Eduardo Janho-Abumrad

O paulistano Eduardo Janho-Abumrad, é um célebre cantor lírico e professor de música erudita, consagrado em diversas obras famosas no Brasil e no exterior, e que possui descendência libanesa. Filho de Adib Feres Abumrad, um libanês, nascido em Dahr Deir Mimes, sul do Líbano, que foi para o Brasil aos 14 anos, e se estabeleceu no ramo comercial, e de Giselle Janho-Abumrad, de uma família libanesa radicada no Egito, e que nasceu no Brasil. Acompanhe abaixo a trajetória da carreira desse brasileiro-libanês.

Eduardo Janho-Abumrad é natural de São Paulo, ele diplomou-se em canto, sob a orientação de Tiana Amarante, e estudando posteriormente, com Hermínia Russo.

Na Itália estudou com Rômulo Gazzani e Rodolfo Cellet. Eduardo possui larga atuação como solista lírico do repertorio vocal-sinfônico e camerístico.

Venceu, em 1973, o Concurso de Canto Carlos Gomes, em Campinas, cantando, no mesmo ano, “Lucia de Lammermoor”, sob a regência de Armando Belardi. 
Dentre suas apresentações, destacam-se a “Missa Diligite”, de Camargo Guarnieri e “a Nona Sinfonia”, de Beethoven, sob regência de Isaac Karabitchewsky. Atuou em “Il Guarany” e em “Lo Schiavo”, de Carlos Gomes. 
Estreou na Europa como Le Baille, no “Werther”, de Massenet, no TRM de Bruxelas, regido por Jean-Pierre Jaquillat, gravando, no mesmo ano, um recital de música de autores brasileiros para a RTE, em Madrid. 

Em várias cidades europeias cantou óperas de Verdi (Aida, Nabucco, Il Corsaro e Rigoletto), e de  Puccini (La Bohème e Turandot) e obras sacras como "L’enfance du Christ", de Berlioz, e "Requiem", de Mozart, nas RAIs de Milão e Turim, Petite Messe Solennelle, de Rossini em Asti ( Itália) e o "Oratório de Páscoa", de Bach, em San Marino, sob regência, dentre outros, de August Haltmayer, Michelangelo Veltri e Wladimir Delman, tendo, então, atuado sob a regia de Giuseppe di Stefano, entre outros. 

Sob a regência de Eleazar de Carvalho cantou, em São Paulo, a "Paixão Segundo São Mateus", de Bach. Estreou Ferrando, em "Il Trovatore", de Verdi, sob a regência de Pino Onnis, Commendatore, além de atuar sob sua direção também em “Lucia di Lammermoor” e “La Bohéme”.  

Foi o Commendatore, no "Don Giovanni", de Mozart, sob a regência de Jamil Maluf, e Basílio, em "Il Barbiere di Siviglia", de Rossini, em 1999 sob a regência de Flávio Florence e "Requiem", de Verdi, em 2001, sob a regência de Tullio Colacioppo, no Teatro Municipal de São Paulo. 

Participou do Festival do Teatro da Paz 2003, em Belém, cantando Sarastro, na "Flauta Mágica", de Mozart, sob a regência de Flávio Florence. Em 2004 viajou com o espetáculo "Ways of the voice", concebido para o SESC Vila Mariana, em São Paulo, levado nos festivais de música eletroacústica do Museu Reina Sofia, em Madrid e do Machine à L’eau, em Mons, na Bélgica. 

Em 2005, destacam-se o Duca D’Arcos do “Salvator Rosa” de Carlos Gomes, regida por Fábio de Oliveira. 2006 é marcado pela criação do personagem Gonçalo na estreia mundial de “A Tempestade”, de Ronaldo Miranda, regido por Abel Rocha e o concerto  dedicado a Mozart ao lado de Edson Cordeiro, com Carlos Moreno regendo a OSUSP. 

Em 2007 cantou o Banquo, em “Macbeth”, regido por Achille Picchi e “Il Signor Bruschino” ( papel título) regida por Emiliano Patarra, ambas no Teatro São Pedro, em São Paulo. Em 2008 revive o Bonzo na “M. Butterfly” de Puccini na Sala São Paulo sob a batuta de Carlos Moreno e o Eremita, no “Franco Atirador”, de Weber, sob a regência de João Mauricio Galindo. 

Encenou, desde então,  em nova produção  de “Il Barbiere di Siviglia”, além de “Rigoletto”, de Verdi, “Norma”, de Bellini, “Colombo”, de Gomes, “Carmen”, de Bizet. 

Há 28 anos formou o Duo Abumrad/Reis com o pianista João Moreira Reis. Gravou Nourabad, nos "Pescadores de Pérolas", de Bizet, pelo selo Nuova Era, "Ways of the voice", de Leo Kupper, pelo selo Akron, "Remeiros de São Francisco", com obras de Ernst Widmer, pela Paulus.

E os CDs “Dedicatórias”, com o pianista João Moreira Reis e repertório nacional e “Top 25 – Memória da Ópera Paulistana”, ao lado de 24 outros colegas, sob a regência de Carlos Moreno, no qual interpreta a ária Di Sposo... di Padre..., de “Salvator Rosa”. 

O duo Abumrad-Reis, integrado pelo baixo Eduardo Janho-Abumrad e o pianista João Moreira Reis, está em atividade desde 1985. Constam de suas apresentações obras dos períodos que vão do barroco ao romantismo, incluindo os nacionalistas espanhóis e brasileiros. 

Além das inúmeras performances nacionais e internacionais, em prestigiosas salas brasileiras e italianas, como a Sala Giuseppe Verdi (Milão), Auditório Rai (Turim), Palazzo Ottolenghi (Asti), MASP, Sala Jardel Filho CCSP, Teatro Municipal (São Paulo), etc.

Os musicistas ministram cursos de aperfeiçoamento técnico e de interpretação lírica e de câmera, como ocorreu nos Cursos de Canto do Festival de Inverno de Campos do Jordão, do Spazio d’Arte, em Sorocaba e os de Sabará/UNIBH, Minas Gerais, além de Máster classes em vários estados brasileiros. 
O duo tem orientação, ainda, do reconhecido pianista Ricardo Ballestero.   



Carla Mussalam Al Masri
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário