Wadih El Safi A Voz do Líbano


Wadih El Safi (ou Wadih Francis) nasceu na aldeia de Niha, em Chouf, em 1921, e é o segundo filho (de oito), do Sargento da polícia libanesa, Joseph Gabriel Francis, numa modesta família maronita, que na década de 30 mudou-se para Beirute, para aumentar os rendimentos familiares, o que levou Wadih a interromper seus estudos, para ajudar o pai no sustento da família.
Em 1938, aos 17 anos, Wadih ficou em primeiro lugar entre os 50 participantes de um concurso, realizado pela Rádio libanesa, onde ele cantou "Ya Morsel Al-Nagham Al-Hanoon". Na sequência, ele foi treinado por um grande número de instrutores, como Michele Khayat e Saleem El-Helo. No inicio da década de 40, Wadih atingiu o sucesso com as musicas "Tal El-Soboh" e "Taktak El-Asfoor", feitas em parceria com o poeta Assaad El-Sabaali; e em 1944, ele conheceu Mohammad Abdel Wahab.

Wadih iniciou sua carreira, transformando poemas escritos no sotaque libanês, em grandes canções, e mais tarde, ele passou a se concentrar nas letras no padrão árabe. Suas canções são, principalmente, sobre valores morais e amor ao país, mas ele é conhecido por adaptar-se a todos os tipos de música. 

Barítono de formação clássica, Wadih estudou no Conservatório Nacional de Música de Beirute, onde ele compunha e executava canções inspiradas em sua educação rural, e ao amor pelas melodias tradicionais. Misturando poesia e zajal com um som urbano, ele criou um novo estilo de música folclórica libanesa modernizada.

Em 1947, ele viajou com um grupo musical para o Brasil, onde viveu por três anos, e quando retornou ao Líbano, trouxe consigo a famosa canção “Al Loma” que já foi interpretada por muitos outros artistas, e é conhecida até os dias atuais. Em 1952, Wadih se casou com sua prima, Malvina Tanios Francis, e teve 6 filhos com ela: Dunia, Marline, Fadi, Antoine, George e Milad. No final dos anos 50, em parceria com diversos artistas de renome do Líbano, entre eles, os irmãos Rahbani, Wadih El Safi, iniciou um projeto para resgatar a música folclórica do país. 

Wadih El Safi percorreu o mundo, cantando em diversos idiomas, incluindo Francês, Português e Italiano, participou de importantes festivais internacionais, e ganhou muitos prêmios, homenagens e honras. Além da cidadania libanesa, ele ainda recebeu naturalização egípcia, brasileira, e francesa. No inicio da guerra civil, ele viajou para o Egito, Inglaterra, e depois se estabilizou em Paris com sua família, em 1978. 
Completamente oposto à guerra, Wadih defendia a arte, a cultura e a civilização para o Líbano, além de ter continuado a cantar e compor durante esse tempo. A partir dos anos 80, ele começou a compor canções mais espirituais, que refletiam o sofrimento de guerra e o resgate da fé. 

Em 1990, ele fez uma cirurgia do coração, mas em seguida, continuou cantando, e chegou a exortar diversos concertos internacionais e festivais no país, bem como as competições e programas de TV; sempre incentivando os novos talentos. 

O grande tenor Luciano Pavarotti comentando sobre sua qualidade espiritual de canto, afirmou certo dia: "Este homem não canta sozinho, parece que alguém canta com ele"

Wadih é um artista completo, e do mundo, e sempre experimentou diferentes tipos de música, e chegou a regravar nos últimos tempos, a música "Aandek Bahriyah", com o artista espanhol, José Fernandez, num estilo gipsy e com espírito flamenco, mas usando a letra libanesa. José Fernandez foi aconselhado por avisado por seu pai, que se ele quisesse realmente se tornar um bom cantor, e aprender a vocalizar e usar a verdadeira forma de cantar, ele deveria viajar para o Líbano, e aprender com um homem chamado Wadig El Safi, o jovem cantor, ouviu o conselho de seu pai e 

Ele ainda lançou vários singles e álbuns durante toda a sua extraordinária carreira, mas seus títulos mais famosos são: "Dar Ya Dar", "Ya Azima MESR", "Aala Ramch Oyounha" e "Al Laylou Ya Layla".

Este grande ícone da cultura musical libanesa já escreveu mais de 3000 músicas, e é conhecido pelo seu estilo de cantar improvisando, além de já ter tocado e gravado com outros grandes nomes da musica libanesa, como Sabah, Fairouz e Najwa Karam. 

Em 1991, por seu extenso e grande repertório de gravações, e sua contribuição para a música popular libanesa e árabe, ele foi premiado com um doutoramento honoris causa em musica, da Universidade Saint-Esprit de Kaslik (USEK).

Aos 92 anos, Wadih El Safi, que já recebeu muitos prêmios e homenagens por ser um dos maiores artistas de meio século, é um ícone e um pilar insubstituível do cenário artístico e musical do Líbano, que continua inspirando e ajudando a nova geração de cantores, com toda a sua experiência, humildade, e apoio moral.

Assista aqui a interpretação de Wadih El Safi com o artista espanhol José Fernandez, no Casino Du Liban em 2002. 


Wadih El Safi e José Fernandez


Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comments: