Cultura árabe: Ramadã

Foto: Maria-chiquinha

O que é o Ramadã?
Ramadã é o nono mês do calendário lunar islâmico, pode ter 29 ou 30 dias de duração. Um mês islâmico começa com a visão da lua crescente no horizonte ocidental, imediatamente após o pôr do sol. A palavra Ramadã encontra-se relacionada com a palavra árabe “ramida”, que significa “ser ardente”, possivelmente, pelo fato do Islã ter celebrado este jejum pela primeira vez, no período mais quente do ano. 

É um tempo de renovação da fé, da prática mais intensa da caridade, e vivência profunda da fraternidade, e dos valores da vida familiar. Neste período, pede-se ao crente, maior proximidade dos valores sagrados, leitura mais assídua do Alcorão, maior frequência à mesquita, correção pessoal e autodomínio. O mês do Ramadã foi o mês em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade, e evidência de orientação e discernimento. 

Os muçulmanos olham na direção do horizonte ocidental, para a lua nova, no vigésimo nono dia de Shaaban, o oitavo mês. Se a lua nova é avistada, o Ramadã começou com o pôr do sol, mas o jejum começa com a próxima alvorada. Se a lua nova não é avistada no vigésimo novo dia, os muçulmanos completam 30 dias de Shaaban (o mês anterior), e o Ramadã começa no dia seguinte. 

O jejum é obrigatório a todos os muçulmanos que chegam à puberdade. A primeira vez em que um jovem é autorizado a jejuar pelos pais, constitui um momento importante na sua vida, e uma marca simbólica de entrada na vida adulta, tendo em vista o que diz no Alcorão: "(...) e aquele dentre vós que presenciou a Lua Nova deste mês (Ramadan), deverá jejuar, e aquele que se encontrar enfermo ou em viagem, jejuará depois, o mesmo número de dias". Alcorão Sagrado (Surat Al-Baqara ).

O significado do Ramadã e do jejum
Está mencionado no Alcorão:

“Ó crentes, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Deus” (2:183).

“O mês de Ramadan foi o mês em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade e vidência de orientação e Discernimento. Por conseguinte, quem de vós presenciardes o novilúnio deste mês deverá jejuar; porém, quem se achar enfermo ou em viagem jejuará, depois, o mesmo número de dias. Deus vos deseja a comodidade, e não a dificuldade, mas cumpri o número (de dias), e glorificai a Deus por ter-vos orientado, a fim de que (Lhe) agradeçais.” (2:185). 

O mês de Ramadã é chamado o mês do Alcorão. Consequentemente, os muçulmanos recitam o Alcorão com maior frequência nesse mês.

Saum ou jejum

O saum (o jejum) começa com a alvorada, e termina com o pôr do sol. Os muçulmanos se levantam antes da alvorada, comem o Su-hoor (a refeição pré-alvorada), e bebem uma quantidade adequada de líquidos em preparação para o saum. Comer e beber para a alvorada. Durante o dia não é permitido comer, beber ou ter relação sexual. Além disso, um muçulmano deve aderir, estritamente, ao código moral do Islã, já que a não observância desse código, pode violar os requisitos para o jejum.

Jejuar no mês de Ramadã, é um ato de adoração, exigido de todos os muçulmanos. As mulheres que estiverem menstruando, ou que não se recuperaram totalmente do parto, adiam o jejum até que estejam completamente livres, das condições mencionadas. Além disso, os que estão doentes, ou em viagem, podem escolher adiar seu jejum. Os muçulmanos jejuam porque Deus ordenou. Entretanto, também podem refletir sobre os benefícios de jejuar, que incluem desenvolver controle sobre a fome, sede e estímulos sexuais, treinando-se para ser uma pessoa de boa moral, e também, como um teste de sinceridade com o Criador; porém, durante o jejum, os muçulmanos podem conduzir seus negócios como de costume. 

Iftar

O iftar (árabe: إفطار) é o momento para reunir os membros da família, e os seus amigos, numa celebração de fé e de alegria. Após esta refeição, é prática social sair com a família para visitar amigos e familiares, e reunirem-se para a prática da oração. Atualmente, com a ampliação do diálogo inter-religioso, algumas pessoas de outras religiões são convidadas a partilhar este momento de convívio, e é cada vez mais frequente, que cristãos ofereçam e celebrem um iftar para os seus amigos muçulmanos, bem como muçulmanos o ofereçam aos amigos cristãos.

O jejum é quebrado imediatamente após o pôr do sol, geralmente com a ingestão de tâmaras e água, ou suco. Entretanto, qualquer alimento ou bebida lícito, pode ser usado para quebrar o jejum. Depois fazem o salah de Magreb (a oração após o pôr do sol), que é seguido, de uma refeição completa, na qual se destaca o prato de sopa, e o prato de fatush, (salada árabe, feita com uma mistura de vários legumes e verduras, pão frito, ou assado). Depois de um breve descanso, os muçulmanos vão para a mesquita oferecer a oração de Isha (oração da noite), e então uma oração noturna especial, chamada de taraweeh.

Taraweeh 

Essa oração congregacional noturna é realizada após a oração noturna regular. Tradicionalmente, um Hafiz do Alcorão (pessoa que memorizou todo o Alcorão - em árabe -) lidera a oração. Ele recita o Alcorão em pequenas partes, na sequencia adequada, todas as noites, e completa a recitação de todo o Alcorão, antes do fim do mês do Ramadã. Todo muçulmano que comparece a essas orações regularmente tem a oportunidade de ouvir a recitação de todo o Alcorão, por volta do fim do mês. 

Se um Hafiz do Alcorão não estiver disponível, o muçulmano que tiver memorizado a maior parte do Alcorão no grupo lidera a oração, e o recita, de acordo com sua habilidade. Muitos estudiosos muçulmanos citam a Sunnah (caminho do Profeta Muhammad - que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele -), que ele sempre orava sozinho, durante a noite, em sua casa; fosse Ramadã ou não, costume de muitos de seus grandes companheiros.

Su-hoor

Bem antes da alvorada, durante a madrugada, há uma pequena refeição (su-hoor), que substitui o café da manhã (pequeno-almoço) habitual, feita com alimentos e bebidas, com a intenção de realizar o jejum que estará por vir, porque o Su-hoor é uma benção, enviada por Deus, segundo o Alcorão.

Generosidade do Ramadã

O mês do Ramadã traz muitas bênçãos multiplicadas, para aqueles que fazem o bem. Durante esse mês, as pessoas são mais generosas, mais cordiais, amigáveis, e mais dispostas que em outras épocas do ano, para fazer boas ações. Os pobres e os necessitados recebem alimento, roupas e dinheiros dos abastados na comunidade. 

Muitas pessoas vão à mesquita na vizinhança, para a quebra do jejum, e para as refeições. As pessoas na vizinhança enviam frutas, comida e bebida para a mesquita; e a atmosfera é a de um jantar amigável, todas as noites do mês. Os contribuidores bem conhecidos da comunidade muçulmana, se encontram, cercados pelas pessoas necessitadas, em busca de doações. 
O zakat (uma doação) à caridade purificadora dos ricos, e outras doações, são dadas nessa época do ano, já que muitos muçulmanos desejam aproveitar a oportunidade, das recompensas multiplicadas de Deus.

Laylat  Al- Qadr

Essa é a noite de Qadr. O termo Al-Qadr tem sido traduzido como “o poder”. Uma tradução melhor pode ser “o valor”, ou “o decreto”, porque Deus diz que o valor dessa noite, é maior do que o de mil meses, uma vida de mais de oitenta e três anos! Deus envia Seus decretos nessa noite. É a noite, na qual o Alcorão foi revelado pela primeira vez, no tempo do Profeta Muhammad. 

Deus diz no Alcorão:
“Sabei que o revelamos (o Alcorão), na Noite do Decreto. E o que te fará entender o que é a Noite do Decreto? A Noite do Decreto é melhor do que mil meses. Nela descem os anjos e o Espírito (Anjo Gabriel), com a anuência do seu Senhor, para executar todas as Suas ordens. (Ela) é paz, até ao romper da aurora!” (Alcorão 97:1-5)

A Noite do Decreto é um presente de Deus para a humanidade. Entretanto, não está clara, qual noite é o Laylat Al-Qadr. Alguns relatos, dos companheiros do Profeta, fazem alusão à vigésima sétima noite do mês de Ramadã, mas muitos ditos mais apontam para qualquer uma das noites ímpares, durante a terceira parte final, do mês de Ramadã. 

De acordo com ensinamentos autênticos do Profeta Muhammad (que Deus o louve), os muçulmanos são aconselhados a passarem a vigésima primeira, a vigésima terceira, a vigésima quinta, a vigésima sétima e a vigésima nona noite de Ramadã, em adoração, e fazendo boas obras, para se assegurarem de encontrar a Laylat Al-Qadr. 

Uma parte dos muçulmanos fica acordada a noite toda, em orações e boas obras, mas o Profeta e seus companheiros, costumavam dormir, pelo menos, um terço da noite. Em alguns países muçulmanos, a vigésima sétima noite de Ramadã, é um feriado, para permitir que as pessoas descansem durante o dia, depois de uma noite inteira de adoração. As escolas fecham de 20 de Ramadã, até 2 de Shawal, para combinar as observâncias de Laylat Al-Qadr, e Eid Al-Fitr (celebração islâmica que começa com o fim do Ramadã).

Itiqaf ou Reclusão

A prática do Profeta Muhammad era passar os últimos dez dias, e noites, de Ramadã, em uma mesquita. Seguindo a prática dele, é considerado um ato de adoração, ficar em reclusão em uma mesquita da vizinhança. Pessoas reclusas passam seu tempo, em várias formas de Zhikr (lembrança de Deus), como realizar orações extras, recitação e estudo do Alcorão, estudo dos Hadiths (ditos do Profeta Muhammad), e exortação mútua, a fazer o bem através da obediência a Deus, e Seu Mensageiro. Como as pessoas reclusas não têm permissão para saírem da mesquita, exceto para emergências, elas dormem na mesquita, e usam suas instalações disponíveis.

A comida para as pessoas reclusas é fornecida por seus próprios familiares, ou pelas pessoas na comunidade. A reclusão termina, geralmente, com a declaração de que a lua foi avistada, ou no fim do mês de Ramadã. Para pessoas ocupadas, é permitida uma versão mais curta de reclusão, como uma noite, um dia, ou alguns poucos dias.

Sadaqat El fitr

Em geral, qualquer ajuda material, fornecida aos pobres, necessitados, e aqueles que pedem e merecem, é chamada de Sadaqat. O Sadaqat El-Fitr, que também é chamado de Zakat El-Fitr, é a ajuda material obrigatória, fornecida aos pobres da sociedade, antes das orações do Eid, dada de preferência, com antecedência suficiente, para os pobres se prepararem para a celebração. Um alimento não perecível, como o arroz, por exemplo, deve ser dado em nome de cada membro da família do doador, ao necessitado, incluindo bebês.

Id el Fitr

O fim do mês de jejum é celebrado em 1 de Shawal, o décimo mês, que vem depois do Ramadã. No vigésimo nono dia de Ramadã, após o pôr do sol, as pessoas saem procurando por uma nova crescente no horizonte ocidental, onde o sol se põe. Se o crescente é avistado, é declarado o fim do Ramadã. Se o crescente não é avistado, o Ramadã é estendido em mais um dia.
No dia do Eid, as pessoas tomam um banho de manhã cedo, tomam o café da manhã, usam suas melhores roupas, se perfumam, e vão para o local da congregação do Eid, pronunciando o takbirat, dizendo: “Deus é o Maior, não existe divindade exceto Deus, e todos os louvores pertencem a Deus”.  Os muçulmanos pronunciam o takbirat em suas casas, na rua, e no lugar de congregação, enquanto esperam pelo líder, o Imam. 

Era a prática do Profeta Muhammad, fazer a oração congregacional do Eid, em locais abertos. Seguindo a prática do Profeta Muhammad, é aconselhável que os muçulmanos façam as orações do Eid, em locais abertos. Em países muçulmanos de clima quente, existem locais designados para oração do Eid. Entretanto, na América do Norte, os muçulmanos alugam salões em centros de convenções, ou grandes hotéis. 

O Imam lidera as orações, nos horários determinados, e então faz um sermão. No final do sermão as pessoas suplicam, se saúdam, se abraçam, e se parabenizam mutuamente, pela conclusão bem sucedida do Ramadã, e pedem a Deus, a aceitação de seus esforços em Sua obediência.

Durante o dia, as pessoas se visitam, e as crianças recebem presentes. Em alguns países, as pessoas fazem piqueniques, e outras fazem reuniões. As celebrações do Eid podem ser organizadas no trabalho, ou em qualquer outro ambiente social. Essencialmente, o Eid é um dia de agradecimento a Deus, e um dia de encontrar a família e os amigos.

Umrah (ou haj menor) no Ramadã:

Existe um relato do Profeta Muhammad, dizendo que realizar a Umrah, no mês de Ramadã, é igual a realizar um Haj maior, ou completo. Haj é a peregrinação à Meca. O Haj é a ratificação de alguns dos testes e tribulações do Profeta Abraão (que a paz esteja sobre ele), sua esposa Agar, e seu filho mais velho, Ismael. 

O Haj completo, dura cinco dias, mas a Umrah, é completada em aproximadamente duas horas. A Umrah é apenas uma pequena parte do Haj. O sacrifício de um animal pode ser oferecido na conclusão da Umrah, que pode ser realizada em qualquer época do ano, mas tem um significado especial, no mês de Ramadan.

Texto do Alcorão:

Al Baqara (A vaca):
183 - Ó fiéis, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Deus;
184 - Jejuarão determinados dias; porém, quem de vós não cumprir jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuará, depois, o mesmo número de dias. Mas quem, só à custa de muito sacrifício, consegue cumpri-lo, vier a quebrá-lo, redimir-se-á, alimentando um necessitado; porém, quem se empenhar em fazer além do que for obrigatório, será melhor. Mas, se jejuardes, será preferível para vós, se quereis sabê-lo;
185 - O mês do Ramadã foi o mês em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade e vidência de orientação e Discernimento. Por conseguinte, quem de vós, presenciar o novilúnio deste mês, deverá jejuar; porém, quem se achar enfermo ou em viagem jejuará, depois, o mesmo número de dias. Deus vos deseja a comodidade, e não a dificuldade; mas cumpri o número de dias e glorificai a Deus, por ter-vos orientado, a fim de que (Lhe) agradeçais. 


Therese Mourad
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário