Museu da Língua Portuguesa – São Paulo

Foto: Museu da língua Portuguesa

O Museu da Língua Portuguesa é um museu interativo sobre a Língua Portuguesa, se localiza na cidade de São Paulo, no famoso prédio da Estação da luz, no bairro da Luz. Esse prédio foi concebido pela Secretaria da Cultura em conjunto com a Fundação Roberto Marinho. O museu foi inaugurado no dia 20 de Março de 2006, na presença do Ministro da Cultura, o cantor Gilberto Gil, que na época estava representando o Ex-Presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, além de outras grandes figuras brasileiras e estrangeiras.  

A língua fala por si. A importância de tratar da língua seja através dos museus, dos programas, dos acordos ortográficos, seja através dos processos de liberalização das falas novas, a língua é importante. A língua é nossa mãe. O museu cuida de todos os aspectos da língua escrita, falada, da língua dinâmica, a língua da interação, a língua do afeto, a língua do gesto, e de tudo isso este museu vai cuidar”, assim se expressou Gilberto Gil na inauguração.

Apesar da palavra “museu” dar a ideia de algo rústico e antigo, o museu possui um acervo inovador e predominantemente virtual, combinando arte, tecnologia e interatividade, lembrando que o museu está localizado em um prédio histórico. Composto pelas mais diversificadas exposições, nas quais são usados objetos, vídeos, sons e imagens projetadas, em grandes telas sobre a língua portuguesa, é considerado patrimônio cultural dos povos lusófonos. O museu ocupa três andares da Estação da Luz, com 4.333 m². 

Uma criação do Arquiteto brasileiro, Rafic Farah, logo na entrada vê-se a chamada "Árvore da Língua", uma escultura com três andares de altura em que nas folhas surgem contornos de objetos, e cujas raízes, são formadas por palavras que deram origem ao português. A árvore pode ser visualizada, quando o visitante usa o elevador de acesso aos outros andares, com paredes transparentes. 

O auditório possui um telão de 9m de largura, onde é apresentado um curta-metragem, criado por Antônio Risério, com direção de Tadeu Jungle, sobre o surgimento, história, diversidade, e a importância das línguas, para a humanidade. 

O telão se revela uma grande porta basculante para a "Praça da Língua", um espaço que lembra uma estação de trem, e um grande túnel, que possui um telão de 106 m de comprimento, onde são projetados onze filmes simultaneamente, dirigidos por Marcello Dantas, Victor Lopes, Carlos Nader e Eduardo Menezes. Cada projeção ocupa 9m da parede, com 6 minutos de duração, tratando de temas como cotidiano, danças, festas, carnavais, futebol, música, relações humanas, culinária, valores, saberes, e um dedicado à cultura portuguesa. 
Considerado um dos espaços mais lúdicos da exposição permanente, onde os visitantes se divertem, movimentando imagens que contém fragmentos de palavras, que incluem sufixos, prefixos e radicais, formando um jogo curioso, que tem como objetivo formar palavras completas. Quando o objetivo é alcançado, a mesa de projeção se transforma numa tela futurista, que mostra animações e filmes sobre a origem e o significado da palavra formada. 

Criado por Marcelo Tas, com o suporte do etimologista, Mário Viaro, da diretora de arte, Liana Brazil, e do diretor de tecnologia, Russ Rive. Uma grande tela interativa mostra os falares do Brasil, onde é possível navegar pelo mapa, e acessar os áudios com amostras da forma de falar dos brasileiros, em cada estado. No site do museu é possível acessar esses áudios. 

Há ainda, um espaço com oito totens multimédia em formato triangular, dedicados às línguas que formaram, e influenciaram o português brasileiro. Composto por 2 totens dedicados às línguas africanas, 2 às línguas indígenas, 1 para espanhol, 1 para inglês e francês, 1 para as línguas dos imigrantes, e o último para o português no mundo, onde cada toten possui três monitores interativos, um para cada face. O objetivo dos totens é transmitir a riqueza cultural da nossa língua, bem como mostrar a contribuição desses povos, que ajudaram a gerar a língua e identidade brasileiras.

Num grande painel, resultado da pesquisa do professor Ataliba de Castilho, são mostradas as origens remotas e indo-europeias da nossa língua, apresentando a evolução histórica do português desde o etrusco, o latim clássico e vulgar, as línguas românicas antigas, e as três línguas que compõem o cerne da língua portuguesa contemporânea: o português lusitano, as línguas indígenas e as africanas, revelando que a história da língua portuguesa remonta a 4 mil anos antes de Cristo. O painel cobre um período de 6 mil anos da história humana. Uma seleção de 120 grandes obras da literatura brasileira, escolhidas por Alfredo Bosi, complementa a exposição histórica da língua. 

Esse museu foi construído com o objetivo de criar um espaço vivo sobre a língua portuguesa, considerada como base da cultura do Brasil, onde seja possível causar surpresa nos visitantes com os aspectos inusitados, e muitas vezes desconhecidos, de sua língua materna. Segundo os organizadores do museu, "Deseja-se que, no museu, esse público tenha acesso a novos conhecimentos e reflexões, de maneira intensa e prazerosa". 

O museu tem como alvo principal a média da população brasileira, composta por pessoas provenientes das mais variadas regiões, e faixas sociais do país, mas que ainda não tiveram a oportunidade de obter uma ideia mais precisa e clara, sobre as origens, a história e a evolução contínua da língua Portuguesa.


Therese Mourad
Gazeta de Beirute

Fonte: Cultura da língua Portuguesa e Wikipédia
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário