Defesa do Consumidor vai monitorar aumentos dos preços no mês do Ramadan


O sagrado mês dos muçulmanos, o Ramadan, é celebrado em todas as partes do planeta, por muçulmanos, de todas as escolas islâmicas. Neste mês, o muçulmano faz o jejum, desde o nascer do Sol, até o pôr do Sol. O pilar religioso, tem uma forte influência na sociedade, até para aqueles que não são muçulmanos. Entre muitas coisas positivas, há também os problemas que surgem, como o aumento dos preços, porém este ano, os mercados, lojas e restaurantes, serão monitorados.

Segundo funcionários do Ministério da Economia e do Comércio, nenhum aumento grave foi notado por enquanto. 

De acordo com o Ministro, Fouad Flayfel, isso se deve a campanha nacional para monitorar os produtos consumíveis lançados no mês passado.

"Nós começamos esta campanha há 10 dias e não estamos apenas verificando os preços, mas a qualidade da comida também. Até agora não tenho notado quaisquer violações graves porque os comerciantes percebem que os infratores serão penalizados financeiramente ", disse Flayfel.

O Ministério possui uma lista de preços dos principais alimentos que são vendidos, em lojas e mercados, e todos são obrigados a cumprir com os mesmos preços, ou com uma margem de variação mínima.

O grande aumento sempre visto no mercado, são relacionados ao arroz, óleo, derivados de leite, frutas, e doces árabes que também aumentavam muito no mês do Ramadan.

No entanto, os comerciantes, costumam atribuir tal inflação ao aumento da demanda que, correspondentemente, resulta em diminuição da oferta. 

Porém o ministério tem 50 monitores no departamento de defesa do consumidor e as autoridades acreditam que este número é suficiente para lidar com todas as reclamações, no entanto há funcionários que afirma, que este número não é suficiente, e apelaram para que as autoridades contratem mais empregados.

"O consumidor também pode ligar para o Ministério da Economia e reclamar sobre a qualidade dos alimentos ou dos preços. Assim que recebermos esta queixa despachamos os controladores para a loja ou supermercado ", disse Flayfel.

Para fazer qualquer denúncia o consumidor deve ligar para o 1739, e também ficar atento a página oficial do ministério, onde os preços principais de itens alimentares são expostos, e ás vezes atualizados.

O Ministro da Economia, Nicolas Nahas, pediu a todos os comerciantes que “respeitem o mês do Ramadan” e não usem isso, para benefícios financeiros, à custa dos consumidores.


Chadia Kobeissi
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário