Israel pode usar pretexto para atacar o Líbano?

Foto- http://missingpeace.eu/en/

Após o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, ter afirmado, que a colocação de seu grupo, na lista de terroristas, seria uma justificativa, para uma possível ação israelense contra o Líbano, já que poderiam afirmar que estariam lutando contra o terrorismo, o embaixador britânico, Tom Fletcher, rebateu, dizendo que isso não poderá servir como pretexto para um ataque israelense. 

 “O braço armado do Hezbollah, está na lista de terroristas, mas isso não é uma justificativa para uma ação israelense no país, apenas destina-se a impedir qualquer atentado em solo europeu, disse ele."

Segundo o líder do Hezbollah, “qualquer ataque israelense contra o Líbano ou a resistência, será em parte, responsabilidade da União Européia”.

"Esses países (europeus) fizeram-se responsáveis por qualquer ataque israelense, contra o Líbano ou a resistência do Líbano (Hezbollah), pois estão dando cobertura legal para Israel.” 

A Embaixadora da UE que esteve no Líbano, Angelina Eichhorst, também ressaltou nesta sexta-feira (26), que a decisão da União Europeia para a listar a ala militar do Hezbollah como terrorista, não justifica qualquer ação israelense contra o Líbano.

"A UE não tem como alvo, a seita xiita. Não vamos parar a concessão de vistos, e o Hezbollah participará com seus membros no próximo gabinete, e nós não faremos nada contra isso", disse Angelina.

"Nós rejeitamos o terrorismo, e sabemos diferenciar entre terrorismo e o direito de qualquer país de se defender contra a ocupação, nós só não queremos atentados em países europeus", acrescentou a diplomata.

Segundo Angelina, "não há evidências convincentes até agora, que prove, que a ala militar do Hezbollah esteja realmente envolvida no atentado da Bulgária”. 

O professor de Relações Internacionais e especialista na política do Oriente Média, Imad Bitar, explicou o porque da União Europeía, ter classificado parte do grupo como terrorista, e os políticos que sustentam o braço armado, não.

“De um lado, a UE condenou o Hezbollah, e do outro tem relações diplomáticas com membros políticos do grupo. Ou seja eles podem punir membros da ala militar do Hezbollah, mas depois se reúnem em relações diplomáticas com seus líderes. Tudo isso é uma jogada política, após pressão israelense e americana. Mas a União Européia não quer perder, ficar no meio termo, entre os países árabes, Líbano e Israel, seria o ideal, e foi o que fizeram. E no momento exato, quando os laços entre os países árabes e o Hezbollah estão enfraquecidos, pela guerra na Síria, o que fez, com que a União Européia, não sofresse pressão dos donos do petróleo." 

A União Européia foi elogiada e criticada por vários países do mundo, após a decisão sobre o Hezbollah.


Chadia Kobeissi
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comments:

  1. No meu entender o Libano e os Libaneses são muito puxa saco dos europeus e americanos, sempre levando porrada dos mesmos, mas não aprendem, sempre prejudicaram o Líbano, aqui no Brasil também era assim, Quando o Presidente Lula tomou posse as coisa mudaram, o Brasil passou a dar importância aos países da America Latina, Oriente Médio, Asia, Africa e os Brics, com a crise em andamento nos países dito de primeiro mundo, nada atingiu Brasil, e estamos muito melhor do que quando eramos lacaios dos europeu e americanos. Portanto um conselho aos Libaneses esqueçam este que se consideram os donos do mundo, sou descendente de libaneses e antes de conhecer a Gazeta de Beirute eu sabia poucas coisas sobre o Líbano, porque toda imprensa do Líbano só noticia em inglês e francês, sera que eles não sabem que a maior colonia de libaneses e descendente vivem no Brasil e eles gostariam de ter noticias em português sobre o Líbano, portanto você da Gazeta de Beirute estão de parabéns, continue a melhorar a gazeta que acredito que você estão no caminho certo, aqui temos muito descendente de libanês que gostariam de ter noticias do Líbano.

    Abraços

    Persio Souza Lima Akil

    ResponderExcluir