo na bagagem, um fonógrafo e alguns kilos de cera (matéria prima para gravar vozes), Frederico Figner, se tornou o pioneiro na gravação musical do samba no Brasil.

Figner costumava gravar algumas frases e cobrava das pessoas para ouvi-las, e naquela época, ouvir uma voz gravada num pedaço de cera, causava enorme admiração na população, o que levou 4 mil pessoas terem pagado para ver o estranho aparelho do tcheco, que falava. No ano seguinte, ele percebeu que o fonógrafo já havia perdido a interesse das pessoas, foi quando ele teve a ideia de levar o fonógrafo para as casas das pessoas, para que elas pudessem ouvir músicas em suas próprias residências, e assim, ele passou a importar vitrolas e discos. E para aumentar ainda mais as vendas, ele passou a contratar artistas cariocas conhecidos, para gravarem seus discos, e foi assim que o maestro Anacleto de Medeiros, o flautista Patápio Silva, e os cantores, Cadete e Baiano, se tornaram alguns dos primeiros músicos brasileiros, a terem gravações profissionais.  Suas músicas gravadas eram uma adaptação do que eles cantavam nas ruas do Rio, e quase nunca possuíam alguma tradição clássica, o que os tornaram os pioneiros, em todo o mundo, e não apenas no Brasil, na criação da música popular.

Assim, as musicas, passaram a receber letras, contando historias, com início, meio e fim, e após dez anos, as pessoas se habituaram a ouvir musicas saídas de uma máquina. Na sequencia, Ernesto Joaquim Maria dos Santos, mais conhecido como Donga, percebeu que a musica gravada havia se tornado o nicho principal de toda a produção musical, então ele compôs a musica “Pelo Telefone”, que foi montada com pedaços de várias outras músicas de sucesso na cidade, batizando esse estilo de trabalho, que acabou virando o gênero musical mais famoso do mundo: o Samba! A palavra e a música, de fato, já existiam, porem ele quis expandir o alcance que ela tinha, tornando-a popular, e ela sendo gravada, merecia um nome próprio. O samba foi criado dez anos antes do surgimento do Jazz, e o pioneirismo desses artistas brasileiros, ajudaram a influenciar o gênero, que mais tarde, se tornaria símbolo do país. Graças ao tcheco, que mal falava português, e que num estúdio de fundo de quintal, onde mal cabia uma banda inteira, permitiu que isso se tornasse possível, mesmo com tantas dificuldades primitivas daquela época, para a gravação de cilindros de cera.


Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute

Fonte: Jorge Caldeira, jornalista e historiador, para a revista, História Viva nº1, pp. 66-71, e 
ramanavimana.blogspot.
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário