A Origem e História do Arguile


O Arguile (ou narguilé, Shisha, ou ainda, Hooka) tem uma historia confusa quanto a sua origem, ou quando tenha surgido, porém, a versão mais difundida, é a de que sua origem tenha se dado na Índia, nas regiões de fronteira com o Paquistão. 

Os Arguiles criados nessas regiões eram muito simples e rústicos, e normalmente feitos de coco e madeira (evidências históricas mostram narguilés na Pérsia e na Mesopotâmia, de onde vem o nome Narguilé, originado do persa Nārgil, que significa coco). Como conta a versão mais difundida, o arguilé, teria sido inventado na Índia, no século XVII, pelo médico Hakim Abul Fath, como um método para retirar as impurezas da fumaça.

Arguile, ou Narguile, são os nomes mais utilizados ao redor do mundo, como Líbano, Síria, Jordânia, Turquia, Iraque, Albânia, Grécia, Israel, Romênia e Bulgária. A diferença entre Arguile e Narguile, se dá pelo fato, que na língua árabe muitas vezes o “n” inicial pode ser suprimido, o que não altera o sentido da palavra, e é um mero detalhe linguístico, que como mencionado no inicio, originou-se da palavra persa nārgil, que significa coco. 

Já em países como Egito, Bahrein, Kuwait, Marrocos, Qatar, Tunísia, Arábia Saudita, Somália e Iêmen, ele é chamado de Shisha, que também tem origem persa, mas significa vidro ou garrafa. Em outros lugares, ele também é chamado de Hookah, que vem do árabe, e significa pote pequeno ou jarro, esse nome é geralmente usado no Irã e na Índia.

O arguile é um cachimbo de água utilizado para fumar. Há diferenças regionais no formato, e no funcionamento, mas o princípio comum é o mesmo, a fumaça passar pela água, antes de chegar ao fumante. É tradicionalmente utilizado em muitos países do mundo, em especial no Norte da África, Oriente Médio e Sul da Ásia. Apesar de ter suas origens na Índia, foi no Oriente Médio que ele obteve a fama e a popularidade, devido ao seu longo percurso de difusão, através mundo. 

Quando falamos da história do Arguile, não podemos deixar de citar a Turquia, que foi durante um longo período de tempo, o polo cultural do Oriente. Chegando lá, há cerca de 500 anos atrás, o arguile tornou-se extremamente popular entre os aristocratas e os intelectuais, e começou a receber um novo design. 

Ele cresceu em tamanho e complexidade, tornando-se semelhante ao arguile que conhecemos hoje, e pinturas e mosaicos interessantes, foram adicionados ao seu design, realçando a beleza e a elegância do arguile, tornando-o uma verdadeira obra de arte.

Sua grande popularidade nos cafés da sociedade turca deu, aos atendentes especializados em arguile dos cafés, o status de verdadeiros “chefs”, em virtude do preparo do arguile, da etiqueta usada em servir os fumantes, entre outros detalhes.

Rapidamente os arguiles, e o ato de fumá-los, tornaram-se o passatempo favorito da população do Oriente Médio como um todo, mais do que isso, o arguile se tornou hábito comum, nas rodas de conversa sobre política, religião e acontecimentos diários. 

Em reuniões sociais, o arguile é colocado no centro do grupo, e a mangueira é passada adiante enquanto trocam-se palavras, e compartilham-se ideias, de um modo solto e descontraído. No Oriente Médio, o Arguile está totalmente associado ao cultivo da paz, do relaxamento e do descanso. 

O Arguile em si, pode ser simplesmente definido como um instrumento, individual ou coletivo, geralmente feito de vidro, usado para o fumo, que opera por meio da filtragem da água, através de aquecimento indireto. 

E ele pode ser usado, para fumar várias substâncias, como ervas e tabaco, e na China, ele foi muito usado para o consumo de Ópio. O arguile se popularizou entre os jovens e idosos, homens e mulheres, e se tornou um símbolo de hospitalidade, serenidade e harmonia.

Arguile no mundo: 
O arguile ainda é usado em vários países no mundo, como Líbano, Síria, Jordão, Grécia, Egito, Líbia, Tunísia, Iêmen, Irã, Índia, Afeganistão e China. Em alguns destes países, o arguile é bem mais popular do que na Turquia. A Síria possui uma próspera indústria de produtos de arguile, e exporta uma variedade impressionante de arguiles para muitos países da região.

 Hoje no Egito, mais do que em qualquer outro país, arguiles são exibidos por toda parte. Uma pergunta interessante seria se a produção de filmes no país, transmitida em massa na escala regional, pudesse influenciar o comportamento de fumantes em outros países. Tais comportamentos seriam a origem, do renascimento da cultura do arguile, em países como a Tunísia, Síria, Líbano e Jordânia. 

Atualmente no Irã, o estilo de vida compartilha o uso do arguile. Por exemplo, em Darban, uma cidade pequena no sul de Teerã, as mulheres, sozinhas ou acompanhadas de seus maridos ou mães, se encontram nos cafés tradicionais, em uma atmosfera de feriado, sentam-se em um tapete, bebem chá, comem algumas sementes de girassol, fumam arguile e conversam. A Índia é conhecida historicamente, pelo uso da hookah. 

Em 1840, o arguile era muito comum durante jantares, na mesa de oficiais militares, e seu gorgolejar era típico de ser ouvido até tarde da noite, e os indianos mais idosos, mantiveram este costume ao viajarem ao exterior. O arguile chinês tem uma forma muito peculiar, parece com um grande isqueiro decorado, cujo corpo é pequeno e projetado para encaixar pequenos pedaços de tabacos em dois ou três lugares diferentes.  

O Narguilé é formado pelas seguintes peças:
Base (jarro ou vaso): 
Peça central do arguilé; semelhante a um vaso, onde se coloca a água (ou, embora não sejam tradicionais, outros líquidos, como arak, sucos, ou essências naturais). Geralmente é feita de vidro, metal, ou cerâmica, e algumas são ornamentadas com desenhos.

Corpo: 
Peça cilíndrica que sustenta o fornilho, e conecta-se à base, que projeta um tubo para dentro da água, e que conduz à fumaça.

Fornilho (rosh, cabeça ou cerâmica): 
Peça de barro ou cerâmica, onde se coloca o tabaco, e por cima deste, o carvão em brasa.

Abafador (laminito): 
Artefato em metal (muitas vezes descartados), geralmente alto, para proteger a brasa do vento, evitando o consumo rápido do carvão.

Mangueira (condutor): 
É por onde se aspira a fumaça. Uma ponta termina numa piteira, e a outra se encaixa na parte superior do corpo do arguilé (acima da água). 

Pode haver mais de uma mangueira, para que várias pessoas fumem juntas (porém, estes com válvulas especiais, ou do contrário os usuários não poderão "puxar" a fumaça simultaneamente).

Em arguilés usados em locais públicos, como bares, cafeterias, restaurantes, freqüentemente usa-se uma peça plástica removível na ponta da piteira, que pode ser lavada ou descartada a cada uso, ao contrário da mangueira em si, que não deve nunca ser lavada, pois pode oxidar, criando assim partículas de fuligem, que atrapalham a aspiração da fumaça.

Funcionamento: 
Quando se aspira o ar pelo tubo, reduz-se a pressão no interior da base, isso faz com que ar aquecido pelo carvão, passe pelo tabaco, produzindo a fumaça. Ela desce pelo corpo até a base, onde é resfriada e filtrada pela água, que retém partículas sólidas. A fumaça segue pelo tubo até ser aspirada pelo usuário.

Fumo (tabacos): 
Há um fumo especial para arguilés, usualmente feito com melaço (um subproduto do açúcar) e frutas ou aromatizantes. Os aromas são bastante variados; encontra-se de frutas (como pêssego, maçã-verde, coco, uva, entre outras), flores, mel, menta, e até mesmo Coca-Cola e Red Bull. Embora também seja possível encontrar fumos não aromatizados, estes, progressivamente, perderam espaço para os aromatizados, que hoje são muito mais populares.

Limpeza: 
A limpeza de um arguilé deve ser feita com aparatos especiais, facilmente encontrados em lojas especializadas. Contudo, é possível fazer a manutenção do arguilé, utilizando ar comprimido nas peças individuais, como a mangueira. Não é recomendado utilizar água para a limpeza.

O Arguile e a Saúde: 
Embora seja difundida a ideia de que o tabaco fumado com o arguilé seria menos prejudicial do que o cigarro, estudos comprovam exatamente o contrário. A suposição de que a água (ou qualquer outro líquido) absorveria a nicotina, e limparia a fuligem da queima do tabaco, filtrando-o, foram desmentidas. 

Segundo pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UnB), “Uma sessão de arguile equivale a nada menos, do que fumar 100 cigarros. A quantidade de fumaça e substâncias tóxicas inaladas, nos dois casos, é a mesma” (Novaczyk, 2007).

Segundo Viegas (Apud Novaczyk, 2007), apenas 5% das impurezas do tabaco são filtradas pela água, ou pelo líquido, ou seja, a nicotina é encontrada em altas concentrações, e tem grande potencial de causar dependência. 

A concentração de alcatrão é 60 vezes mais alta do que a encontrada nos cigarros comuns. De acordo com Wareing (Apud Khatkar, 2009) “Uma sessão fumando o arguilé – ou seja, 10 miligramas (de tabaco), por 30 minutos – resulta em níveis de monóxido de carbono, 4 a 5 vezes mais altos, do que fumar um cigarro”.

O resultado, é que a fumaça do arguilé, pode causar doenças cardíacas, enfisemas e câncer de pulmão, mesmo entre os usuários que não tragam a substância. Outras consequências decorrem do uso compartilhado do arguilé, como a transmissão de hepatite, herpes e tuberculose. A utilização do narguilé no Brasil tem se disseminado, sobretudo entre os jovens, que geralmente desconhecem suas consequências. 

Porém, o arguile parece estar com os dias contados no Brasil. A ANVISA decretou a proibição de fumos com aditivos no Brasil, desde Março de 2012, e a determinação para os tabacos usados nos arguiles, passará a valer a partir de 2014. 

A decisão da ANVISA sobre o tabaco com aroma, veio na onda da proibição de cigarros com sabor (que são 22% das marcas no país), que passará a valer a partir de setembro de 2013. De acordo com a agência, o sabor incentiva os jovens a fumar. 


COMO PREPARAR UM ARGUILE - PASSO A PASSO

1- Coloque a água na parte de vidro, só para que ela cubra o tudo de metal, com dois dedos de água, nem mais, nem menos.

2- Têm quem goste, assim como tem quem não goste, de misturar na água (arak, vodka, coca-cola, etc.), os que não gostam de misturar, não querem que nada interfira no gosto do fumo, porém, gelo é sempre bem vindo, para que a fumaça venha mais refrescante.

3- O arguile deve estar sempre bem vedado, ou com todas as borrachinhas de vedação no local certo, ou então, com pedaços de pano úmido em todo lugar, por onde possa estar vazando ar.

4- A mangueira deve estar sempre limpa, mas não se deve usar água, pois ela é feita de couro por dentro. A pessoa pode usar uns arames felpudos para enfiar na mangueira, ou simplesmente assoprá-la com bastante força.

5- Na hora de colocar o fumo no recipiente de barro, a pessoa deve ir colocando em pequenos pedacinhos, pouco a pouco, e sem nunca apertar ou amassar, pois quanto mais “soltinho” ele estiver no pote, mais o ar quente vai circular lá dentro. Não encha o pote até a boca de fumo, justamente para o papel alumínio não amassar a essência quando for colocado. Se o papel alumínio não encostar-se ao fumo, melhor ainda. 

6- Coloque o papel alumínio, de forma que ele fique bem reto e liso, onde ele cobre o pote com o fumo, e faça os furinhos com palito de dente, mas sem enfiar muito o palito, para os furos não ficarem muito grandes. Cerca de vinte furos já é o suficiente. 
O primeiro furo deve ser feito de baixo pra cima (enfiando o palito por baixo do pote de tabaco, e deixando-o atravessar o papel alumínio lá em cima). Os outros podem ser feitos normalmente, de cima pra baixo.

7- NÃO PODE usar carvão normal de churrasco, DEVE-SE USAR o carvão especial para arguile (que dá bem menos trabalho pra acender), mas em qualquer situação, há três coisas importantes: o carvão ideal é aquele mais ou menos, do tamanho de uma azeitona grande, quando ele for colocado no papel alumínio; o carvão quando colocado deve estar TOTALMENTE em brasa (de forma que não se veja nele NENHUMA parte preta, ele deve estar totalmente avermelhado); o carvão deve ser colocado não no centro do papel alumínio, mas nas bordas. Se a fumaça estiver vindo fraca, mesmo após tentar puxá-la por uns cinco minutos (demora até começar a queimar), coloque outro pedaço de carvão, na borda oposta àquela onde o primeiro carvão estava.

8- Fumar arguile não é como fumar cigarro, simplesmente acender, fumar e pronto. O arguile deve ser fumado de forma especial, com os amigos, ou sozinho, refletindo. É importante estar em um ambiente de temperatura agradável, ter alguma coisa que se goste para beber (pode ser suco, refrigerante, bebida alcoólica), enfim, estar confortável e relaxado.

Et voilà!!!




Léa Mansur 
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário