Egípcios realizam mais manifestações


Os partidários do presidente egípcio deposto, Mohammed Mursi, convocaram manifestações em todo o país, e uma marcha de um "milhão" de pessoas, na última terça-feira (30), a fim de rejeitar "o sangrento golpe militar".

Os islamitas, agrupados na chamada Coalizão Nacional Para a Defesa da Legitimidade, pediram aos cidadãos, para saírem às ruas, sob o lema "Mártires do golpe". Em comunicado, a aliança, que inclui a Irmandade Muçulmana, explicou que estas novas convocações, pretendem reivindicar os direitos dos "mártires" dos últimos "massacres" no Egito, ocorridos entre os dias 26 e 27 de Julho, onde morreram 80 pessoas.  

"Convocamos todas as partes do grande povo egípcio, que rejeita o golpe militar para sair às ruas, e às praças, para reivindicar sua liberdade e dignidade, que estão sendo usurpadas pelo sangrento golpe militar", dizia a nota. A coalizão ainda não anunciou os locais dos protestos, mas detalhou os planos de mobilização.  Os islamitas propuseram que os manifestantes se dirigissem carregando caixões, às sedes administrativas das forças de segurança, para condenar "os atos criminosos, e os disparos dos soldados do Ministério do Interior, contra os manifestantes pacíficos".

Também anunciaram que levantarão uma tenda no Cairo, durante três dias, para que os cidadãos possam apresentar suas condolências, às famílias dos mortos nos distúrbios da madrugada do sábado, na capital egípcia, e que deixaram 80 mortos e 300 feridos. Na última terça (30), os apoiadores de Mursi pararam o trânsito durante a passeata de protesto no trajeto da mesquita Al-Fath, até o Ministério da Defesa, no Cairo.

Essas manifestações aumentaram depois que a justiça do Egito ordenou a prisão preventiva do Ex-Presidente, Mohamed Mursi, que foi deposto pelo Exército egípcio no dia 3 de julho, e detido num local secreto desde então. As acusações contra Mursi incluem incêndio criminoso, destruição de registros de prisões, e "colaboração" com o grupo palestino Hamas, para atacar instalações da polícia, autoridades e soldados.


Therese Mourad
Gazeta de Beirute

Fonte: EFE e Voz da Rússia
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário