Unha encravada


A vida não facilita as coisas para um dedão do pé. Tente se colocar no lugar dele: o dedão do pé tem que enfrentar frieiras, chulé, calos, chutes na quina da cadeira, e a temida, dolorosa, e irritante unha encravada. Por ser o maior dedo, ele é o que mais sofre em sapatos apertados, e é a primeira vítima de chutes e tropeços, e traumas que podem dar início ao processo de encravamento.

A Onicocriptose, ou o termo popular, “unha encravada”, é uma dor ou inflamação, que ocorre no dedo quando a borda lateral da unha fere a pele adjacente, enterrando-a ao seu redor. Isto acontece porque a pele forma uma barreira ao crescimento da unha e, como esta é mais dura, e não para de crescer, ela adentra a pele, causando os sintomas mais comuns, como dor e inflamação.

As causas mais prováveis, são o corte de maneira incorreta da ponta das unhas, e sapatos apertados. Ocorre mais comumente nas unhas dos pés, mas também, raramente, afeta as mãos. Ela pode ocorrer também, por tropeções, queda de objetos sobre a unha, provocando maior afluxo sanguíneo para o local, o que propicia um adelgaçamento da pele do sulco ungueal, e consequente ruptura da mesma, facilitando a penetração de bactérias.

A melhor maneira de prevenir a unha encravada é cortando as unhas corretamente. Devem ser cortadas retas, nunca removendo os cantos, deixando sempre as pontas livres. Recomenda-se também evitar o uso de calçados fechados.

Manifestação Clinica: As manifestações clínicas iniciam-se com dor local, que aumenta de intensidade gradativamente, podendo tornar-se insuportável. Há inflamação (dor, rubor, calor e edema) da pele adjacente à unha afetada, podendo também ocorrer, liberação de secreção purulenta, e um granuloma piogênico, conhecido como carne esponjosa.

Tratamento: O tratamento varia de acordo com a gravidade de cada caso, indo desde simples medidas, como o afastamento da pele inflamada com um pedaço de algodão, até tratamentos cirúrgicos, para a retirada do tecido inflamado, ou erradicar a matriz da unha, no local onde ela encrava. Não é aconselhada a extração da unha, pois quando esta volta a crescer, pode encravar novamente. Nos casos mais graves, onde há infecção secundária, pode ser necessário o uso local, ou oral, de antibióticos. Quando o granuloma piogênico está presente, deve ser cauterizado. O médico dermatologista é quem deve indicar qual o melhor tratamento.

Como cortar a unha: A unha encrava quando a pele do dedo forma uma barreira ao crescimento dela. Ao crescer, a unha entra na pele de uma das laterais do dedo, e provoca ferimento. O tempo passa, a unha continua a crescer, e o encravamento continua a piorar; aumentado assim, a inflamação e a dor. Redondo pode ser bonitinho, mas o melhor modo de prevenir, é cortar as unhas do pé, no formato quadrado, com os cantos laterais visíveis. Não corte no formato arredondado, entrando pelos cantos, porque a pele pode se transformar em uma barreira para o crescimento das unhas.

E preste atenção nos sapatos. Os de bico fino, apertados nos dedos, propiciam o encravamento, principalmente, em quem cortou suas unhas no formato arredondado.

Crianças e bebês: Apesar de raro, crianças também podem ter unha encravada. Para elas, valem as mesmas regras na hora de cortar unhas, e escolher calçados. Nada de sapatos apertados. Evite as meias apertadas, e repare se o tamanho do macacão, com pezinho fechado, está adequado ao comprimento de seu filho. Muitos bebês nascem com as unhas dos pés tão curtinhas, que parecem que vão encravar. Se você prestar atenção nos cuidados básicos mencionados, provavelmente isso não vai acontecer e as unhas vão crescer sem problemas.

O que fazer: Quando a unha está começando a encravar, é tentador aparar o cantinho incômodo. Isso alivia temporariamente o sofrimento, mas quando a unha crescer novamente o encravamento voltará. Pode até voltar pior. Por isso, procure um dermatologista para indicar o tratamento adequado.

Casos iniciais melhoram com medidas simples, como o uso de uma minúscula bolinha de algodão sob o canto afetado. Isso eleva a unha, permitindo que ela cresça livremente, sem encontrar a pele do dedo como obstáculo. Unha inflamada, ou infeccionada, requer tratamento com medicamentos. E em casos avançados, pode ser necessária uma pequena cirurgia, para remover o canto da unha e desobstruir seu caminho.

Dicas: 

Qual é o seu tipo de unha? Há vários tipos de unhas. Algumas têm mais predisposição que outras para encravar. Para ajudá-la, selecionamos os quatro formatos mais comuns: normal, caracol, funil e telha.

Unha normal: são as unhas quadradas que apresentam laterais em linha reta. Para cortar, retire apenas a parte branca e não arredonde os cantos.

Unha funil: como o nome já diz, este formato afunila na ponta e têm laterais profundas. É recomendado, que um profissional faça o corte, mas se você sentir necessidade, de apará-las, opte pela lixa.

Unha caracol: este tipo de unha é difícil de cuidar, porque as laterais formam um "C" para baixo. O recomentando, é que apenas o pedólogo, realize o corte.

Unha telha: esta não é estreita nas pontas, como a unha funil, mas apresenta as laterais levemente pontiagudas. O ideal é cortar a parte branca, sem mexer nas laterais.


Dra. Léa Mansur
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário