Você sabe o que é uma casa ecológica?


O que você imagina, quando lhe perguntam o que é uma casa ecológica?
Penso que isso depende do nível de informação, e do interesse de cada um, sobre o tema. Há quem imagine uma casa de sapé, com um mínimo de conforto tecnológico e prático, isolada da civilização, há outros que se remetem às casas luxuosas, com enormes panos de vidro, e alta tecnologia envolvida nas instalações de fotovoltaicos, solares, e em certa medida, de altíssimo custo.

Devo reconhecer que, os dois conceitos estão corretos. Mas entre um polo e outro, há uma imensa gama de fatores que podem contribuir, para tornar possível a garantia de conforto, e orçamentos reais na vida do cidadão comum, sem agredir tanto o meio ambiente. 

E por que esse tema interessaria a maioria da população? 
Se não interessa... Pelo menos, deveria interessar, pois a resposta vem da própria natureza, e das sequelas do uso indevido e indiscriminado, de recursos não renováveis (principalmente o petróleo e seus derivados, minérios, e etc.), do problema da poluição atmosférica, do famigerado aquecimento global, das enchentes, da escassez de água e de energia, da contaminação de alimentos, e de novo, da própria água e do seu tratamento, do deposito do lixo, e, portanto, da saúde pública, e da qualidade de vida, como um todo. 

Não é só uma questão de preservar da extinção, várias espécies, do extermínio das florestas às vezes distantes, da miséria invisível do outro, mas também, e principalmente, do entendimento de que estamos todos ligados por uma linha tênue de equilíbrio, entre os sistemas, eco, macro, micro, sócio, cultural e mundial… E que toda ação resulta uma reação, e os grandes problemas urbanos, e sociais, estão aí para nos alertar sobre. 

Até as guerras, são consequências, e não causas dessa história… Uma nação
que é extremamente dependente de petróleo, por exemplo… Ha vários desdobramentos que passam da economia, à receita de um prato diário. 

 Listo abaixo, alguns exemplos de práticas e soluções, que possam aliviar a carga de consumo, e que não oneram e nem causam transtornos radicais, nem ao bolso, e nem ao modo de vida de cada um. 

São praticas de quem simplesmente entende, e tem a capacidade de se colocar no lugar do outro, que percebe que faz parte de um todo coletivo, e que é responsável, individualmente, por melhorar, ou piorar, sua própria vida, e, portanto, a de todos desse planeta. Então, proponho começamos por orientar, quem não pretende construir (ou reformar) sua casa, e em próximas edições, desenvolveremos os conceitos e avançaremos no tema, caso a caso. 

Evite o desperdício de AGUA, verifique e conserte qualquer tipo de vazamento, feche a torneira enquanto escova os dentes, lave a louça, se ensaboe no banho (sem falar no tempo), espere o acúmulo de roupas para otimizar a capacidade da lavadora, elimine o uso de mangueiras para lavar banheiro, cozinha, ou a própria casa. Volte a fazer uso, do bom e velho espanador.

 Para áreas externas, procure varrer e lavar apenas quando realmente necessário. Sei que a sensação causada por uma duchada na casa, é ótima, principalmente no verão, mas se analisarmos bem, essa sensação dura no máximo, uma hora, após a qual não se nota a diferença entre a duchada, e a "jorrada", ou baciada, o efeito é o mesmo. 

Ou caso seja possível, aproveite o despejo do enxague da lava roupas, para lavar o quintal, a varanda, as escadas, a entrada, o cheirinho do amaciante será um sucesso. Seja o exemplo para seus familiares, causa mais efeito, do que apenas reclamar da falta de água. Incentive e conscientize amigos, parentes e vizinhos a fazerem o mesmo. 


Evite desperdício de ENERGIA, abra as cortinas, e faça uso da luz natural, em caso de construções, use lâmpadas fluorescentes; as amarelas são tão aconchegantes como as incandescentes, porém, mais econômicas, em áreas de serviço, cozinha e escritório. Existem também, as novas gerações de lâmpadas de LED’s, que prometem ser ainda mais eficientes. 

Nas áreas de uso comum, como escadas, halls de elevadores e entradas, também é interessante o uso de timer, ou sensores de presença, para não se esquecer de apagar as luzes, ao sair de cada ambiente. Á exemplo da economia de água, deixe acumular as roupas para lavar e passar; isso também poupa energia. 

Ao escolher os eletrodomésticos, observe a classificação dos mesmos, quanto ao consumo de energia, para um cuidado maior, também vale desligar equipamentos, que mesmo em estado de espera, continuam a consumir  (fica visível quando vemos aquelas luzinhas da TV, do computador, do som , DVD, etc.).


Evite desperdício de ALIMENTOS, fazer listas, e planejar as compras, com a quantidade e qualidade adequadas, dispensam idas e vindas desnecessárias, e gastos de combustível, ou de tempo. Na despensa, organize os produtos de forma a usar sempre, os de data mais antiga, guarde as compras recentes atrás dos produtos já existentes, isso vale para os grãos, enlatados, farináceos.

E para os perecíveis, coloque os tomates mais recentes, embaixo dos mais antigos, as batatas, cebolas e assim por diante. Caso seja possível, (aqui no Bekaa acho que ainda não) opte por produtos orgânicos (sem agrotóxicos), verifique a procedência, prefira os naturais (sem o uso de conservantes). Ao comprar frutas, verduras e legumes, lave-os e acondicione-os, adequadamente, isso facilita à visualização, e evita a contaminação cruzada, e, portanto, a perda precoce.


Evite desperdício de LIXO, isso mesmo… Há tantos artesanatos, jogos, usos e reusos, que podemos inventar… Deixe de ser tão consumista, seja seletivo, não só separando o lixo (no mínimo o seco do orgânico, e do WC, como já mencionei em outra oportunidade), mas também na escolhendo os produtos a serem consumidos. Leve a sua sacola e evite as descartáveis, que demoram séculos a se decompor.  

E se nada disso inspira, ao menos jogue o lixo no lixo… Parece obvio, mas não é o que observo andando nas ruas… E de novo, o exemplo é a melhor campanha!


Exerça seu poder de julgamento, seja consciente, e evite produtos de origem duvidosa, trabalho escravo, e mesmo que explorem outras nacionalidades ou etnias, ou sacrifiquem animais (certas marcas de cosméticos, principalmente). Hoje com o recurso da internet, é fácil consultar quais são as marcas... Informação é item básico, para se viver melhor, com qualidade, e não em quantidade… 

E o que tudo isso tem a ver com a pergunta no inicio da matéria?


Tudo! Não adianta radicalizarmos na casa, se não praticarmos na essência… Praticando as dicas acima, além de ajudar o planeta, você terá a melhor surpresa (dois pontos): a economia financeira! Quem sabe dá até para fazer aquele passeio que estava esquecido, uma sessão de cinema, um jantar romântico e até aquele curso de idiomas… 

Nas próximas matérias, buscarei exemplos de casas ecológicas, e ideias para tornar as nossas casas mais sustentáveis… Materiais, tecnologias e historias… Mas o mais importante é despertar a consciência, a começar pelo básico, e pelo mais simples: nossas atitudes! Só melhoraremos o mundo, quando começarmos por nossos lares, e antes, por nós mesmos. Comece com uma limpeza no armário, e doe tudo o que não precisar, ou RECICLE... 

Até semana que vem!

Jeane Satie Abou Nimry
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário