Você conhece Parkour?


Parkour   (PK) -  palavra do francês  que vem do termo parcours du combattant, que significa  pista de obstáculos é uma disciplina ou atividade física, que usa principalmente as habilidades do corpo, e movimentos que se desenvolveram  a partir da vontade de ultrapassar tais obstáculos. A intençao dos praticantes  é  superar com rapidez e eficiência os obstáculos em seu ambiente, utilizando apenas seu corpo e   movimento, além disso, eles tentam manter o máximo de força possível de uma maneira segura. 

Considerado a “Street Art” ( arte de rua )Parkour pode incluir corrida, escalada, equilíbrio, salto, pulo, giro, rolar no chão, movimento quadrúpede, ginástica e assim por diante, dependendo de qual movimento é considerado mais adequado para a situação.

Parkour  pode ser realizada em uma pista de obstáculos, mas é geralmente praticado de forma  criativa e na reinterpretação dos espaços urbanos.  Parkour envolve  uma visão do ambiente de  uma  outra forma, imaginando as potencialidades para o movimento em torno destes ambientes. 

Desenvolvido na França, principalmente por Raymond Belle, David Belle e Sébastien Foucan, durante o final da década de 1980,  Parkour se tornou popular na década de 1990 e 2000 através de filmes, documentários e anúncios com estes profissionais.

O  praticante de Parkour é muitas vezes chamado de traceur ou free runners,  esta palavra é derivada do verbo  “tracer” em  francês, o que significa "traçar", como em "traçar um caminho", ou fazer um traço. 

O vestuário do Parkour é muito simples: 

•Calça ou um calção que fique acima dos joelhos, algo que facilite qualquer movimento. 

•Qualquer camiseta desde que ela não atrapalhe se você usar os braços.

•E um tênis leve e confortável de preferência com amortecedores

ENTREVISTA

Em um final de tarde de verão, no Centro de Beirute (Downtown), fui conhecer de perto esta arte de rua.     Assisti ao treino de um grupo de jovens praticantes de Parkour que fazem parte da equipe  LFR – Lebanese Free Runners.

Apresento-lhes :

Amer Mokhallati- 20  anos, engenheiro, é o fundador do LFR, segundo ele, Parkour faz parte da sua vida diária.

Karim Al – Amin  estuda rádio, televisão e cinema. Parkour é para ele, como um hobby, que traz muita energia, poder e diversão. 

Sleiman Bazzi- 18 anos, ainda na escola, ama Parkour, e adora se divertir com esta atividade.

Charbel Sawaya-19 anos, estuda Finanças na Universidade Sagesse,  também tem em mente que praticar Parkouir traz muita energia, poder e diversão, além de manter a mente livre. 

O interessante é que todas as perguntas que fiz para eles, obtive praticamente, as mesmas respostas. Isso que chamo de trabalho em equipe, união e amizade. 

GB-  Como conheceram o  Parkour?

LFR-  Através de reportagens, filmes, documentários, internet etc. 

GB-  Quem apoia vocês?

LFR-  Nós mesmo nos ajudamos. Adicionamos informações um para o outro. E temos o Amer, que é o líder e o fundador do LFR.

GB-  Quantos membros tem o LFR?

LFR- Somos em 12 pessoas. 

GB-  A quanto tempo a atividade Parkour está no Líbano?

LFR-Parkour está ativo no Líbano, por volta de 5 anos. 

GB-  Como vocês definem Parkour?

LFR- Parkour é uma arte de rua ( Street Art)  ou esporte de rua, como um esporte radical, como skateboard, surfing, etc...

GB-  Existe competição?

LFR- Sim, existe competição, mesmo não sendo um esporte olímpico, que se chama “ Art of Motion”, em português “A Arte do Movimento”, que consiste na atividade conjunta, em que todos os competidores ao mesmo tempo fazem seus exercícios  e movimentos dentro da técnica,  sendo julgados e avaliados pela  habilidade, força, equilíbrio, desenvoltura e dificuldade. 
Nós mesmos, organizamos uma competição no dia 11 de outubro, para comemorar 1 ano de atuação. Esta competição, foi no  LFR Gym, Frere School em Beirute, onde todos os “ traceurs” compareceram. O Free Runner, foi  julgado e classificado pelos seguintes critérios:

Execução, o fluxo, a transição, a criatividade e a dificuldade técnica.


GB-   Vocês já participaram de alguma competição ou praticaram fora do Líbano?

LFR-  Sim, nós fomos para Jordânia e praticamos e conhecemos o Parkour de lá, mas não competimos. Ganhamos bastante conhecimento e experiência.

GB-  Como é sua rotina nos treinos de Parkour?

LFR-  Basicamente começamos com aquecimento, pulos e corridas, alongamento e depois damos início aos  movimentos. Damos cambalhotas, pinos (handstand) e saltos. Cada um  de nós tem seu próprio movimento e sua própria habilidade, de aprender outros movimentos quando sentimos confiantes  de praticá-lo. O Parkour Roll, é uma técnica que usamos para aliviar toda a pressão de nossas pernas e todo o corpo, para evitar qualquer lesão, isto é, quando se pula de um lugar para o outro, ao invés de cair de pé, caímos rolando pelo chão, com segurança. 

GB- O que é necessário para a prática de Parkour?

LFR- Todos os exercícios físicos são necessários. É muito importante o desenvolvimento das técnicas de movimentos com treinos, ter a mente livre, vontade, preparação psicológica, além de disciplina. 

GB-  Há alguma Federaçāo aqui no Líbano, que apoia o Parkour?

LFR- Não, não há.

GB-  Vocês já pularam de um prédio para o outro? Como foi? 

LFR- Sim, já pulamos. A sensaçāo é indescritível, nesse momento você se sente realmente livre. 

GB-  E sobre seus pais e família, como eles reagem sabendo que vocês praticam o Parkour? Eles não ficam preocupados? 

LFR - Eles tem medo, acham perigoso e ficam preocupados, mas é o que queremos, e treinamos para isso...Esse é o nosso momento de ter a mente livre, concentrar-se e trabalhar nosso físico e técnica.   

GB-  O que um praticante de Parkour vê, em  certos locais, como uma simples rua, que outras pessoas não vêem?

LFR- A arquitetura da cidade por exemplo, na  visão do traceur, é bem diferente. Um simples muro, uma escada, bancos, descidas e subidas, tornam-se grande obstáculos. Prédios bem próximos um dos outros,  talvez não sejam algo de ser apreciado pela a maioria das pessoas, mas para os Free Runners, é um dos maiores desafios, enfim, tudo isso torna a nossa prática mais realista, dentro de um cenário real. 

GB-  Há muitas meninas praticando o Parkour? 

LFR- Sim, há, mas não muitas. 

GB-  Poderia se tornar um esporte olímpico?

LFR- Nāo, nāo poderia ser, porque Parkour é algo muito profundo, como escutar o seu próprio “EU”  e ter seus próprios instintos, ter a mente livre. O Parkour é liberdade, desafio, força, poder e criatividade. Embora, o Parkour utilize muito da ginástica, não se encaixa em um esporte olímpico.    

GB-  Onde vocês praticam? 

LFR- Praticamos no Centro de Beirute, ( Downtown), e temos nosso proprio local, o  LFR Gym, fica  em Gemmayze – Frere School, em Beirute. 

GB-  Vocês dão aulas? Onde? 

LFR-  Sim, damos aulas. Os treinos são as Segundas, Quartas e Sextas das 18:00  às 20:00 horas. 

GB- O que vocês aconselham para quem quer começar a praticar o Parkour?

LFR- Começar com exercícios básicos, mente livre, força de vontade, disciplina, ouvir os seus instintos e deixar a liberdade fluir.

GB-Muito obrigada, LFR –Lebanese Free Runners, o Gazeta de Beirute deseja sorte e muitas e muitas performances. 

Por : Carla Mussallam Al Masri
Gazeta de Beirute
Share on Google Plus

About beirut lebanon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comments:

Postar um comentário