Nasrallah: “O Hezbollah não se curvará às ameaças sectárias”

Foto: now

Durante um discurso transmitido pela TV, na última sexta-feira (14), em comemoração aos combatentes feridos do Hezbollah feridos na Síria, Hassan Nasrallah, o líder do Hezbollah, afirmou que seu partido vai continuar exercendo seu papel militar no conflito sírio, e advertiu contra a retórica sectária na crescente tensão entre sunitas e xiitas, desde a intervenção do grupo em apoio ao regime de Bashar al-Assad.

"Nós estaremos aonde devemos estar, começamos e vamos continuar em tudo o que se refere a assumir as nossas responsabilidades. Se alguém pensa que, usando mentiras, assassinatos ou ameaças, vamos mudar nossas posições, eles estão errados. Nossa posição depois de Al-Qusayr é a mesma de antes, nada mudou. Aqueles que querem derrubar a Síria, também querem derrubar o Líbano, e o resto da região, para colocá-los sob o controle das forças israelenses, e das takfiri norte-americanas".

Nasrallah falou também que o Hezbollah vai encontrar uma solução para a ameaça iminente da onda de violência sectária que vem assolando o Líbano, em especial o Bekaa, onde as relações entre os sunitas e xiitas estão se deteriorando cada vez mais, e aonde foguetes sírios vem sendo lançados frequentemente, em áreas xiitas, colocando em risco a segurança dos libaneses da região, além das ameaças dos rebeldes sírios para combater o Hezbollah no Líbano, e os que estão agindo para criar problemas entre os sunitas e xiitas da região do Bekaa.

Em relação aos bombardeios causados pelo regime sírio, não apenas em áreas da região de Arsal, mas também no centro da cidade, como ocorreu essa semana pela primeira vez, desde que estourou o conflito na Síria, Nasrallah pediu aos apoiadores, o exercício da autocontenção, e disse ainda, uma vez que qualquer disputa vem sendo rotulada de sectária hoje em dia, seu partido é um componente integral do Líbano. "Nós somos uma parte constituinte do país, esta terra é do povo libanês. Nós nascemos aqui, nós seremos martirizados e enterrados aqui, e ninguém vai nos derrotar daqui”, disse Nasrallah.

As tropas lideradas pelo Hezbollah derrotaram os rebeldes em Al-Qusayr, no inicio do mês (5), semanas depois da promessa de Nasrallah de sair vitorioso em sua luta ao lado do regime sírio. Após a batalha, clérigos sunitas da Arábia Saudita e poderes do Golfo, têm agido contra o Hezbollah, tentando barrar o partido, e Nasrallah afirmou que os adversários de seu partido, e do regime sírio, estão tentando criar uma guerra sectária na região, que a Síria não está colocando as duas seitas umas contras as outras, porque a batalha do país não é sectária, e que os que a consideram como sectária, são fracos e estão a perder. 

No último domingo (9), o Partido Gathering, um grupo xiita Anti Hezbollah no Líbano, foi atacado durante uma manifestação em frente à Embaixada do Irã, resultando na morte de um crítico do Hezbollah. Aos críticos, que afirmam que o partido pretende sufocar as vozes discordantes, dentro da própria seita, Nasrallah respondeu: "Deixem os xiitas se oporem, e nos criticar".  


Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comments:

  1. Hassan, deixa disso. Venha ver a Copa no Brasil e seja feliz.

    Mr. W

    ResponderExcluir