Nejmeh Square-Beirute

Foto-Yoniw

Nejmeh Square (praça da estrela), é o centro da cidade renovada de Beirute, onde há uma torre com um relógio (ROLEX) gigante, no centro da praça, presente do imigrante libanês-brasileiro Michel Abed.

Após a guerra civil de 1975, os governantes, entre eles, Rafic Hariri, resolveram reconstruir e renovar parte da cidade de Beirute, e transformá-la. Esta área, no coração do Líbano, é chamada de Distrito Central de Beirute, é atualmente conhecida como o núcleo histórico e geográfico de Beirute, onde é lar, do centro financeiro, comercial e administrativo do país.

Nejmeh Square (durante a guerra civil)


Sua reconstrução foi um dos desenvolvimentos urbanos mais ambiciosos já vistos pelo Líbano. Houve uma reconstrução completa, após o aprovamento do governo em 1994, e a empresa Solidere, ficou responsável pela reconstrução da capital libanesa.

Essa evolução foi acompanhada com o estabelecimento de sedes regionais e empresas globais no centro da cidade, e o centro de toda essa renovação é a Nejmeh Square, essa bela praça.

Hoje, o Distrito Central de Beirute, hospeda o Parlamento libanês, a sede do governo libanês, os escritórios regionais das Nações Unidas, a Organização Internacional do Trabalho, da UNESCO e do Banco Mundial, bem como a União dos Bancos Árabes.

Mas não apenas o comércio, e a parte financeira são importantes no local, mas também o turismo, as grandes e famosas marcas internacionais, estão nas ruas da Nejmeh Square, além das melhores cafeterias e restaurantes.

Andar pela Nejmeh Square, é se sentir em um país de primeiro mundo, as casas são lindas, os prédios, as luzes, as ruas, enfim tudo, mas isso também foi de certa forma criticado.

Não se sentir no Líbano dentro do Líbano, é um pouco estranho, muitos turistas, principalmente os europeus, não visitam o país, em busca de algo tão clássico como o centro atual de Beirute, mas sim a sua história, as origens árabes na arquitetura, enfim, procuram algo que não existe em seus próprios países, e apesar da existência de templos antigos e relíquias de diversas civilizações na região, para o gosto de alguns, tudo ficou novo demais. 

Já os turistas árabes, vizinhos do Líbano, gostam muito do Centro de Beirute, pois em seus respectivos países, já possuem o “mundo árabe”.

Criticado ou elogiado, hoje o local, é ponto de encontro de turistas de todas as partes do mundo, pois há muitos pontos turísticos a serem visitados.

Igrejas e Mesquitas (entre elas a maior mesquita do Líbano), museus, ruínas da civilização romana, restaurantes com comida típica do Líbano, e também culinária internacional. Mas, não apenas locais que representam história, e religião, mas na região há diversas danceterias, bares, entre outros. 


A praça da estrela (Nejmeh Square), é um dos lugares que o turista deve conhecer, há muito para se ver, muito para se fotografar, e principalmente para sentir a diversidade do Líbano, ,enquanto ecoa os sinos da igreja, se ouve também o chamado para oração na mesquita.Tudo isso sobre um ambiente, onde a modernidade e antiguidade se encontraram e se adaptaram perfeitamente. Lá parece que nunca houve uma guerra civil.

E este é o Líbano, sempre assim, firme como o cedro, nada o destrói, quando cai, sempre se levanta.


Chadia Kobeissi
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário