Crianças sírias, sozinhas, atravessam a fronteira em busca de proteção


O conflito sírio tem causado a fuga de milhões de habitantes, e um dos destinos mais procurados tem sido o Líbano. 

Diariamente, o número de refugiados sírios no país tem aumentado cada vez mais e estima-se que este número já tenha superado a marca de um milhão.

Depois de tudo que vemos e lemos sobre o que acontece na Síria, achamos impossível o drama deste povo se agravar mais, certo? Errado! Pois, veremos que muitas crianças, depois de terem a casa destruída, a família morta e serem abandonadas, atravessam a fronteira de seu país sozinhas em busca de uma vida melhor e ainda assim, são obrigadas a sobreviver por conta própria. Acompanhem.

No Líbano, entre 800 e 2.500 crianças estão desacompanhadas ou foram separadas de suas famílias de acordo com a UNICEF.

Uma dessas vítimas é Abdallah, sete anos de idade, diz que não sabe há quanto tempo ele está no Líbano. "Quando cheguei aqui houve uma festa com as outras crianças. Eles me deram um presente, um par de chinelos e algumas roupas", disse à DW referindo-se ao auxílio que a Home of Hope está lhe dando.

Abdallah fugiu da cidade síria de Idlib com seu tio há poucos meses, depois que sua família foi morta em bombardeios. Depois de viver em uma igreja durante algumas semanas, o menino e seu tio foram presos. Abdallah diz que seu tio o abandonou no abrigo e nunca mais voltou. "Houve guerra no meu país. Uma bomba caiu na minha casa e ela [a casa] explodiu. Eu não tenho mais casa.", diz ele.

Desde que a guerra na Síria começou há dois anos e meio, mais e mais crianças têm fugido ou foram abandonadas por seus familiares nos países vizinhos. Um recente relatório da Organização das Nações Unidas revelou que mais de 4.000 crianças sírias cruzaram as fronteiras para outros países sem os pais ou parentes adultos.

De acordo com Anthony MacDonald, chefe do Serviço de Proteção da Criança do UNICEF no Líbano, o país tem assistido a um aumento significativo de crianças sírias trabalhando nas ruas nos últimos seis meses. "As crianças são obrigadas a trabalhar por causa da situação econômica severa que enfrentam. Alguns tornam-se responsáveis pelo sustento de suas famílias. Em muitos casos, ficam expostos a todos os tipos de violência. Nas regiões rurais, algumas crianças estão envolvidas na agricultura e há relatos de que estas crianças estão sendo espancadas, maltratadas e expostas ao uso de ferramentas e máquinas perigosas".

Educação

A educação das crianças no Líbano é mais um problema que precisa ser resolvido, pois as escolas públicas libanesas não têm vagas suficientes para absorver o número crescente de crianças sírias. De acordo com o ACNUR, cerca de 90% dos refugiados sírios com idade entre seis e dezessete anos estão fora da escola devido à capacidade limitada da rede pública de ensino do Líbano.

Atualmente, 300.000 estudantes libaneses e 30.000 crianças sírias estão matriculadas em escolas públicas. O Ministério Libanês da Educação e Ensino Superior recentemente concordou em criar 70 novas escolas para os anos de 2013 e 2014. Esta iniciativa iria fornecer assentos para 210 mil crianças sírias.

No entanto, sem um fim à vista para o conflito é muito difícil prever o que irá acontecer com essas crianças. É muito difícil construir um futuro para essas crianças no Líbano. A única coisa que podemos fazer é esperar e ver o que vai acontecer para a Síria. Talvez seus pais ainda estejam vivos em algum lugar, à espera de uma chance de ir até o Líbano para buscá-los.


Saeb Osman
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comments:

  1. Meu Deus, agora me explica: como podemos passar por situacoes como essas com tanta riqueza? Em que momento perdemos nossa humanidade?

    ResponderExcluir