Raquel Cooper Call

A estrela brasileira da Zumba

Ela é linda, carismática, doce e... Brasileira! Raquel Cooper Call é uma notória e conceituada ZIN (Zumba Instrutor Network) brasileira, que atualmente mora no Chile. Nascida no Rio de Janeiro, em 1979, ela é a filha mais velha, dentre os cinco filhos do casal Flavio e Leonor Cooper. 

Raquel viveu no Leblon até os 10 anos, quando sua família se mudou para São Paulo, onde seu pai, um renomado advogado, assumiu o cargo de Juiz do Tribunal Regional do Trabalho. Um tempo depois, sua família saiu da capital, e mudou-se para São José dos Campos, onde ela viveu até os 18 anos. Atualmente, a família de Raquel, está estabelecida em Campinas.

Raquel sempre esteve ligada as atividades esportivas, e chegou a jogar vôlei profissionalmente na adolescência, além de ter feito também aulas de dança. Ela cresceu dentro da comunidade da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e segundo ela mesma conta, durante os bailes destinados para os jovens, ela já dançava as musicas, seguindo os passinhos da moda.

“Eu era muito feliz, meus pais me ensinaram e foram ótimos exemplos de vida”.

Aos 19 anos, ela se mudou para Salt Lake City, em Utah, onde se encontra a sede de sua igreja, para estudar inglês na Brigham Young University. Mesmo sem falar inglês, ela se socializou facilmente na comunidade mórmon da cidade, e fez ótimos amigos, com quem ela participava de inúmeras atividades da igreja. Numa reunião familiar da universidade, ela conheceu seu marido Matthew Call, que já havia sido missionário em Porto Alegre por dois anos, e falava português. Mas não foi apenas o português que acabou aproximando-os, o coração falou mais alto, e três meses depois Raquel e Matthew se casaram. 

Um ano depois, nasceu Eric, seu primeiro filho, e algum tempo depois, Raquel mudou-se para a Alemanha, onde seu marido foi fazer mestrado; e foi em terras alemãs que nasceu Larissa, sua filha. De volta aos EUA, Raquel e Matthew moraram em diversos lugares, como: Dallas, Austin, San Antonio, Atlanta e Tulsa, onde após o nascimento do seu quarto filho, Raquel conheceu a Zumba.

Raquel conta que estava bem acima do peso, com depressão, ansiedade profunda, e síndrome do pânico, e as aulas de Zumba mudaram sua vida em três meses, onde ela perdeu os quilos extras, saiu da depressão, e mergulhou no universo da Zumba, com a ajuda de sua professora, que na época, era a ZES de Oklahoma, e contribuiu profundamente, para a mudança de vida de Raquel; treinando-a e ensinando-a tudo o que sabia, e transformando Raquel na grande e conceituada instrutora de Zumba (ZIN), que ela é hoje.

O que é Zumba?
 Zumba, é um programa completo de fitness e dança criado pelo bailarino, e coreógrafo colombiano, Alberto "Beto" Perez (42 anos), durante a década de 90. O programa de Zumba Fitness envolve dança e elementos aeróbicos, e as coreografias de Zumba incorporam hip-hop, samba, salsa, merengue, mambo, artes marciais, cumbia, reggaeton, passos de Bollywood, e dança do ventre. As aulas de Zumba queimam calorias (de 800 a 1000 calorias por aula), e está proporcionando alegria e saúde a milhões de pessoas.

O Zumba Fitness® é o único programa de dança e ginástica, com inspiração em ritmos latinos, que combina música internacional de alta energia, com passos contagiantes, que juntos convergem para uma "ginástica em festa", absolutamente viciante, e criado por produtores ganhadores do Grammy.
Desde a sua criação, em 2001, o programa Zumba cresceu até se tornar o maior – e mais bem-sucedido – programa de dança e ginástica, que conta com mais de 14 milhões de pessoas de todas as idades, que fazem aulas diárias e semanais, em mais de 140.000 academias, espalhadas em mais de 150 países.



De onde surgiu a Zumba?
 Como instrutor de ginástica em sua cidade natal, Cali, na Colômbia, a vida do Beto tomou um rumo inesperado em meados dos anos 90, quando na pressa para chegar à academia e dar uma aula de aeróbica, Beto esqueceu as músicas que sempre usava. 

Ele teve de improvisar, e usou uma seleção de fitas cassetes que tinha na sua mochila (salsa e merengue: a música que ele cresceu ouvindo). Sem querer, ele criou um novo tipo de ginástica-dança, que se concentrava em deixar a música levar o aluno (em vez de contar repetições ao ritmo da música). 
 A energia tomou conta da sala, as pessoas não conseguiam parar de sorrir. A turma dele adorou! E, naquele dia, um conceito novo e revolucionário de ginástica nasceu: a Zumba.

Em 2001, Beto levou seu estilo de ginástica com dança para Miami, Flórida, e através de uma aluna, reuniu-se com os empresários Alberto Perlman e Alberto Aghion. Os três, todos vindos da Colômbia, tiveram a visão de levar esta aula dinâmica de ginástica com dança para as massas. Os três Albertos formaram uma aliança, e criaram uma empresa, à qual chamaram de Zumba Fitness. 

Eles registraram a palavra Zumba®, e definiram uma meta para expandir a marca em todo o mundo. Primeiro vieram os DVDs, depois o infomercial – que apresentou o Zumba Fitness-Party para o público em larga escala–, em seguida, veio à demanda por aulas de Zumba, e instrutores de Zumba. Foi quando a empresa decolou, e o programa Zumba expandiu-se em todo o mundo. 

Em 2005, eles criaram a Zumba Academy™, uma academia completa para licenciar instrutores de Zumba para dar aulas. Na sequência veio o lançamento da marca de roupas e acessórios Zumbawear™ e os CDs de música. Em 2008, foi lançada uma das séries de DVDs de ginástica para se fazer em casa, que se tornaram os DVDs mais vendidos de todos os tempos: o Zumba Fitness® Total Body Transformation System, estrelado pelo Beto Perez, e apresentando as mais novas estrelas da Zumba Fitness: Tanya Beardsley e Gina Grant. 

Em 2010, a empresa revolucionou mais uma vez, sendo o primeiro programa de ginástica comercial, a lançar um videogame nas três principais plataformas: Wii, Xbox e PS3. A empresa ainda possui uma revista própria a Z-Life, uma publicação trimestral, totalmente focada no universo da Zumba Fitness e sua filosofia, além de dicas e conselhos de saúde, alimentação, e estilo de vida saudável. 

Ainda em 2010, a Zumba Fitness, criou a Zumba Amor, visando promover iniciativas de caridade, para angariar fundos, e desenvolver a conscientização para causas importantes de saúde global, através da dança, do fitness, da amizade, alegria e do amor. A rede angariou milhões de dólares para o câncer de mama, doença do neurônio motor, saúde do coração, Parkinson, e outras, através de diversos eventos de caridade realizados pelas atividades da Zumba Fitness. Até agora já foram realizados 9.380 eventos de caridade, em 83 países, com arrecadamento de 3,5 milhões destinados a causas nobres.
 Anualmente a empresa ainda realiza uma convenção em Orlando, que reúne instrutores de Zumba do mundo todo. 

Existem 8 modalidades de Zumba: 

• Zumba Toning (onde são usados sticks – pesinhos); 
• Acqua Zumba (aula realizada na piscina); 
• Zumba Sentao (aula com o auxilio de uma cadeira); 
• Zumba Gold (para pessoas da terceira idade); 
• Zumba Gold Toning (aulas com os sticks pra terceira idade); 
• Zumba Kids (crianças de 7 a 11 anos); 
• Zumba Kids Jr (crianças de 4 a 6 anos); 
• Zumbini (bebes ate 3 anos) e Zumba in the Circuit.

Existem dois tipos de instrutores de Zumba:
• Zumba Instrutor Network (ZIN): que são os instrutores encontrado nas academias do mundo todo;

• Zumba Educational Specialist (ZES): que são os instrutores de treinamento dos ZINs. 

"Eu tive o prazer de entrevistar a ZIN Brasileira, e Profª Internacional de Zumba Fitness, Raquel Cooper Call, que ainda faz parte do time Zumba Party Brasil (que pretende organizar um TOUR por todo o mundo). Ela me contou um pouco sobre sua vida pessoal, espiritual, e seu trabalho como Instrutora de Zumba, acompanhem:"

GB: Raquel como é ser mãe de 4 filhos, ser esposa, dona de casa, e instrutora de zumba?

Raquel: Eu conto com ajuda, não conseguiria fazer tudo sozinha. Tenho uma assistente, no momento, a Mariana Mota, que me ajuda e também é minha secretária no meu business de Zumba. Meu marido também apoia e ajuda muito. Eu crio os meus filhos, de modo que eles também ajudam na casa.

GB: Você e mórmon, como tua comunidade religiosa reflete na tua carreira como instrutora de zumba?  

Raquel: Sim, sou mórmon. Na realidade, "mórmon" é um apelido dado a nós, por outras religiões, por acreditarmos no livro de Mórmon, mas o verdadeiro nome da Igreja é Igreja De Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Eu cresci nessa igreja, meus pais se batizaram nela quando ainda eram adolescentes, no Rio De Janeiro. Ser da igreja me diferencia como professora de Zumba, porque eu tento ser um bom exemplo para as pessoas, eu amo meus alunos, eu os ajudo, os sirvo. 
Sempre tento fazer o que Deus espera de mim. Mesmo sabendo que sou imperfeita, mas sempre continuo tentando. Na igreja, nos não temos vícios e não praticamos nada que não seja saudável. Acreditamos que não devamos ser desonestos, não quebramos a lei de castidade, e somos fiéis aos nossos maridos e esposas. Nós usamos roupas mais recatadas para mostrar respeito ao Salvador, não falamos palavrão, ou mal dos outros. 

GB: Então seus pais já seguiam essa religião, antes de você nascer? 

Raquel: Sim, meu pai era de família católica, e tinha 18 anos quando conheceu os missionários que lhe ensinaram o evangelho. Quando ele se batizou na igreja, a família dele, praticamente, o expulsou de casa. Ate hoje ele é criticado por essa escolha. Ele era roqueiro, tinha amigos ruins, uma vida de vícios, e de repente, entrou para a igreja e mudou de vida; e hoje, é o Juiz mais abençoado do mundo, com uma família linda.  

GB: E sua mãe? Já estava na igreja quando ele entrou? 

Raquel: Minha mãe tinha 16 anos, e também estava indo para o mesmo caminho. Entrou para a igreja por causa da mãe dela (minha avó). Minha avó se afastou da igreja, mas ela continuou firme e se casou com meu pai no templo, para toda a eternidade, e construíram uma família feliz. Eu cresci com esse conhecimento, e sempre acreditei ser verdadeiro. 

GB: Quais as diferenças no estilo de vida, e as diferenças, entre a Igreja mórmon e as demais igrejas cristãs?  

Raquel: A diferença maior da minha religião é a de que eu sei que ela é a única igreja verdadeira na Terra. Quando mataram Jesus e todos os apóstolos, as pessoas daquela época estavam muito iníquas, e Deus tirou a igreja verdadeira da Terra. Um período negro veio sobre a Terra por muitos anos, até que um jovem filho de uma mãe metodista, e de um pai batista, querendo saber à qual igreja unir-se, orou com fé em um bosque, na esperança de receber uma resposta de Deus. 
Ele teve um contato direto com Deus e Jesus, que lhes disseram que a igreja verdadeira ainda não existia, e ele estava sendo chamado para ser o primeiro profeta, a restaurar a igreja verdadeira de Jesus na Terra. Cremos que todas as religiões têm coisas muito boas, mas nós temos todo o conhecimento, e um profeta vivo. Eu também orei e recebi minha resposta. Eu vivo o evangelho na minha família, e ensino-o aos meus filhos. 

GB: Como foi seu processo de mudança e adaptação dos EUA para o Chile?   

Raquel: Morávamos em San Francisco, onde eu tinha um grande estúdio de Zumba, com 1500 alunos, e estava muito bem, financeiramente. Meu marido recebeu uma transferência de trabalho para o Chile, e eu orei para saber a vontade de Deus, porque eu não queria deixar minhas alunas, minhas aulas, eu queria ficar, mas meu marido queria vir. Eu orei e senti que Deus queria que eu deixasse tudo para trás, e começasse do zero no Chile. Eu não falava espanhol, não conhecia ninguém aqui, mas dei um passo de fé, e a igreja me recebeu muito bem no Chile. 

GB: Como teus filhos lidaram com a mudança de idioma e de cultura? Eles estão estudando no sistema chileno, ou você encontrou uma escola americana para eles?

Raquel: Fizemos novas e ótimas amizades, aqui tem muitas atividades na igreja, e eu fui logo chamada como Conselheira da Sociedade de Socorro, que é uma posição de liderança das mulheres, onde eu posso continuar ajudando ainda mais as pessoas. Em seguida, abri um estúdio de Zumba, e viajo todo fim de semana, voluntariando e fazendo Zumba Máster Classes para caridade. Até agora, eu não tenho muitos alunos, tem sido difícil, mas um dia de cada vez... Já se passaram cinco meses e eu estou falando e entendo bem o espanhol. As crianças estão em um colégio chileno, e já aprenderam a falar o idioma também. Estamos felizes aqui.

GB: Como é tua rotina diária? E como foi inserir o seu ritmo de trabalho, com zumba, num país onde você não falava o idioma, e não conhecia ninguém?

Raquel: Levar crianças na escola, ensinar Zumba, almoçar, ensinar Zumba, pegar crianças na escola, jantar, ensinar Zumba... Essa é a minha vida. Aos sábados, eu voluntario com Zumba, e passo o tempo com a família. Domingo, é dedicado à igreja, e à família. Aprendi a fazer amigos facilmente, porque eu me mudei mais de 15 vezes na vida, e hoje tenho amigos no mundo todo.

GB: Você é uma pessoa muito doce e carismática, difícil não se encantar por você. Como seu marido lida com isso?

Raquel: Meu marido não é ciumento. Na realidade, ele diz que não é, mas no fundo é, mas ele se controla bem. Eu também tenho que me cuidar, por que ele é lindo e carismático, então, nós dois sempre estamos juntos e namorando, indo no cinema, viajando juntos, conversamos e tentamos sempre estar apaixonado um pelo outro. O sucesso no casamento para nós é a meta numero um, a nossa prioridade, e não a Zumba. Ele também viaja com o trabalho dele, e eu tenho que confiar nele. A mesma coisa ele tem que fazer comigo. Se eu e ele estamos felizes, e vivemos uma vida sem brigas, não tem porque se preocupar. Vivemos o evangelho, e acreditamos que temos que ser fiéis até no pensamento, e queremos uma família eterna com os nossos filhos, então estamos lutando, e a luta é diária.

GB: Desde quando você morava nos EUA, você já oferecia algumas aulas gratuitas. Existe algum propósito para essas aulas gratuitas?

Raquel: As aulas que eu mais amo são as aulas gratuitas. São especiais para mim, porque nessas aulas as pessoas que não têm condições de pagar uma aula, fazem a aula, e eu consigo ver nos olhinhos delas, a gratidão. Essas pessoas sempre me pagam, sem dinheiro, mas com abraços, carinho, e isso para mim vale muito mais. Eu continuarei a voluntariar, pelo menos uma vez por semana, para a comunidade carente. EU AMO!

GB: Recentemente, observei que você abriu turmas para pessoas com Síndrome de Down. Conte mais sobre esse seu trabalho com esses alunos especiais, creio que você seja a pioneira, nesse segmento, em oferecer aulas de zumba para pessoas especiais, estou certa?

Raquel: Eu encontrei uma escola grande na cidade, com crianças que têm síndrome de down. Eu pedi para a diretora, um dia que eu pudesse voluntariar, dando aulas de Zumba para eles. No começo eu tive medo, mas depois da minha primeira aula com eles, me encantei e me apaixonei! Agora quando eu entro no ginásio, todos gritam "Raquel, Raquel! Viva Zumba". Eu me emociono muito! Eles não me seguem muito, mas se divertem, e me abraçam, e me amam muito! Estou realizada ensinando para eles, não sei se sou pioneira nisso, mas estou muito feliz.

GB: Como é participar da Zumba Convention, um evento que reúne anualmente, instrutores do mundo todo, e com a participação de Beto Perez, o “pai” da zumba?

Raquel: A melhor experiência do mundo. Eu amei minha primeira Convenção de Zumba, em Orlando. Foi há 4 anos, eu dancei uma semana sem parar, de manhã até a noite, fiz amigos maravilhosos, que tenho até hoje. O Beto Perez está sempre muito ocupado, correndo de um lado para o outro, nem deu para falar com ele, só deu para eu tirar uma foto com ele, nem com as celebridades da Zumba eu consegui acesso, isso foi uma decepção, mas o resto foi mágico. Em quatro anos, não perdi nenhuma Convenção de Zumba, mas este ano, por motivo da mudança para o Chile, não tive o dinheiro para poder ir, e estou imensamente triste. Alunos meus que se tornaram instrutores foram esse ano pela 1ª vez para a convenção, e eu não pude estar lá. 

GB: Qual atividade que você realizou, ou participou, que mais te marcou?

Raquel: Eu abri o show do grupo Harmonia do Samba, fazendo uma Zumba Máster Class, em 2012 pra centenas de pessoas; o cantor Xandy estava no camarim, me olhando o tempo todo, e quando ele entrou no palco e começou a cantar, ele me chamou para dançar com ele. Isso me marcou muito, pois eu sempre amei a banda! Também me marcou ensinar Zumba no concurso Miss Brasil USA de 2012, em San Francisco. Foi muito lindo e emocionante! Eu participei ainda, de um máster class oficial, pós-convenção de Zumba, em Orlando, onde muitas celebridades estiveram presentes; e eu ensinei três músicas. 
E finalmente, fiz parte do workshop oficial da Convenção de Zumba no Bahia Beat, com o ZES Ailton Andrade, em 2011. São muitas emoções, e eu sou grata a Deus, por essas oportunidades.  

GB: Entre os instrutores mais notórios da equipe de Beto Perez, existem duas brasileiras. Você acha que a zumba possui uma influência brasileira? Como você acha que seria a zumba, sem o toque do Brasil? 

Raquel: A Zumba não tem a ver com ritmos brasileiros, a fórmula da Zumba deve ter 80% de ritmos latinos, como Salsa, Merengue, Cumbia e Reggaeton, e os outros 20%, pode ter outros ritmos. E a música brasileira está nesses 20%... É um detalhe para a Zumba. O Programa iria continuar sendo popular se não houvesse musica brasileira. Para mim, que sou brasileira, eu amo quando posso ensinar as músicas brasileiras, porque elas fazem parte da minha cultura, e eu sou grata que a Zumba permite isso. Amo samba, axé, funk, e nos 20% da aula, eu sempre estou ensinando. 

GB: Em seus vídeos, suas aulas têm um enfoque maior no Brasil. Você aproveita o fato de o Brasil estar inserido na zumba, pra divulgar a cultura brasileira aos seus alunos, ou você mantém esse foco maior no Brasil, para se sentir mais perto da pátria?   

Raquel: Eu sou carioca... Samba/axé/funk estão no meu sangue. O que mais me chamou atenção no programa da Zumba, foi o fato de que eu poderia ensinar ritmos brasileiros. E por esse motivo, é que estou há seis anos no mundo da Zumba. Para compartilhar a minha cultura com o mundo todo. Meu site tem Brasil, meu marketing tem bandeira brasileira, e meus vídeos tem coreografias brasileiras. Eu amo meu Brasil, e também amo os outros ritmos. No começo eu odiava Salsa, mas depois de ensinar Salsa por dois anos eu aprendi a gostar, e hoje posso dizer que é o meu ritmo favorito. Amo ensinar merengue, cumbia, salsa, belly dance, a aula fica variada, e estimulante. O Beto foi realmente uma pessoa inteligente quando inventou o programa e a empresa.

GB: Quando você está de férias no Brasil, você continua dando aulas de Zumba em vários lugares, como sua família, e parentes no Brasil, reagem a isso? 

Raquel: Minha família apoia muito, e até vão atrás de espaços para eu dar as aulas, que são todas grátis. Meu marido também vai, tira fotos, filma; meus filhos dançam comigo no palco. Todo mundo se diverte: minha mãe, meu pai, meus irmãos, eu coloco todo mundo no palco comigo. 

GB: Existe um programa de fitness, parecido com Zumba, a “Bokwa”, o que você achou dessa modalidade?

Raquel: A Bokwa parecia interessante no começo. Eu vi os vídeos e fui ate chamada para participar em ensinar. Primeiro, eu não acho parecido com Zumba, segundo, eu não conseguiria ensinar esse programa, achei chato, fazer os números e letras. Eu prefiro fazer as coreografias livremente, e sentir a musica.

GB: O que você gostaria de dizer para as pessoas que gostariam de aprender zumba, ou se tornar instrutoras? 

Raquel: Se você quer perder peso se divertindo, Zumba Fitness é um dos melhores programas para isso. Você primeiro tem que encontrar um bom professor, porque o fato que qualquer pessoa pode ser professor, não significa que todos os professores são bons e carismáticos, e que tenham ritmo. Então, meu conselho é: Tente de 5 a 10 professores diferentes de Zumba, daí escolha aquele que você se identificar mais e ponha à prova. Frequente por três meses, e veja como você irá ficar em boa forma, e com uma saúde mental melhor. Você não sente que 1 h de aula passou, porque é uma festa. Zumba é mais barato do que terapia... A Zumba me curou, e irá te curar também. 


Raquel tem milhares de vídeo em seu canal no Youtube, confira-os aqui: http://www.youtube.com/user/quelzumba/videos

Raquel e sua família




Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário