Os elementos astrológicos

O seu signo solar pode pertencer a um elemento, mas você ter outro elemento que predomine em seu Mapa Astral.

Por exemplo: Se você é geminiano, seu elemento é o ar, mas você pode ter em seu mapa, o ascendente, e vários planetas em terra, que será então, o elemento predominante.

FOGO:
Corresponde a INTUIÇÃO. Conceitos como futuro, possibilidades, dinamismo, energia, ação fazem parte do universo dos signos regidos por este elemento: ÁRIES, LEÃO, SAGITÁRIO.

O fogo possui um forte referencial interno, dando a impressão de egoísmo, porque o fogo vive de acordo com seus próprios princípios, e é fiel às suas próprias ideias, na medida em que lhe conferem novas perspectivas e possibilidades. 

Energia e espontaneidade, entusiasmo, paixão e criatividade é o que realmente conta na vida de uma pessoa regida pelo fogo. O importante é SER (“arder”), mais que o sentir, o fazer, ou o saber. O excesso do elemento fogo no mapa pode gerar: orgulho, arrogância, autoritarismo, impaciência, impulsividade, imediatismo, egoísmo, excessiva autoconfiança.

A falta do fogo gera uma diminuição no nível de ação, e entusiasmo, perante a vida. A pessoa necessitará ser estimulada para agir, pois tende a faltar-lhe iniciativa, otimismo e alegria. Pode haver também medo de desafios. Pense no fogo e nas qualidades que ele emana: calor, energia, paixão. 

ÁRIES é o fogo inicial, a faísca da vida que incendeia o que estiver ao redor, entusiasmo, impulso.

LEÃO é o fogo no auge de seu poder: força, autoridade.

SAGITÁRIO é o fogo dominado, utilizado: o conhecimento, a expansão de horizontes.

TERRA:
Corresponde a SENSAÇÃO, ou seja, o que pode ser captado através dos sentidos. A ideia central é perceber o que está visível (conhece e acredita naquilo que vê), desfrutar dos prazeres que o mundo físico proporciona. Realidade, o lado concreto e prático da vida, a busca de estabilidade e segurança, a determinação, a paciência, a produtividade, a eficiência e o senso de forma e proporção são características deste elemento. O modo da terra se expressar é estável e constante. 
Pertencem a esse elemento os signos de TOURO, VIRGEM e CAPRICÓRNIO.

O excesso de terra, num mapa, sinaliza uma grande preocupação com as coisas materiais e concretas, dificuldade de mudar, inflexibilidade, utilitarismo, dificuldade de lidar com pensamentos abstratos, conceitos e teorias, pois tudo tem uma conotação muito concreta. Pode gerar também, excesso de rotina, possessividade, teimosia, avareza, ou obsessão pelo trabalho.

A falta de terra provoca dificuldade em lidar com o mundo material e concreto, a pessoa pode ser muito sonhadora, mas nada prática. A falta desse elemento pode ocasionar problemas para alcançar estabilidade, pois falta o “pé no chão”. Pode haver dificuldade de prover as necessidades físicas, e de sobrevivência. 
Pense na terra: sólida, firme, consistente, a base. 

É a energia mais densa de todas, e a mais suscetível à força da gravidade, a mais próxima do nutriente básico da vida material (o chão). 

TOURO fase de crescimento individual, de absorver e acumular, fazer crescer. É a terra fértil, receptiva: estabilidade, sensualidade. 

VIRGEM é a terra ceifada, utilizada: estruturação, seleção e aperfeiçoamento.

CAPRICÓRNIO é a terra despojada, mas contendo o germe da vida: reflexão, paciência, construção, organização, crescimento social.


AR:
Corresponde a função do PENSAMENTO. A ênfase reside em teorias e ideias, na relação entre os fatos, na capacidade de abstrair, de comunicar, e de se relacionar, mentalmente, com algo ou alguém. A consciência do AR está direcionada para uma abordagem, e assimilação, mais lógica e objetiva de acontecimentos observados, ou vivenciados. O ar é relacionamento, entre os seres e as experiências, o que caracteriza o pensamento. 

A intimidade excessiva restringe o ar, “sufoca”, pois quer conhecer tudo. GÊMEOS, LIBRA e AQUÁRIO, os signos regidos por esse elemento, examinam o seu comportamento, e dos que os cercam, buscando a compreensão mental.

GÊMEOS: vento leve sem direção definida - os primeiros contatos, a relação com o meio mais próximo.

LIBRA: um vento dirigido - os contatos escolhidos, as relações sociais.

AQUÁRIO: o ar dos cumes - idealismo, progresso, a relação global (além-fronteiras)

Pense no ar: se espalha, está presente em toda parte, é o mais leve dos elementos, liga as coisas da terra (todos os seres respiram o mesmo ar, que está em constante movimento sobre a terra). O excesso de ar. gera alguém “fora do ar”, isto é, excessivamente abstrato, e pouco prático. Pode haver dificuldade de lidar com sentimentos, pois a concentração está no lado racional da vida. 

Outras características são: sistema nervoso frágil, facilmente abalável, ansiedade na comunicação, possíveis tiques nervosos. A falta de ar pode gerar: irreflexão, dificuldade em se entender, e relacionar c/ os outros, dificuldade em se ajustar a pessoas, e coisas, novas ou diferentes, pode haver problemas de articulação, comunicação e expressão verbal. 

ÁGUA:
Corresponde a função do SENTIMENTO. A água percebe as coisas via emocional. O importante é o sentimento, despertado por uma pessoa, objeto ou situação. É a subjetividade, o instinto, a intimidade, a imaginação, o sonho, a mediunidade, a profundidade. O elemento água é dotado de grande sensibilidade e poder psíquico, pois sua linguagem é a do coração, o que gera envolvimento profundo com as vivências emocionais.

Apesar de necessitar de relacionamento, o medo pode levar os nativos deste elemento, à reserva e solidão (tudo é vivido interiormente). A água necessita de estímulo do exterior. Através do contato emocional com o mundo, sente coisas que muitas vezes não podem ser explicadas. Os signos que pertencem a esse elemento são CÂNCER, ESCORPIÃO e PEIXES.

CÂNCER é a água primordial das fontes que protege a prole (instinto de proteger o que é frágil): sensibilidade, imaginação.

ESCORPIÃO é a água dos pântanos, a água que “dorme”: mistério, transformação, magnetismo.

PEIXES é a água dos oceanos, nos quais todos os rios vêm fundir-se: osmose, empatia.

Pense na água: é moldável, não tem forma definida, flui, jorra, remete-nos a algo interior...O excesso de água gera sensibilidade exagerada, suscetibilidade psíquica, e emocional, emoções à flor da pele, carências, medos, apreensões, inseguranças. 

Também uma intensa vida interior com fantasia, imaginação e criatividade, que, no entanto, deve ser canalizada positivamente. A falta de água pode ocasionar dificuldade em admitir, e expressar, sentimentos e emoções, desconfiança de intuições, e da vida interior.

Betty Ziade
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário