24 de Junho - Dia de São João Batista - O santo festeiro

Hoje é o dia de São João Batista, conhecido no Brasil como o Santo Festeiro, por causa das manifestações, e celebrações, com muita dança e fogueira, fogos e diversão. Daí originou o nome da festa “Joanina“, ou “Junina”. 

João, era filho de Zacarias e Izabel, nasceu no dia 24 de Junho, na Judeia, e de acordo com algumas historias, ele nasceu em uma noite muito bonita, e que Izabel, para dar um sinal à prima Maria, mãe de Jesus, avisando-a que o bebê havia nascido, ergueu um mastro e acendeu uma fogueira, que pudesse ser vista a distância no deserto. 

Maria, em sua primeira visita ao bebê levou uma capelinha, um feixe de palha seca, e folhas de manjericão perfumadas.  Por isso o mastro, a fogueira, balões e fogos, simbolizam a tradicional Festa Junina.

São João recebeu o nome de Batista, porque realizava a pratica da purificação através da imersão na água, que chamamos de batismo, tendo inclusive batizado Jesus Cristo, nas águas do Rio Jordão. Esta prática tornou uma tradição no cristianismo.

João era um pregador, falava de amor e do reino de Deus, e assim, ele também não agradava os poderosos, principalmente, por denunciar problemas sociais. Por isso foi preso em uma fortaleza por 10 meses, a mando do Rei Herodes, e depois decapitado, atendendo os caprichosos pedidos de Salomé, a filha do Rei.

Um fato curioso é o nome de São João Batista ser citado nas três principais religiões: O Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. 

Para celebrar este dia tão feliz, nada como comemorar a Festa Junina, em homenagem a São João Batista. Para isso, aqui vão algumas cantigas em nome do santo.

Capelinha de Melão
Autor: João de Barros e Adalberto Ribeiro
Capelinha de melão, é de São João.
É de cravo, é de rosa, é de manjericão.
São João está dormindo, não me ouve não.
Acordai, acordai, acordai João.
Atirei rosas pelo caminho, a ventania veio e levou.
Tu me fizeste com seus espinhos uma coroa de flor.

Pedro, Antônio e João
Autor: Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago
Com a filha de João, Antônio ia se casar,
Mas Pedro fugiu com a noiva, na hora de ir pro altar.
A fogueira está queimando, o balão está subindo,
Antônio estava chorando, e Pedro estava fugindo.
E no fim dessa história, ao apagar-se a fogueira,
João consolava Antônio, que caiu na bebedeira.

Cai, cai, balão
Cai, cai, balão... Cai, cai, balão.
Aqui na minha mão. 
Não vou lá, não vou lá, não vou lá.
Tenho medo de apanhar. 

Balãozinho
Venha cá, meu balãozinho, diga aonde você vai.
Vou subindo, vou pra longe, vou pra casa dos meus pais.
Ah, ah, ah, mas que bobagem.
Nunca vi balão ter pai.
Fique quieto neste canto, e daí você não sai.
Toda mata pego fogo, passarinhos vão morrer.
Se cair em nossas matas, o que pode acontecer.
Já estou arrependido, quanto mal faz um balão.
Ficarei bem quietinho, amarrado num cordão.

Sonho de papel
Autor: Carlos Braga e Alberto Ribeiro
O balão vai subindo, vem caindo a garoa.
O céu é tão lindo e a noite é tão boa. 
São João, São João! Acende a fogueira no meu coração.
Sonho de papel a girar na escuridão
soltei em seu louvor no sonho multicor.
Oh! Meu São João.
Meu balão azul foi subindo devagar
O vento que soprou meu sonho carregou.
Nem vai mais voltar. 

Pula a fogueira
Autor: João B. Filho
Pula a fogueira Iaiá, pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar, olha que a fogueira já queimou o meu amor.
Nesta noite de festança, todos caem na dança alegrando o coração.
Foguetes, cantos e troca na cidade e na roça em louvor a São João.
Nesta noite de folguedo, todos brincam sem medo, a soltar seu pistolão.
Morena flor do sertão quer saber se tu és dona do meu coração.

Isto é lá com Santo Antônio
Autor: Lamartine Babo 
Eu pedi numa oração, ao querido São João
Que me desse um matrimônio
São João disse que não! São João disse que não!
Isto é lá com Santo Antônio!
Eu pedi numa oração, ao querido São João
Que me desse um matrimônio
Matrimônio! Matrimônio! Isto é lá com Santo Antônio!
Implorei a São João, desse ao menos um cartão
Que eu levava a Santo Antônio; 
São João ficou zangado, São João só dá cartão
Com direito a batizado!
Implorei a São João, desse ao menos um cartão
Que eu levava a Santo Antônio
Matrimônio! Matrimônio!
Isso é lá com Santo Antônio!
São João não me atendendo, a São Pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Disse o velho num sorriso: Minha gente, eu sou chaveiro!
Nunca fui casamenteiro!
São João não me atendendo, a São Pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Matrimônio! Matrimônio! Isso é lá com Santo Antônio 


Noites de Junho
Autor: João de Barro e Alberto Ribeiro 
Noite fria, tão fria, de junho
Os balões para o céu vão subindo
Entre as nuvens aos poucos sumindo
Envoltos num tênue véu
Os balões devem ser com certeza
As estrelas aqui desse mundo
As estrelas do espaço profundo
São os balões lá do céu
Balão do meu sonho dourado
Subiste enfeitado, cheinho de luz
Depois as crianças tascaram
Rasgaram teu bojo de listas azuis
E tu que invejando as estrelas
Sonhavas ao vê-las ser astro no céu
Hoje, balão apagado, acabas rasgado
Em trapos ao léu.

Olha pro céu, meu amor
Autores: José Fernandes e Luiz Gonzaga
Olha pro céu meu amor
Veja como ele está lindo
Olha praquele balão multicor
Que lá no céu vai sumindo
Foi numa noite
Igual a esta 
Que tu me deste
O teu coração
O céu estava
Todinho em festa
Pois era noite de São João
Havia balões no ar
Xote e baião no salão
E no terreiro o seu olhar
Que incendiou meu coração.  


Carla Mussallam Al Masri

Fonte: otempo; blogmarciafernandes.  
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário