Diamantina/MG

Foto: Diamantinaestradareal

Terra de Chica da Silva e JK

Com quase três séculos de fundação, Diamantina, um município do estado de Minas Gerais, há 292 km de distância de Belo Horizonte, não é apenas a uma cidade histórica, mas também a terra natal de Juscelino Kubitschek de Oliveira, e da famosa escrava Chica da Silva, que teve vida de rainha quando se casou com o português João Fernandes de Oliveira, considerado na época, o homem mais rico do Brasil.  

Antes da chegada dos colonizadores portugueses a região era habitada por índios macro-jê. A notoriedade da cidade remonta do século XVIII, quando a região foi fundada como Arraial do Tejuco, em 1713, e se tornou destino para os caçadores de pedras preciosas em 1729. Em 1831, elevou-se a categoria de cidade e foi renomeada de Diamantina, em virtude da grande quantidade de diamantes que foram encontrados na região. 

Em 1938, em seu aniversario de 100 anos, Diamantina recebeu do IPHAN  o título de "patrimônio histórico nacional", e em 1999, tombada como "patrimônio da humanidade" pela UNESCO, revelando então ao mundo, seu rico cenário de igrejas barrocas e casarios coloniais, espalhados por suas ruas de pedras, iluminadas por lampiões.

A dica para conhecer as famosas vielas e becos da cidade, é estacionar o carro e fazer o passeio a pé, parando para fazer compras nas lojinhas de artesanato, ouvir música de fanfarra, seresta, e rodas de violão. As igrejas funcionam durante meio período, em horários alternados, compre um passe de R$ 5,00 que vale para as três igrejas que abrem pela manhã, ou para as três que abrem à tarde. Visite a igrejas de Nossa Senhora do Carmo e a de São Francisco de Assis.

Não deixe de visitar também o pitoresco passadiço que liga duas casas na Rua da Glória, e a casa do ex-presidente que idealizou Brasília, e ainda o Garimpo Real. O Mercado Velho, construído em 1835, foi ponto de venda de mercadorias trazidas pelos tropeiros, e hoje abriga o Centro Cultural David Ribeiro, e a tradicional feira de artesanato, comidas, bebidas e hortifrutigranjeiros, realizada aos sábados. A casa que pertenceu a Chica da Silva, hoje funciona como sede do IPHAN, é uma visita interessante, assim como a casa de JK, que é um museu dedicado ao ex-presidente e que vale a pena conhecer também. 

Outros atrativos interessantes e imperdíveis em Diamantina:
- Capela Imperial do Amparo: Construída em 1773, e onde hoje ocorre a festa do Divino.

- Casa da Intendência: Construída ainda durante o governo colonial e que hoje é a sede da prefeitura.

- Casarão do Fórum: Também construída quando a cidade ainda era Arraial do Tijuco, e uma das construções mais importantes da cidade.

- Museu do diamante, Museu da Memória do Pão de Santo Antonio, Museu da Seresta.

- Centro Histórico com ricas construções do século XVIII.

- As belíssimas cachoeiras de Diamantina, com destaque para a Cachoeira Sentinela das Fadas, Cachoeira dos cristais, Cachoeira da toca, e Cachoeira das três quedas.  

O artesanato, produzido na cidade e arredores, é bem variado, e oferece: tapetes arraiolo, cerâmicas, trabalhos em palha, bordados, e joias com pedras preciosas. Os queijos e cachaças artesanais também são excelentes. A gastronomia mineira dispensa as apresentações, além de rica, é simplesmente deliciosa! 




Claudinha Rahme
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário