Os quatro temperamentos básicos

Os signos astrológicos, e as doenças, são relacionados com os planetas e, consequentemente, com os signos. 
Eles descrevem os sintomas das doenças, de forma psicossomática, induzindo as analogias necessárias para buscar em sua própria mente, e em seu próprio temperamento, a natureza de suas doenças. 

A astrologia divide os signos 
zodiacais segundo suas qualidades, em Cardeais, Fixos e Mutáveis. 

Dos signos Cardeais, dependem a atividade, o movimento, a energia, e as atividades corporais, e físicas. 


Dos signos Fixos, dependem a estabilidade, a firmeza, vontade, a paixão, assim como a energia psíquica. Dos signos Mutáveis, dependem a adaptação, a reflexão, a maleabilidade, o movimento alternativo, e vibratório, e a atividade mental. 

Os signos Cardeais, Áries, Câncer, Libra e Capricórnio, predispõem as pessoas a problemas de cabeça, de estômago, de rins e da pele. Os signos Fixos, Touro, Leão, Escorpião e Aquário, predispõem as pessoas às dores de garganta, problemas do coração, das costas, da circulação sanguínea, dos órgãos genitais. 

Os quatro temperamentos básicos são: 
Bilioso: Que depende dos signos de Fogo (Áries, Leão e Sagitário), e dos planetas, Marte e Sol. Predispõe às doenças da bile e inflamatórias, torna a natureza excitável, temerária e febril. Confere predisposições ativas, políticas e militares. É um temperamento de ação. 

Nervoso: Que depende dos signos de Terra (Touro, Virgem e Capricórnio), e dos planetas, Mercúrio, Urano e Saturno. Confere uma forma de agir agitada e apressada, e predispões às doenças de ordem nervosa. Confere aptidão para profissões científicas, comerciais e intuitivas. É um temperamento de pensamento. 

Sanguíneo: Que depende dos dignos de Ar (Gêmeos, Libra e Aquário), e do planeta, Júpiter, em particular. Confere uma natureza ativa e um corpo rechonchudo, e predispõe às doenças do fígado, e à apoplexia. A natureza é jovial e otimista. Confere aptidão para as atividades industriais e intelectuais. É um temperamento de ação. 

Linfático: Que depende dos signos de Água (Câncer, Escorpião e Peixes), e dos planetas, Lua, Vênus e Netuno. A sua natureza é anêmica, lânguida e letárgica. Tem tendência à hidropisia e à falta de glóbulos vermelhos no sangue. Possui disposições artísticas, plásticas, contemplativas e emocionais. É um temperamento de sensação e sentimento. 

Além dos quatro temperamentos, podemos descrever as partes do corpo que são regidos pelos signos: 

Áries: A cabeça, a face, a testa, os olhos e o cérebro. 
Touro: O pescoço, a garganta, a laringe. 
Gêmeos: Os pulmões, os braços e mãos, os ombros, os nervos. 
Câncer: O estômago, o peito, a caixa torácica, os seios. 
Leão: O coração, as costas, a coluna vertebral. 
Virgem: O ventre, os intestinos e os órgãos de assimilação. 
Libra: Os rins 
Escorpião: Os órgãos sexuais, o intestino grosso, a bexiga, o ânus e o nariz. 
Sagitário: As coxas, as nádegas, os quadris. 
Capricórnio: Os joelhos, a pele, os ossos e as cartilagens. 
Aquário: As pernas, tornozelos, o sangue, as costas e os nervos. 
Peixes: Os pés, as mucosas, a linfa. 

Ainda existem as analogias com os signos Cardeais, Fixos ou Mutáveis, e dos elementos, Terra, Ar, Fogo e Água, que podem ser deduzidos pelos 12 signos descritos acima. 

Desta forma, quando falamos da influência dos astros sobre nossa saúde, nos referimos sempre à Lei Hermética, descrita no cabeçalho: "O que está embaixo é como o que está em cima, e o que está em cima, é como o que está embaixo". 

Ao descrever os sintomas das doenças, de forma psicossomática, queremos induzir nossos leitores a fazerem as analogias necessárias para buscar em sua própria mente, e em seu próprio temperamento, a natureza de suas doenças. Não tenho a intenção de curar o doente, já que este é o papel da medicina, seja ela alopática, homeopática, ou holística, mas de induzi-lo à reflexão. "Mens sana in corpore sano", diziam os romanos. 

Se considerarmos rapidamente os sintomas do resfriado, ou da gripe, veremos que eles são processos de inflamação agudos, dos nossos órgãos de respiração. Um resfriado, ou uma gripe, se manifesta normalmente, quando estamos em situação de crise, quando a gente "já não aguenta mais", alguma coisa. 

Podem não ser crises violentas, que se manifestariam também de modo violento, mas crises de situação, difíceis de serem assimiladas. Para a nossa psique, uma situação difícil, de suportar, pode desencadear uma situação de crise, que irá se manifestar em fadiga, sensação de peso, vontade de largar o corpo. Desta forma, através do resfriado, fazemos com que todos nos aconselhem a cama e o repouso, nos ajudando assim, a superar o momento de crise. 

Nosso resfriado, nos ajuda a "manter distância", das pessoas e dos problemas, com nosso nariz entupido, os olhos lacrimejantes, a dor de cabeça; ninguém ousaria vir discutir algum problema conosco! Se, além disso, tivermos acessos de tosse, isto significa que estaremos de forma clara, limitando o contato com os outros, como num instintivo movimento de defesa. 

Podemos também ter inflamação nas amígdalas, que nos impedem, de "engolir" os sapos do nosso dia à dia. Quando não aceitamos mais as coisas como elas são, e não as engolimos mais, ficamos resfriados. Porém, para sararmos deste resfriado, precisamos expelir o catarro, que bloqueia nossos pulmões, fazendo desta forma, um esforço para recomeçar o fluxo da vida, e limparmos o nosso organismo, num verdadeiro processo de purificação. 

Na medicina homeopática, este processo é tido como benéfico, e exonerativo, pois o corpo e a alma saem fortificados da crise. Façamos então estas perguntas: Quais sãos os problemas que estão sobre minhas costas? O que é que quero "manter à distância"? O que quero jogar na cara dos outros? O que não consigo engolir? Desta forma estaremos facilitando nosso processo de cura.


Betty Ziade
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário