EVENTOS NO LÍBANO III

Lebanese Breast Cancer Foundation realiza primeira fita rosa, humana, no Líbano!

Através de sua página no Facebook, a Lebanese Breast Cancer Foundation (LBCF), reuniu um grande número de voluntários para participar, no último dia 5, do evento “The First Human Pink Ribbon in Lebanon“, realizado na AUB.  

A recém-criada, LBCF visa à conscientização do câncer de mama, e o alerta às pessoas, além de apoiar os pacientes que estão em busca da cura, numa celebração pela sobrevivência. 

Os requisitos necessários para a participação, consistiram apenas em comparecer ao gramado da American University of Beirut (AUB), usando uma camiseta  rosa ou branca, no intuito de formar um dos  símbolos da campanha: uma grande fita rosa “humana”, onde quanto mais pessoas presentes, maior seria o tamanho da fita humana.

Eu, Carla, não pensei duas vezes antes de decidir participar... Sim eu estive lá!
Primeiro, eu adoro ir à AUB;
Segundo, eu acredito possuir um alto risco genético e hereditário, de ser acometida pelo câncer de mama.   Terceiro, e não menos importante, eu pensei em minha mãe. Neste mês de outubro, completa-se 10 anos que ela partiu, em função de um câncer de mama. 

O evento estava previsto para começar às 17h00min, mas a organização pediu que os voluntários chegassem com 2 horas de antecedência, para que houvesse uma preparação. Às 15h00min os organizadores começaram a se posicionar, para a distribuição de fitas rosa, e cartilhas explicativas e didáticas, sobre a doença. Adquiri o meu exemplar, minha fitinha, e sentei, para aguardar a chegada dos demais participantes. Durante este tempo iniciei a leitura da cartilha.

Algo me chamou a atenção na leitura: o BRCA1 e BRCA2, que são os testes genéticos que determinam o risco de ser acometida pelo câncer, me despertaram algumas dúvidas. Conversei com uma jovem médica sobre estes exames, e ela me explicou que, é aconselhável que este diagnóstico seja feito por pessoas com certo histórico familiar de câncer de mama, como o meu caso, por exemplo. 

A jovem doutora explicou que estes exames são muito caros, e que antes de fazê-lo, eu teria que pensar bem, porque eles são muito precisos, com respostas imediatas, e que algumas soluções drásticas eram necessárias a serem tomadas, caso o resultado fosse positivo, como a retirada das mamas. Estes exames são uma forma muito moderna, de se detectar e prevenir, o câncer de mama.  A médica disse ainda, que é muito bom que eu esteja me prevenindo, e orientou que eu continue a fazer os meus exames rotineiros anualmente.  

Então, a organização começou a convocar os voluntários (de várias faixas etárias, entre homens e mulheres) para o gramado, e quando todos já estavam em suas posições, no formato da fita, uma das organizadoras do evento nos informou que um helicóptero passaria, para nos fotografar.

Confesso que e emoção foi muito grande, ver aquelas pessoas formando o grande símbolo de conscientização e alerta, sobre o câncer de mama. Derramei lágrimas, e tive vontade de gritar ao mundo, mas me contive, durante aquele momento tão feliz para mim, e para todos os que ali estavam presentes, onde estávamos totalmente tomados de um sentimento coletivo de muita compaixão e amor. 

Pensei muito em minha mãe, que infelizmente foi vencida por esta doença, e também em minha avó e minha tia, ambas maternas, que sobreviveram a essa doença com sucesso. A cada volta que o helicóptero dava sobre nós, era pura emoção, para mim e para todos, ali presentes. Muitos “flashbacks” vieram à minha mente, sobre a batalha travada por minha mãe, que lhe tirou a alegria e a vontade de viver... 

Estiveram presentes no evento, a Primeira Dama, Waffa Sleimain, médicos, ministros, autoridades, e diversos sobreviventes entraram no gramado, vestindo uma capa rosa, para cumprimentar os voluntários que estiveram participando do evento, e também fazer parte da festa. 

Ao final do evento, música e dança, embalaram a comemoração, pela cura e pela sobrevivência. Ter participado deste evento para mim, me fez sentir mais confiante, e saber que acima de tudo, não estou sozinha, e eu espero que minhas prevenções, me permitam manter-me ilesa do câncer de mama. 

Lembrando à todas as mulheres:

•Visitem o seu médico caso notem qualquer anormalidade em suas mamas. 

•Façam o autoexame, pelo menos uma vez ao mês, e sejam examinadas pelo seu médico, pelo menos uma vez por ano;

•Façam a mamografia, anualmente, a partir dos 40 anos. 

Parabéns, e muito obrigada, à Lebanese Breast Cancer Foundation, por esta iniciativa de conscientização, que certamente, ajudará a prevenir e a salvar vidas. 

“Se você contribuir para a felicidade de outras pessoas, você encontrará a verdadeira meta, o verdadeiro sentido da vida".
          (Mirna Hoballah - sobrevivente de câncer de mama)






Carla Mussallam Al Masri 
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário