Soldados israelenses se infiltram no Líbano

Foto- AFP/Menahem Kahana

Uma explosão na fronteira do Sul do Líbano, deixou quatro soldados israelenses feridos. Segundo a UNIFIL (Força Interina das Nações Unidas no Líbano), os israelenses, teriam ultrapassado a Linha Azul, e entrado em território libanês, na manhã de quarta-feira.

"Soldados  israelenses cruzaram a Linha Azul (traçada pela ONU, como um limite entre Líbano e Israel), na cidade fronteiriça de al-Labbouneh", disse o comunicado do exército libanês.

"Durante a infiltração ocorreu uma explosão, deixando um número de soldados feridos", acrescentou o comunicado.

Depois do meio-dia, o exército libanês permitiu que repórteres e fotógrafos documentassem a ocorrência.

Um porta-voz militar israelense, disse em termos vagos, que quatro soldados foram feridos durante "a atividade durante a noite ao lado da fronteira norte de Israel", sem especificar o local exato, nem o tipo de atividade, que os soldados estavam realizando.

Também não ficou claro o que causou a explosão, embora pistas para o resultado da investigação,são relativas a distância que os soldados israelenses percorreram dentro do território libanês.


O exército libanês, disse que a patrulha israelense violou a Linha Azul, a uma distância de aproximadamente 400 metros, quando a explosão ocorreu. Outros relatórios mostram que a distância era menor, sendo assim há a possibilidade que os soldados israelenses foram feridos por uma de suas antigas minas terrestres, que estão localizadas entre 50 e 185 metros de profundidade nesta região, perto dos postos da UNIFIL. 

O campo minado foi instalado pelas forças israelenses a partir de meados da década de 1970, quando eles tinham o controle sobre grande parte da zona fronteiriça. 

No entanto, se a distância alcançada pelos soldados israelenses foi menor do que 400 metros, então há explicações alternativas para a explosão, como a possibilidade de engenhos explosivos não detonados, como bombas de fragmentação que sobraram da guerra de 2006.

E ainda assim, a explosão pode ter sido causada, por dispositivos de defesa, improvisados pelo Hezbollah para tal eventualidade.

Quanto ao objetivo da incursão israelense, fontes de segurança no Líbano afirmaram que isso poderia ter sido relacionado a coleta de informação. Desde a guerra de 2006, o Hezbollah e o exército libanês descobriram vários dispositivos de monitoramento de Israel, incluindo câmeras e transmissores.

O Ministro das Relações Exteriores interino Adnan Mansour condenou veementemente a violação israelense.

O ocorrido "revela, mais uma vez as intenções deliberadas do inimigo através da invasão no território libanês. O que constitui uma flagrante agressão à soberania do Líbano e uma flagrante violação da resolução 1701 ", disse ele.

Mansour ainda disse, que o Líbano vai apresentar uma queixa junto ao Conselho de Segurança da ONU.

O presidente do Líbano, Michel Sleiman criticou a incursão israelense como "mais uma violação da Resolução 1701 e soberania libanesa".

O comandante e general da UNIFIL, Paolo Serra, afirmou que soldados israelenses realmente cruzaram a Linha Azul, e pediu a colaboracao de Israel e do Líbano para realização da investigação do incidente, mas também reconheceu a violaçãode Israel.

" A UNIFIL protesta veementemente a violação israelense... é claro que a presença de soldados israelenses no Líbano, em violação da Linha Azul constitui uma grave violação dos termos da Resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU", Serra disse em um comunicado.

"A presença evidente das forças israelenses no Líbano e sua violação da Linha Azul é uma brecha perigosa da Resolução da ONU", acrescentou.

Serra também observou que a força de paz da ONU no Líbano, lançou uma investigação sobre os incidentes e as descobertas da UNIFIL serão apresentadas para ambos os lados na próxima reunião no final deste mês.

"O principal objetivo da UNIFIL é determinar a natureza precisa da violação da resolução 1701, para que possamos trabalhar com as partes para evitar a repetição de tais incidentes ou quaisquer tensões relacionadas que poderiam agravar a situação", disse ele.

Em julho, cinco soldados israelenses cruzaram a Linha Azul, e segundo ao porta-voz da UNIFIL, Antoinette Midday,  isso foi  uma violação da resolução 1701 do Conselho de Segurança. Antoinette afirmou que o incidente foi "provocativo" e violou a soberania libanesa.

Frequentemente, as forças israelenses, violam a resolução da ONU, tanto por terra, como pelo ar. O exército libanês também afirmou que aviões israelenses violam o espaço aéreo do Líbano sobre várias regiões libanesas, todos os dias, e inclusive dois voos ilegais foram registrados no mesmo dia da explosão.


Chadia Kobeissi
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário