Nhoque da Fortuna


Todo dia 29 de cada mês é comemorado o dia do nhoque. Este dia, além de confraternizar a familia  e amigos, envolve  uma  lenda  que promete fortuna e boa sorte.

Diz a lenda que São Pantaleão, num certo dia 29, vestido de andarilho, perambulava por um vilarejo da Itália. Faminto, bateu a porta de uma casa e pediu comida. A família era grande e tinha pouca comida, mas apesar disso, eles não se importaram em dividir o seu nhoque com o andarilho, cabendo a cada um 7 massinhas. São Pantaleão comeu, agradeceu a acolhida e se foi. Quando foram recolher os pratos, descobriram que embaixo de cada um havia bastante dinheiro. 

Desde então, tradicionalmente a cada dia 29 é celebrado o dia do nhoque da fortuna, ou nhoque da sorte.  O ritual de celebração se inicia colocando  dinheiro de qualquer valor,  embaixo do prato com  nhoque. Em seguida, a pessoa posiciona-se em pé e se concentra para dar continuidade ao ritual. 

No prato, separe os primeiros 7 pedacinhos de nhoque, faça um pedido para cada um deles, e depois sente-se  e saboreie o restante do prato à vontade,  de preferência, com um bom vinho italiano. 
O dinheiro colocado sob o prato, deve ficar guardado até o próximo dia 29, para garantir a fartura. Outros dizem que deve ser dado a alguém que necessite, ou usado quando for feita a nova simpatia


                                             
Conheca o Nhoque:
O nhoque ou inhoque (do italiano gnocchi), consiste em várias  bolinhas de massa, espessas e macias que compõem um prato tradicional da culinária italiana. Ele pode ser feito utilizando-se vários ingredientes diferentes, embora seja tradicionalmente feito a partir de  massa, e cortado em pequenos pedaços, sendo na sequência, então cozido, e servido tanto como acompanhamento, quanto como prato principal. 

A origem mais provável do nhoque é a de que ele tenha vindo do Oriente Médio, porém, tornou-se popular na Itália, por ter crescido e se popularizado naquele país, tornando-se assim, a iguaria que conhecemos hoje, onde as diferentes variedades desse prato, também foram criadas. O nhoque é apreciado onde quer que a culinária italiana seja popular, que em sua maioria são os países e as culturas ocidentais. Na América do Sul, os imigrantes italianos fizeram do nhoque, um alimento básico em países como Argentina, Chile, Paraguai e Brasil. 

O  nhoque surgiu no Oriente Médio, durante os tempos antigos, quando os romanos começaram a explorar a área, eles levaram com eles a receita e várias outras coisas para aplicar em sua própria cultura. Assim, a receita foi difundida quando eles começaram a se estabelecer em solo europeu, particularmente na Itália. Várias regiões passaram a criar suas próprias versões do prato, e em seguida apresentá-los aos países vizinhos. 

Quando os italianos imigraram para a América do Sul, principalmente para a Argentina, e também para a  América do Norte, eles levaram a receita de nhoque junto deles. Hoje, a receita é popular onde quer que a comida italiana seja servida. Existem diferentes tipos de nhoque, que são regionais e com origem em determinados lugares da Itália. A Sardenha, uma ilha no largo da costa da Itália, é considerada o lar do nhoque, por ser o lugar que mais se assemelha àquele feito no tempo dos romanos. 

A base do nhoque é um tipo de mingau, misturado com ovos, e assim, formando uma massa. O uso da batata no nhoque surgiu na Itália, no século XVI, e a batata acabou sendo introduzida em toda Europa. Um dos tipos mais originais de nhoque é o feito de migalhas de pão, receita que foi criada em Friuli, na Itália. Hoje em dia ele é  preparado à base de batata, apesar de existirem outras variantes, como o Nhoque de batata com espinafre, Nhoque de mandioquinha, Nhoque de aipim, Nhoque de batata recheada, dentre outras combinações.




Clássica receita italiana de nhoque caseiro

Ingredientes
2 batatas 
250 g de farinha de trigo 
1 ovo 

Modo de preparo
Descasque as batatas e coloque-as para cozinhar em água fervente. Cozinhe até que elas amoleçam, mas sem desmanchar, por aproximadamente 15 minutos. Retire as batatas da água e amasse-as com um garfo, ou passe-as no espremedor de batata. Em uma vasilha, junte a batata espremida com a farinha de trigo e o ovo. Trabalhe a massa até formar uma bola. Numa superfície polvilhada com farinha, abra a massa em tiras compridas. Corte as tiras em pequenos pedaços de 1,5 cm cada. Numa panela grande, coloque água para ferver com um pouco de sal. Quando a água estiver fervendo, jogue os pedaços de nhoque dentro, e deixe cozinhar de 3 a 5 minutos, ou até que os nhoques comecem a boiar. Escorra e sirva com o seu molho preferido. Essa receita rende 4 porções.


Celebrando o dia 29 


A advogada paulistana, de origem italiana, Regia Ranieri, de 53 anos, e moradora da Mooca, um bairro predominante de imigrantes italianos, é uma adepta do Dia do Nhoque da Fortuna, ela nos contou como celebra esta data, e deu dicas do como fazer um delicioso nhoque. 

“O nhoque da fortuna é uma tradição. As pessoas reúnem-se em família, ou entre amigos. Todo dia 29, colocam uma nota embaixo do prato, normalmente 1 dólar, ficamos em pé, brindamos à todos, à amizade, com o vinho, e desejamos fartura e fortuna. Comemos 07 nhoques em pé, depois sentamos e comemos normalmente.

No fim do jantar, cada pessoa guarda sua nota na carteira, para dar sorte e atrair dinheiro; eu uso a mesma nota todo dia 29, mas não tem regra. Comemos em casa, ou em  restaurantes, como o “Quatrino“, o “Spoleto“, e  outras cantinas de São Paulo,  que fazem pratos especiais nesse dia, seguindo alguma variação. Tem nhoque de mandioca, de mandioquinha, mas o mais comum é o nhoque de batata. 

Minha receita é simples, para cada 10 colheres de batata cozida e amassada, 10 colheres de farinha de trigo, depois amassa tudo, faz um “minhocão” comprido e gordinho, eu corto o nhoque em pedacinhos com uma faca, e vou colocando em uma superfície com farinha de trigo, para não grudar. Em seguida, fervo a água, e coloco a massa dentro, com uma colher de manteiga. Quando a massa subir, retiro-a, e a coloco em uma travessa. Para quem quiser, pode acrescentar molho de tomate, manjericão e queijo ralado. De todo jeito, fica uma delicia”.

 “Eu adoro essa simpatia, é uma forma de aproximar os amigos, e fazer um brinde, desejando fartura e ‘auguri per tutti’, que quer dizer: melhores desejos para todos”.  


A Gazeta de Beirute deseja a todos no dia 29 de Julho: 
AMIZADE, FARTURA E FORTUNA!




Carla Mussalam Al Masri
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário