A Língua Árabe

Foto: poliglotas da depressão

O Árabe é uma língua semita (expressão em Genesis da linhagem descendente de "Sem" filho de Noé), que inclui também, o hebreu, o cananeu, o siríaco, o aramaico, e várias línguas da Etiópia, como o amárico e o Tigrinya. 
O Árabe e o hebraico são as únicas línguas semíticas, que são usadas ainda hoje, tanto em sua escrita como em sua fala. Não se sabe ao certo, quando e onde, a língua começou a ser usada. Contudo, a língua árabe foi desenvolvida no que é hoje, o Iêmen e a Arábia Saudita, muito antes do nascimento de Cristo (não há nenhuma evidência disponível, a respeito de quão longe começou o desenvolvimento de qualquer das línguas semitas). 

Poetas pré-islâmicos árabes tinham desenvolvido uma linguagem de incrível riqueza e flexibilidade, apesar do fato de que muitos eram beduínos do deserto, e com pouca, ou nenhuma educação formal. O primeiro texto escrito em árabe, foi descoberto em gravações em pedras (Al manara) na Síria, e remota ao ano de 328 A.C. A língua turca empregou a escrita árabe até 1920. 
Várias línguas africanas e asiáticas, como o Suaíle e o Malaio, também têm utilizado a escrita árabe em alguns pontos. A escrita árabe é usada ainda hoje no Afeganistão, em alguns lugares da China, e áreas muçulmanas da União Soviética. Os países que falam o árabe abrangem a região do Norte da África e o Oriente Médio. No total são vinte e dois países oficialmente, que somados, formam uma população de mais de 340 milhões de pessoas. Não oficializado, são vinte e oito países falantes da língua, em virtude de alguns países ainda estarem requerendo seus domínios, como é o caso da Palestina e Somalilândia, entre outros. 

Em 1973, a ONU reconheceu formalmente, o status numérico político, religioso e cultural, quando o árabe foi declarado, a sexta língua oficial dessa entidade. Atualmente, o árabe já é a quinta língua mais falada do mundo. A linguagem de Deus (Allah), e do Profeta Mohammad, é falada por mais de 300 milhões de pessoas no mundo inteiro, onde muçulmanos reverenciam o árabe, como sendo a linguagem do Sagrado Alcorão. O Sagrado Alcorão tem preservado o árabe em sua mais pura forma, nos olhos dos muçulmanos, descrevendo-o como um livro árabe claro. O árabe usado no Sagrado Alcorão, é conhecido como árabe Clássico. O árabe padrão moderno é utilizado na escrita formal de textos comerciais, jurídicos e escolares, e em jornais, por ser de aspecto formal. No árabe Coloquial, ou seja, falado, são muitas as diferenças encontradas no mundo árabe. 

Por exemplo, um falante da língua árabe do Egito, muitas vezes não consegue entender o que um falante árabe de Marrocos quer dizer. Isso se dá, principalmente, pela interferência de outras culturas no país, como no caso de Marrocos, Algéria, Tunísia, a interferência da cultura francesa. Portanto, o dialeto mais conhecido no mundo Árabe é o dialeto egípcio, por seu grande número de filmes e seriados produzidos para a TV, e sua variada quantidade de cantores e videoclipes, largamente divulgados na internet e TV. A diferença entre o árabe padrão moderno e o árabe coloquial (diferença entre falar e escrever) é chamada de Disglossia, ou seja, duas línguas ou registros linguísticos, funcionalmente diferenciados que coexistem, sendo que o uso de um, ou de outro, depende da situação comunicativa. 

A coisa mais importante, a saber, sobre a língua árabe, é que, como outras línguas semíticas, sua base encontra-se no sistema de raiz consonantal. Ou seja, quase todas as palavras na língua são derivadas de uma ou outra raiz, que geralmente é um verbo. Esta raiz quase sempre, consiste de três letras. Ao fazer alterações nas letras de raiz, adicionando uma letra para o início da raiz, mudando as vogais entre as consoantes, ou a inserção de consoantes extras,  palavras novas, com novos significados são produzidas. Em árabe escrito, ao contrário do inglês, francês e outros idiomas europeus, não tem havido nenhuma mudança no alfabeto, na ortografia, ou na maioria do vocabulário, há quatro milênios. As gravações mais antigas desta caligrafia foram encontradas na Síria, e são chamadas gravações de “Al Manara”, que remontam ao ano 328.

No período pré Islâmico, a escrita do árabe foi diferente da atual, usando outras caligrafias modernas da língua de “Mudar”, como a caligrafia Al-Hiri e Al-Anbari, e quando surgiu o islamismo, a escrita usada em “Quaraysh”, era a Nabatéia, a mesma usada pelo profeta Maomé, para escrever aos reis e governadores da época. No entanto, a escrita Nabatéia e a árabe moderno, possuem importantes diferenças. As mais antigas gravações descobertas, no estilo Nabateu, foram as gravuras de “zeid”, e “Omm AL Jamal”, que datam dos anos, 513 e 568 D.C. Com o aparecimento do Islamismo, a língua árabe passou por um intenso desenvolvimento, especialmente no governo Omíada, quando “Abo Aswad Al-Dwali”, iniciou a pontuação da escrita, que até então não existia. 

O Califa Abdul Malek Bin Arwan, ordenou a acentuação da escrita, portanto, foi convencionado o ponto acima da letra como sendo “fatha”, abaixo “Kassra”, e à esquerda “Dammah”. Com o desenvolvimento da acentuação, convencionou-se a letra “Alef” (ا) pequena sobre a letra, como sendo “fatha”, a letra “Yah” (ي) pequena para “kassra” e a letra “waw” (و) pequena, para “Dammah”; e assim, até à evolução da escrita para como ela é hoje. O alfabeto árabe possui 28 letras, e é escrito da direita para a esquerda, interligando as letras, com espaçamentos entre as palavras. A língua árabe é conhecida como a “Língua do Dhad”, pois é a única língua no mundo, que contém a letra “Dhad” (ض), mas a letra atualmente, também faz parte da língua albanesa, devido à influência árabe (otomano-islâmica) naquele país.

O árabe é composto de substantivos, verbos e letras, e se destaca pela ciência gramática e artes retóricas. Os países que adotaram o árabe com língua oficial são: Jordânia, Eritréia, Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Argélia, Tunísia, Djibuti, Arábia Saudita, Senegal, Sudão, Síria, Somália, Iraque, Omã, Palestina, Qatar, Kuwait, Líbano, Líbia, Egito, Marrocos, Mauritânia e Iêmen. Organizações internacionais também adotaram o árabe, como uma de suas línguas oficiais: a ONU, a Liga Árabe, a Organização da Conferência Islâmica, e a União Africana. A língua árabe é considerada uma das línguas mais difíceis de falar e escrever.


Therese Mourad
Gazeta de Beirute

Fonte: Wikipédia,the arabic language
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário