Olímpia/SP - Capital do Folclore e do lazer aquático


Olímpia é uma cidade com pouco mais de 50 mil habitantes, localizada no interior de São Paulo, entre São José do Rio Preto e Barretos. Ela é também conhecida, como a "Capital Nacional do Folclore", em virtude do famoso Festival do Folclore (FEFOL), um evento anual que acontece durante 8 dias seguidos no mês de Julho, há 50 anos, onde grupos de vários estados se reúnem, para mostrar as danças típicas de suas regiões. 

A iniciativa do evento, veio do Professor José Santanna e de seus alunos na época, que realizaram uma pesquisa e apresentação sobre folclore, em todas as escolas e comércios da cidade. O sucesso do trabalho apresentado acabou lhes garantindo um espaço próprio para apresentações, em homenagem ao professor idealizador do projeto, o que acabou atraindo pessoas de outras, cidades e estados, dando à Olímpia, o titulo de Capital do Folclore.

O festival, que atrai 200 mil pessoas por ano, entre turistas, estudantes, pesquisadores e estudiosos do assunto, vindos de vários cantos do Brasil, oferece apresentações de grupos brasileiros de danças típicas, que vão desde as danças de tradição gaúcha, até o maracatu e as amazônicas. O siriri, uma dança folclórica feminina, é uma das mais alegres e coloridas tradições. O evento é gratuito, e conta com danças parafolclóricas, apresentações de bumba meu boi, reisado, samba de coco, São Gonçalo, entre outras.

Além de danças e folguedos folclóricos, a programação ainda reserva cursos, palestras e seminários sobre folclore; gincana e oficina de brinquedos tradicionais infantis; exposições de peças artesanais; campeonato de truco e de malha; festival da seresta; culinária brasileira; espetáculo pirotécnico; feiras, eventos e desfiles de grupos folclóricos e parafolclóricos. Durante os dias da semana do evento, ocorrem gincanas de brinquedos tradicionais e infantis, como perna de pau, bito e bétia, rodar pião, amarelinha, por o rabo no burro, bolinha de gude, corrida no saco, pular corda, e soltar pipas. Nestes dias de evento, o Museu do Folclore pode ser visitado gratuitamente.

Olímpia foi descoberta, em 1857, por Antônio Joaquim Miguel dos Santos, um mineiro desbravador de terras virgens e incultas, que nomeou a região, de Fazenda Olhos d’Água, em virtude das inúmeras nascentes ali encontradas. Em 1889, a fazenda começou a ser desmembrada, para se constituir um povoado, através da doação de 100 alqueires de terra, por seu descobridor e proprietário da fazenda. O povoado foi oficialmente firmado, em 1903, e em 1906, o povoado foi rebatizado de Vila Olímpia, passando a fazer parte do distrito de Barretos, até 1917, quando Olímpia foi elevada à categoria de cidade.  

A cidade conta, como atrativo turístico, com o Museu de História e do Folclore, um dos pioneiros do gênero no estado, cujo acervo possui cerca de 3 mil itens, entre indumentárias e vestimentas de festas populares, como Folias de Reis e Moçambique, pinturas, peças de barro, bambu, palha e madeira. 

Do lado de fora do museu, destaque para a antiga Maria Fumaça, a locomotiva que ligava Olímpia ao resto do Brasil, entre as décadas de 40 e 50. Para quem busca o turismo religioso, Olímpia oferece atrações em suas igrejas, onde o turista pode visitar a Matriz de São João Batista, e a Igreja Nossa Senhora Aparecida. A primeira possui obras em madeira, do escultor espanhol, Luiz Noguer, e afrescos de José Perez. A segunda, que foi restaurada, possui em suas paredes internas, pinturas a óleo, que retratam cenas bíblicas. 

Para o turista que adora um artesanato local, Olímpia, exibe outro ponto alto da cidade: o artesanato. O trançado-estrela, uma técnica resgatada dos indígenas, no tempo em que eles transformavam a palha do milho em estrelas, usadas na confecção de cestos, foi recuperado por dona Lalá, uma artesã muito prestigiada na cidade. Ela oferece trabalhos artesanais com esta técnica em seus bordados de almofadas, jogos americanos, porta-guardanapo, caminhos de mesa, e outras peças. E por falar em indígenas, visite a Gruta do Índio, na Fazenda Floresta, e caminhe pelas trilhas que percorrem a mata centenária. 

Mas Olímpia não é só artesanato, turismo antigo e religioso não. A pequena cidade, cuja economia é baseada na agroindústria e no comércio, ainda possui um orquidário, vários Pesqueiros, hotéis fazenda, e vem ganhando mais popularidade, como destino de férias de inverno. 

A cidade está dentro dos polos turísticos mais importantes do estado, e na região do Aquífero Guarani, um dos maiores mananciais de água termal do mundo. A região privilegiada do noroeste paulista, a 450 km da capital, vem ganhando destaque no turismo também, em virtude do Parque Termas dos Laranjais, um dos mais importantes parques aquáticos do Brasil, que recebe até 8 mil pessoas por final de semana, e 1,5 milhão por ano. 

O sucesso do parque aquático encontra-se em suas águas termais aquecidas, e da grande variedade de atrativos que ele disponibiliza, tornando-o um excelente destino de férias no inverno. Sim!  Um parque aquático no inverno! Sua fonte mineral é naturalmente aquecida pelas rochas submersas, a mais de mil metros, e assim, o parque ganhou fama e se tornou um dos melhores destinos para as famílias se divertirem com seus filhos, durante as férias de Julho. 

Com 260 mil m2 de área, o parque possui 54 atrações, com 30 diferentes piscinas de água quente, a única piscina com ressurgência do mundo (não afunda), piscina de imersão, piscina de sonolência, piscina de surfe (exclusiva no Brasil), piscina de ondas, toboáguas, rio lento com correnteza, 2 praias artificiais,  hidro balanço, pedalinhos, um mini zoológico e um clube infantil. Todas as atrações aquáticas têm uma temperatura entre 26°C e 38ºC., e possui ainda, um caprichado projeto paisagístico, uma área de descanso com areia branca, palmeiras e redes, além de lanchonetes, restaurantes e estacionamento gratuito. 

As Termas dos Laranjais foi criada em 1987, por Benito Benatti, um empresário de 81 anos, que não mede esforços para trazer inovações ao parque. No próximo mês, ele estará embarcando para o Japão, de onde trará ideias para a criação de novas diversões aquáticas, para integrar as mais de 40 já existentes, e que são exclusivas do Parque Termas dos Laranjais. Benatti pretende atingir a marca de 80 diferentes, e exclusivas, patentes para o parque, e integrar o ranking do quinto maior parque aquático do mundo.  

Algumas inovações já foram inauguradas, como a Asa Delta, e em Agosto, será inaugurada: a Montanha Russa aquática (exclusiva na America Latina), e o Rio Bravo, e em breve, um Centro de Eventos. Para 2014, Benatti construirá um Resort Hotel, ao lado do parque, com 900 apartamentos, piscinas e playground aquático. O número de visitantes vem aumentando a cada ano, resultado das vantagens oferecidas pelo parque, onde 1 ingresso dá direito a todas as atrações durante o dia inteiro, sem cobranças por tempo de permanência, ou por atrativo. 

Os serviços, bebidas e refeições, têm um valor justo, em comparação com outros empreendimentos do gênero, o objetivo do parque é explorar o turismo, e não o turista. Dentro do parque, existem diversos restaurantes, bares, quiosques e lanchonetes, onde você tem uma gama bem variada de opções para comer e beber. O visitante do parque encontrará, desde churrasco, pizza (doce e salgada), lanches, hot-dog, self-service por kilo, porções, lanches de metro, crepes, sorvetes, bebidas, batidas, sucos, refrigerantes, até pães de queijo, café expresso, churros, doces, trufas, tortas, salgados, milho, água de coco, e comida baiana... Enfim, é impossível não encontrar algo que agrade ao paladar de todos! 

Olímpia possui inúmeras opções de hospedagem, desde pousadas e hotéis, até hotéis fazendas, porém, o Tuti Resort é o único hotel com acesso exclusivo ao Parque Termas dos Laranjais. 
O resort possui 488 apartamentos, equipados com TV a cabo, wireless, frigobar e ar-condicionado, além de oferecer piscinas aquecidas, SPA, academia de ginástica, lojas, restaurantes e quiosques de bebidas.

Horário de funcionamento: 
2ª feira: das 9h às 20hs.
3ª a domingo: das 8h às 20hs.
Crianças até 6 anos e idosos acima dos 60 anos não pagam.
Estudantes com apresentação de carteirinha com foto e Professores da rede pública de SP, com Carteira Funcional emitida pela Secretaria de Estado de Educação, pagam 1/2 entrada. 
Endereço: Avenida do Folclore, 1.543 – Olímpia/SP. (30 km do Aeroporto de São José do Rio Preto)
Fone: (17) 3279-3500. 


Festival do Folclore 

Assista ao vídeo de apresentação do parque aqui: 



Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário